sexta-feira, 31 de julho de 2015

NATUREZA: LUA AZUL HOJE 31 DE JULHO DE 2015

7/31/2015 12:27:00 PM
Foto Osiel Amaral - ontem 30/07
Pela primeira vez desde agosto de 2012, uma lua cheia especial vai aparecer em nossos céus - ela é chamada de lua azul, e está marcada para esta sexta-feira (31). O fenômeno relativamente raro ocorre, em média, uma vez a cada dois anos e meio, e só deve se repetir em janeiro de 2018.
Ao contrário do que o nome sugere, é pouco provável que a lua fique, de fato, azulada. O termo teria se originado da expressão em inglês once in a blue moon, usada para designar um acontecimento raro. E como o tipo deevento astronômico que vai ocorrer no último dia de julho é bem incomum e envolve nosso satélite natural, o nome acabou pegando. Mas, afinal, o que há de especial nessa lua cheia?
Ela é atípica porque vai ser a segunda do mês de julho (a primeira rolou no dia 2). Normalmente, os meses têm uma única lua cheia, já que o ciclo lunar dura em torno de 29,5 dias. Só que, como nota o site Galeria do Meteorito, se dividirmos este número pelos 365,2 dias do ano, teremos em torno de 12,3 luas cheias anuais. De tempos em tempos, devido ao acúmulo destes “0,3” e à variação do número de dias nos meses (28 a 31), um ano como 2015 acaba tendo 13 luas cheias.
Se você queria mesmo era poder apreciar uma incrívellua com tons azulados, não perca as esperanças, pois este fenômeno pode, sim, ocorrer na natureza. E ele até já ocorreu algumas vezes, como em 1883: a catastróficaerupção do vulcão Krakatoa, na Indonésia, lançou cinzas que se espalharam por toda a atmosfera terrestre. Elas provocaram o efeito da lua azulada em boa parte das noites daquele ano! Grandes incêndios florestais também podem causar a mesma impressão. Mas é melhor não torcer para que estes desastres aconteçam, não é mesmo?

BAHIA: Apoio de Lula e Dilma tira votos de candidatos na Bahia

7/31/2015 12:15:00 PM
Pesquisa: 75% dos soteropolitanos rejeitam candidatos ligados a Dilma
Dilma afasta apoio de 75% dos eleitores em Salvador
Dilma afasta apoio de 75% dos eleitores em Salvador (Foto: Lula Marques/PT)
CLÁUDIO HUMBERTO
Levantamento em Salvador, realizado entre 22 e 26 julho pelo Instituto Paraná Pesquisas a pedido do portal Diário do Poder, mostra que os candidatos à prefeitura soteropolitana vão fugir do apoio de Dilma e de Lula, do PT, como o diabo foge da cruz. Dilma, a campeã de rejeição, tira 75% dos votos com seu apoio a qualquer candidato. O apoio de Lula faria 53,9% do eleitorado desistir de votar em seu escolhido.

Vade retro - O apoio do ex-governador e ministro Jaques Wagner (Defesa) é menos ruim: garantirá o afastamento de 46,2% dos eleitores de um candidato.

A queridinha - O apoio mais ambicionado em Salvador é o de Marina Silva (Rede). Ela acrescenta 40,1% de votos para o candidato que recomende.

Mais ou menos - O tucano Aécio Neves está bem melhor que Lula, em Salvador: apenas 24,3% dos eleitores rejeitariam o apoio dele a um candidato. (Coluna de Cláudio Humberto).

Fonte: jornaldamidia

BRASIL: LADEIRA A BAIXO - Setor público tem pior resultado da história para junho e 1º semestre

7/31/2015 12:12:00 PM
Imagem de Internet - Abril
As contas de todo o setor público – o que inclui o governo, estados, municípios e empresas estatais – registraram em junho o pior resultado da série histórica do Banco Central, que começa em dezembro de 2001. O resultado para os primeiros seis meses do ano também é o pior para um primeiro semestre, segundo números divulgados pelo BC nesta sexta-feira (31).
Somente em junho, foi registrado um déficit primário (receitas menos despesas, sem a inclusão de juros) de R$ 9,32 bilhões. Até então, o pior resultado, para meses de junho, havia sido registrado no ano passado – quando foi contabilizado um déficit de R$ 2,1 bilhões.
RESULTADO PRIMÁRIO
Para meses de junho, em R$ bilhões
4,11,67,267,628,718,3610,373,362,1713,362,795,42-2,1-9,3200520102015-15-10-5051015
Fonte: BC
No primeiro semestre, ainda de acordo com o BC, as contas ficaram no azul, com superávit de R$ 16,22 bilhões. Trata-se, porém, menor superávit da série histórica do Banco Central.
Com o fraco resultado das contas públicas no primeiro semestre deste ano, houve, em doze meses até junho, um déficit primário de R$ 45,69 bilhões, ou 0,8% do Produto Interno Bruto (PIB) – também o pior resultado da série histórica para este indicador.
"Naturalmente, o resultado do mês e do semestre refletem um quadro em que a atividade econômica sobretudo repercute no desempnho fiscal [das contas públicas], a despeito das medidas adotadas para recuperação e receitas e conteção de despesas. Há um impacto significativo da atividade econômica sobre a arrecadação e sobre as receitas, que se reflete nesse desempenho no período", avaliou o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel.
Acompanhamento pelas agências de classificação de risco
Quando se incorpora os juros da dívida pública na conta, no conceito conhecido no mercado como "nominal", que é acompanhado com atenção pelas agências de classificação de risco na determinação da nota dos países, houve déficit de R$ 462 bilhões em doze meses até junho, o equivalente a expressivos 8,12% do PIB. Trata-se, também, do pior resultado da história e foi a primeira vez que a barreira dos 8% do PIB foi rompida.
Se fechar em 8% do PIB em 2015, o déficit nominal brasileiro ficaria abaixo, neste ano, de acordo com projeções do Fundo Monetário Internacional, de nações como Bahrein (déficit de 9,8% do PIB), Antigua (-10,5% do PIB), Algéria (-12,5% do PIB), Brunei (-15,6% do PIB), República do Djibuti (-13% do PIB), Egito (-11,7% do PIB), Guinea Equatorial (-21,4% do PIB), Eritreia (-12,18% do PIB), Guiné (-10,1% do PIB), Iraque (-9,9% do PIB), Líbia (-68% do PIB) e Venezuela (-19,9% do PIB), entre outros.
No caso da dívida bruta do setor público, uma das principais formas de comparação internacional (que não considera os ativos dos países, como as reservas cambiais) – conceito também acompanhado pelas agências de classificação de risco – o endividamento brasileiro subiu em junho. Em maio, estava em 62,5% do PIB (R$ 3,53 trilhões), passando para R$ 3,58 trilhões, ou 63% do PIB, em junho deste ano, também o pior resultado da história. Alguns bancos já projetam a dívida bruta em 70% do PIB nos próximos anos.
RESULTADO PRIMÁRIO
Para primeiros semestres, em R$ bilhões
30,1437,1947,3157,6451,8163,3180,2136,0942,0578,1865,6552,1529,3816,22200520102015020406080100
Fonte: BC
A equipe econômica trabalha para que a nota brasileira, concedida pelas agências de classificação de risco, permaneça no chamado "grau de investimento" – que é um tipo de recomendação para investimento. Perdendo essa nota, as regras de vários fundos de pensão de outros países impediriam o investimento no Brasil, o que dificultaria a capacidade de o país, e das empresas do setor privado brasileiro, buscarem recursos no exterior - aumentando subsequentemente os juros destas operações.
"'Investment grade' não passa simplesmente pela situação fiscal. Claro, é relevante, mas isso é avaliado junto com uma série de outros fatores. Há uma série de ações de política econômica em curso, buscando ajustar. É um ano de transição. A perspectiva é obter um ambiente macroeconômico mais favorável a frente, que dará suporte ao crescimento sustentável", avaliou Maciel, do Banco Central.
Meta para contas públicas
Na semana passada, o governo formalizou a a redução da meta de superávit primário de suas contas para todo este ano – procedimento que já era esperado pelos analistas do mercado financeiro devido, principalmente, pela redução da arrecadação. O superávit primário é a economia que o governo faz para pagar os juros da dívida pública. Para todo o setor público, o que inclui ainda os estados, municípios e estatais, a meta fiscal para este ano caiu de R$ 66,3 bilhões (1,2% do PIB) para R$ 8,7 bilhões (0,15% do PIB).
Medidas
Para tentar atingir as metas fiscais, além de aumentar tributos sobre combustíveis, automóveis, empréstimos, importados, receitas financeiras de empresas, exportações de produtos manufaturados, cerveja, refrigerantes e cosméticos, o governo também atuou na limitação de benefícios sociais, como o seguro-desemprego, o auxílio-doença, o abono salarial e a pensão por morte, medidas já aprovadas pelo Congresso Nacional.
Além disso, efetuou um bloqueio inicial de R$ 69,9 bilhões no orçamento deste ano, valor que foi acrescido de outros R$ 8,6 bilhões na semana passada. As principais rubricas afetadas pelo contingenciamento do orçamento de 2015 são os investimentos e as emendas parlamentares.
"A despeito das medidas adotadas desde o início do ano para recuperar receitas e conter despesas, a fragilidade da atividade econômica se impôs em termos de arrecadação", disse Tulio Maciel, do BC.
tópicos:

BRASIL: Petrobras recebe mais R$ 69 milhões desviados em esquema de propina

7/31/2015 11:58:00 AM
Petrobras recebe mais R$ 69 milhões desviados em esquema de propina
Foto: José Cruz/Agência Brasil
A Petrobras recebeu nesta sexta-feira (31) mais R$ 69 milhões decorrentes do esquema de propina descoberto pela Operação Lava Jato. A devolução ocorreu na sede da estatal, no centro do Rio, em uma cerimônia com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e do presidente da Petrobras, Aldemir Bendine. Os recursos devolvidos equivalem a 80% de um total dos US$ 29 milhões (R$ 86,9 milhões) repatriados pelo Ministério Público Federal (MPF) da Suíça e que foram devolvidos pelo ex-gerente da estatal Pedro Barusco, em decorrência de acordo de delação premiada no âmbito das investigações em andamento. Segundo a Agência Brasil, os outros 20% referentes ao total repatriado ficarão à disposição da Polícia Federal para possíveis indenizações que vierem a surgir após a ação condenatória. Os recursos repatriados dizem respeito a propinas recebidas por Barusco, de 1999 a 2012, decorrentes de contratos com a empresa holandesa SBM, fornecedora de navios-plataforma. O presidente da Petrobras informou que durante a cerimônia foi assinado outro contrato para a devolução de mais recursos repatriados no âmbito da Lava Jato, mas não soube dizer o valor total. "[Os números] ainda estão sendo finalizados e são várias as ações ainda em fase de consolidação”, explicou Aldemir Bendine.“O que esses criminosos fizeram além de barbaramente saquear os recursos da empresa foi retirar da sociedade brasileira o seu orgulho. Com esse sinal, a gente pretende reverter esse quadro e permitir que possamos de novo ter o orgulho, recupera nosso orgulho”, completou Rodrigo Janot.

Fonte: BN

MANCHETE DOS JORNAIS HOJE - SEXTA-FEIRA 31/07

7/31/2015 04:29:00 AM
A Tarde: Dilma reúne governadores e diz que pior já passou
- Correio*: Militar acusado de mandar matar adolescente é preso
- Tribuna da Bahia: Dilma propõe a governadores pacto nacional pela redução de homicídios
- Estadão: ‘Sou ameaçada insistentemente’, diz advogada
- Folha de S. Paulo: Governo tem déficit inédito no 1º semestre, de R$ 1,6 bi
- O Globo: Advogada diz ter sido ameaçada após delator acusar Eduardo Cunha
Fonte: politicalivre

GIRO DE NOTICIAS - PRINCIPAIS JORNAIS E REVISTAS

7/31/2015 04:27:00 AM
31 de julho de 2015
O Globo

Manchete : Governadores dão apoio ao ajuste fiscal de Dilma
Todos os estados se unem contra propostas que aumentam gastos

Encontro também discutiu divisão de receitas e ações integradas na segurança e contra violência no trânsito

A quatro dias do fim do recesso do Congresso, a presidente Dilma conseguiu ontem apoio de todos os estados ao ajuste fiscal. Com a expectativa de votação de projetos que aumentam os gastos públicos, o Planalto obteve de 26 governadores e um vice-governador o compromisso de mobilizar as bancadas estaduais para aprovar o ajuste e derrubar propostas que elevam despesas. Três governadores chegaram a propor a defesa do mandato de Dilma, mas não conseguiram dar prosseguimento ao debate. Geraldo Alckmin (PSDB), de São Paulo, afirmou que o tem a não foi discutido e que o que ele defende é “investigação e investigação”. (Pág. 3)

País tem déficit no semestre pela 1ª vez
Com receita em queda e gastos em alta, pela primeira vez em 18 anos o governo teve déficit primário, de R$ 1,597 bilhão, no semestre. (Pág. 19)
Advogada se diz ameaçada por CPI
Ex-defensora de delatores da Lava-Jato afirma que pressão aumentou após Camargo acusar Cunha

Advogada há 18 anos e maior especialista do Brasil em delação premiada, que fechou acordo por 9 dos 22 delatores da Lava-Jato, Beatriz Catta Preta disse ontem , em entrevista ao “Jornal Nacional”, da TV Globo, que foi intimidada por integrantes da CPI da Petrobras . Por zelar pela segurança da família, afirmou, ela decidiu encerrar a carreira. Segundo Catta Preta, a intimidação aumentou após o consultor Júlio Camargo, um de seus clientes, ter dito que pagou propina de US$ 5 milhões ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha. (Pág. 8)

Rio 2016 - Estudo detecta vírus nas águas
Um estudo encomendado pela Associated Press (AP) afirma que as águas da Baía de Guanabara, da Lagoa e de Copacabana, que sediarão provas nas Olimpíadas, estão contaminadas por vírus e bactérias. Segundo a pesquisa, atletas correm risco de contrair doenças. O Comitê Rio 2016 alegou que a qualidade está dentro dos padrões. (Pág. 9)

Segurança terá 85 mil homens

O Rio terá, nas Olimpíadas de 2016, o maior esquema de segurança da História da cidade, com 47 mil policiais e bombeiros, além de 38 mil homens das Forças Armadas. (Pág. 10)

Ensino ainda abaixo da média
Exame da Unesco em países da América Latina mostra que alunos brasileiros do ensino fundamental têm baixo desempenho em matemática, leitura e ciências. (Pág. 25)
CBF apoia Zico na candidatura à Fifa (Pág. 29)


Merval Pereira
Cunha terá batalha de vida ou morte após o recesso. (Pág. 4)
Míriam Leitão
Juros cobrados pelos bancos são uma anomalia. (Pág. 20)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete : Governo corta mais verba do PAC e da área social
Saúde e Educação perderam R$ 2,18 bilhões; Cidades foi o mais atingido

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) foi o principal alvo dos cortes adicionais do governo no Orçamento deste ano. Foram contingenciados mais R$ 4,66 bilhões do programa. Esse valor representa 55% do total do corte de despesas do Executivo, que soma R$ 8,47 bilhões. Emendas parlamentares também foram atingidas - R$ 327,1 milhões congelados. O ministério mais afetado foi o da Cidades, com R$ 1,32 bilhão contingenciado. Já as pastas da Saúde e da Educação perderam R$ 1,18 bilhão e R$ 1 bilhão, respectivamente. Segundo o governo, as duas áreas tiveram cortes abaixo da média geral. "O corte é preponderante em custeio, preservando investimento no máximo possível", disse o secretário do Tesouro Nacional, Marcelo Saintive. Nos demais Poderes, a tesoura foi de R$ 77 milhões no Judiciário, R$ 28 milhões no Ministério Público da União, R$ 16 milhões no Legislativo e R$ 2 milhões na Defensoria Pública da União, somando R$ 125, 4 milhões. (Economia / Pág. B1)

Contas do governo têm déficit

O governo fechou o semestre com déficit de RS 1,59 bilhão nas contas, o primeiro para o período desde o início da série histórica, em 1997. Em junho, o saldo negativo foi de R$ 8,2 bi. (Pág. B3)

Dilma reúne governadores e pede 'cooperação'
A presidente Dilma Rousseff pediu a governadores "cooperação" e disse que eles têm "dever em relação à democracia". Em reunião no Alvorada, Dilma afirmou que sabe "suportar pressão e até injustiças". O encontro foi uma tentativa de garantir governabilidade à gestão abalada por crises e ameaça de impeachment. Ela também falou em ajuda dos Estados para evitar aprovação no Congresso de projetos que aumentam os gastos. (Política/ Pág. A4)

Levy garante verba a Estados

Ministro Joaquim Levy, da Fazenda, avisou os governadores que a União vai liberar autorizações de financiamentos para minimizar impacto da crise nos caixas estaduais. (Pág. A5)

'Sou ameaçada insistentemente', diz ex-advogada de delatores
A criminalista Beatriz Catta Preta afirmou ao Estado que renunciou à defesa dos delatores da Operação Lava Jato porque teme sofrer algum tipo de violência. "Sou ameaçada de forma velada, insistentemente, por pessoas que se utilizam da mídia para tanto, bem como pelas declarações de políticos membros da CPI", afirmou. Ontem, o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, aceitou pedido que a desobriga de depor na CPI da Petrobrás sobre honorários. (Política / Pág. A7)
Para defesa de lobista, deputados agem como gangue 
A defesa do lobista Julio Camargo, que denunciou na Operação Lava Jato propina de US$ 5 milhões ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha, afirmou que o peemedebista e outros investigados agem com a "lógica da gangue" e a CPI da Petrobrás tem tentado "desmoralizar a investigação". (Política/ Pág. A6)
Estado rompe contrato de obras da Linha 4 do Metrô
O governo do Estado anunciou a paralisação das obras da Linha 4 - Amarela do Metrô, ramal que começou a ser construído em 2004 e ainda tem quatro estações inacabadas (Higienópolis/Mackenzie, Oscar Freire, São Paulo/Morumbi e Vila Sônia). Não há mais prazo para entrega total da linha, que um dia ligará Luz e Vila Sônia. (Metrópole/ Pág. 14)
Haddad recua de fechamento das Marginais 
Sete horas depois de o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, dizer que estudava fechar as pistas expressas das Marginais durante a madrugada, o prefeito Fernando Haddad (PT) desautorizou a medida. (Metrópole/ Pág. A15)
Rio-2016 banca provas em águas da Guanabara (Esportes/Pág. A20)


Fernando Gabeira
Viúvas e desempregados

A tendência, além do aumento do desemprego e das tensões sociais, é a da multiplicação de ruínas, por falta de investimento. (Espaço Aberto/Pág. A2)

Eliane Cantanhêde
Eu sou vocês amanhã

Dilma lembrou aos governadores que conquistou seu mandato democraticamente. Soou assim: se me derrubam hoje, amanhã podem ser vocês. (Política/Pág. A6)

Notas&Informações
BC mostra firmeza na crise

Copom deu à sociedade e aos investidores o recado necessário e mais prudente neste momento. (Pág. A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete : Piratini deve pagar hoje salário até R$ 2,5 mil
Até a noite de ontem, governo Sartori ainda esperava recursos para definir corte exato
Valores acima do limite serão pagos em parcelas em agosto, em calendário ainda não divulgado
(Notícias | 10 e 23)

Jornada por apoio
No dia em que o governo federal registrou déficit histórico no primeiro semestre, Dilma Rousseff recebeu governadores e ganhou adesão contra "pautas-bomba" no Congresso. (Notícias | 12, 20 e 25)
Entrevista | José Eduardo Cardozo
"Não há base jurídica para impeachment"

Ministro da Justiça afirma que a presidente Dilma concluirá mandato. (Notícias | 6 e 7)

Audiência para acelerar a Justiça
Presidente do STF quer reduzir à metade prisões provisórias. (Notícias | 18)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete : Governo tem deficit inédito no 1° semestre, de R$ 1,6 bi
Saldo negativo nas contas reflete queda da arrecadação e dificuldade de economizar para pagar dívida

O governo federal teve um deficit primário inédito em suas contas no primeiro semestre, o que reflete a dificuldade da União de economizar para pagara sua dívida em meio à queda da arrecadação de impostos. A diferença entre despesas e receitas foi de R$1,598 bilhão, no primeiro saldo negativo nas contas do governo federal para o período desde pelo menos 1997, quando começa a série do Tesouro Nacional. Para o governo, a queda da arrecadação é explicada pelo fraco desempenho da economia e também demonstra que, diante das incertezas, parte das empresas tem prorrogado o pagamento de seus impostos. Só em junho as contas tiveram um rombo de R$ 8,2 bilhões. No mês, a arrecadação da Receita Federal sofreu queda real (descontada a inflação) de 2,44% na comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo o secretário do Tesouro, Marcelo Saintive, os meses de junho a agosto têm resultados menos expressivos e o saldo acumulado não indica que a meta de 0,15% do PIB deixará de ser atingida. (Mercado Al5)

Presidente pede aos governadores ajuda para superar crise 
Em encontro com governadores, a presidente Dilma pediu ajuda para superar a crise. A petista admitiu que o Brasil passa por dificuldades econômicas e defendeu que todos as enfrentem "juntos". Quer dividir com eles a responsabilidade de evitar a aprovação pelo Congresso de pautas que gerariam mais despesas ao país. (Poder A4)
Ex-advogada de réus do petrolão diz que CPI a fez deixar a carreira 
Beatriz Catta Preta, responsável por nove acordos de delação de investigados na Lava Jato, disse ao "Jornal Nacional" se sentir intimidada por membros da CPI da Petrobras, que a convocaram a depor. Ela decidiu se afastar do caso e abandonar a carreira de advogada. O presidente do STF, Ricardo Lewandowski, a liberou de prestar esclarecimentos à comissão. (Poder A7)

Entrega de estações da linha 4 do metrô de SP atrasará 1 ano 
A quebra do contrato entre o governo Alckmin e o consórcio Isolux Córsan-Corviam empurrará a inauguração de duas estações de metrô da linha 4 de 2016 para ao menos 2017 — nova licitação será aberta até setembro. Para o Metrô, o consórcio desrespeitou prazos. Já o grupo diz que o Metrô tem "limitações gerenciais". (Cotidiano B1)
Maioria do país tem medo de sofrer violência policial, aponta Datafolha (Cotidiano B4)


Ricardo Balthazar
Fala de Dilma tende a reduzir ainda mais a sua credibilidade

Em seu discurso para governadores, Dilma disse que o crédito voltará a ser abundante e que está preparando o país para um novo ciclo de expansão do consumo. Com um discurso tão irrealista, é provável que essa encenação sirva apenas para reduzir ainda mais sua credibilidade como interlocutora. (Opinião A2)

Editoriais
Leia "A outra ponta", a respeito de nova fase da Operação Lava Jato, e "Diversionismo perigoso", acerca de disputa entre Guiana e Venezuela. (Opinião A2)

Fonte: radiobrás

OPINIÃO DO LEITOR :Riacho dos Paes, Sento-Sé/BA!... Notícia Pra Lá de Boa!!

7/31/2015 04:12:00 AM
Foto: Laurenço Aguiar
Está chegando, provavelmente hoje, 30 de julho, água através do “histórico” Sistema de Abastecimento, feito pelo Governo Federal, a partir de mais ou menos 2005/2006, o bem precioso sai da sede municipal há 18 km do povoado, indo até ao povoado Capeado (24 km)...
Quando o então diretor nacional da Codevasf, anunciou na sede da 6ª Superintendência em Juazeiro, a disponibilização do recurso no orçamento do Ministério da Integração Nacional as prefeituras foram chamadas pra discutir a questão, foi definido uma “Força Tarefa” - formando um coletivo Codevasf/Prefeituras para fazer levantamento de informações para a elaboração dos Projetos Técnicos...
O Corpo de Engenharia da Codevasf disponibilizou ilustres figuras humanas e exemplares profissionais para a empreitada, e que, me lembro de muitos deles; Chaves; Amâncio; Virgulino; Fernando; Hélio; Joselito; Nelma; Carlos Santana; a então superintendente Ana Angélica; e têm mais gente que não lembro o nome!... Oportunamente eu agradeço a todos, em nome da cidadania municipal envolvida diretamente ou não!
Os 16 Sistemas de Abastecimento, mesmo em atraso e debaixo de justas críticas estão sendo entregues!... As figuras municipais que contribuíram para isso terão seus nomes lembrados, reconhecidos, criticados, principalmente, na continuidade do debate...
É preciso comemorar, festejar, bradar, pois, a obra específica, citada, resolve, e/ou, ameniza um problemão, que só o futuro da comunidade pode/poderá mostra de forma clara e objetiva!!!
 Laurenço Aguiar – Filho da Comunidade Riacho dos Paes.
NOSSO PONTO DE VISTA: O MAIS IMPORTANTE:
É que a sofredora  população do Riacho dos Paes e outras comunidades, passarão a contar, merecidamente, com água potável de qualidade. 
A lembrança dos nomes das "figuras municipais" que contribuíram, fizeram o seu dever. Por exemplo:
Em 22/05/2009, o até então Presidente da CODEVASF, Orlando Castro, teve uma reunião com o Prefeito Ednaldo Barros no canteiro da obra em Sento Sé e disse: "... O prefeito Ednaldo Barros nos solicitou que o Povoado de Riacho dos Paes seja a primeira comunidade a ser atendida. 
Após dezenas de reivindicações, audiências nos gabinetes da prefeitura, da Codevasf, Ministério da Integração, reportagens do nosso portal "www.sentoseagora.com.br", e etc, a pedido do Vereador Uemissom Almeida e aprovação dos demais, foi realizada uma proveitosa audiência publica para tratar do assunto dos Sistemas de Abastecimentos de Água das 15 localidades, que deveriam ser concluídos 360 dias após o seu inicio em 18/10/2010, efetivamente iniciada em 15/02/2011 (segundo a Codevasf).
Reivindicado pelo prefeito Ednaldo Barros ao até então Ministro da Integração Nacional, Gedel Vieira Lima, foi disponibilizado os recursos e efetivada a parceria entre a Prefeitura de Sento Sé e Governo Federal em Agosto de 2010. 
No ultimo dia 22 de Julho, o prefeito Ednaldo Barros recebeu os representantes do MAB - Movimento dos Atingidos por Barragens,  que faziam reivindicações a nivel de Estado, Governo Federal e questões municipais. Na oportunidade,  a representante da CODEVASF, Drª Priscila, em pelo menos duas oportunidades elogiou o Prefeito, o Vice-prefeito e a administração, dizendo que a Prefeitura tem sido uma grande parceira na solução dos problemas impeditivos para funcionamento dos sistemas, inclusive manifestou interesse em concluir alguns, exemplo: Riacho dos Paes e Piçarrão com recursos próprios, não aceitos por questões judiciais. Nesse encontro, o Prefeito Ednaldo Barros, via ligação telefônica com a Superintendência da Coelba, solicitou agilidade na ligação das redes de três sistemas prioritários: Piçarrão, Riacho dos Paes e Itapera.
Como se vê, os demais também tiveram papel importante e valioso. O mais importante de tudo, é que as comunidades tenham água potável de qualidade, por consequência, melhoria no padrão de vida e saúde.
RECURSOS DO GOVERNO FEDERAL
É o minimo para o Governo  Federal QUE tem a obrigação de fazer. Devolver parte dos impostos pagos pela população de Sento Sé ao longos dos anos em forma de obras. 80% dos impostos pagos pelos brasileiros, vão diretos com os cofres da União. É o sistema de arrecadação implantado no pais. De Janeiro até hoje já foram arrecadados pela Receita Federal nada mais que R$. 1 Trilhão, 169 Bilhões, 521 milhões e outros trocados e até o final do ano deverá chegar a marca de 1,7 trilhão de reais. A arrecadação de impostos pelo Governo Federal subiu 231% nos últimos 10 anos.
Finalmente, como diz Laurenço, é preciso comemorar.


quinta-feira, 30 de julho de 2015

BRASIL: CONFIANÇA NO CONGRESSO E EM DILMA DESPENCAM, ADIANTA JORNAL

7/30/2015 06:38:00 AM

O Ibope divulgará em breve o Índice de Confiança Social de 2015, termômetro de quanto o Brasil confia em suas instituições. Ou melhor, desconfia. Segundo informações do Estadão, tanto a presidente Dilma Rousseff, quanto o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, tiveram desempenho ruim na pesquisa. Numa escala em que 0 é desconfiança total e 100 implica confiança absoluta, ambos empataram em míseros 22 pontos.

A confiança na instituição Presidência, comandada por Dilma, caiu pela metade desde 2014. Tinha 44 e perdeu 22 pontos. Já a nos congressistas chefiados por Cunha e Renan Calheiros perdeu 13 dos 35 pontos que tinha. Uma votação de impeachment da presidente será o roto decidindo o destino do esfarrapado.

É a primeira vez, em sete anos de pesquisa, que a Presidência não é mais confiável para a população do que o Congresso. O auge de ambas as instituições foi em 2010, ainda sob Luiz Inácio Lula da Silva, quando a primeira marcou 69 pontos, e o Legislativo, 38. Em 2013, no pico dos protestos de rua, ambos perderam muita confiança do público e chegaram ao seu patamar mais baixo até então: 42 e 29 pontos, respectivamente. Recuperaram-se levemente em 2014 (foram a 44 e a 35), apenas para cair mais baixo agora.

Dilma quebrou outro recorde. Pela primeira vez, a instituição que representa, a Presidência da República, é menos confiável do que o governo que dirige. De 2009 a 2012, a Presidência ficou de 7 a 13 pontos acima do governo federal. O presidente tinha mais prestígio do que sua equipe. Após a avalanche das ruas solapar a popularidade presidencial em 2013, essa diferença caiu a um ponto, e permaneceu assim em 2014. Este ano, a confiança no governo está 8 pontos maior do que na presidente: 22 a 30.

Fonte: Bahiaeconomica

RESUMO DOS JORNAIS HOJE

7/30/2015 06:33:00 AM
30 de julho de 2015
O Globo

Manchete : Lava-Jato tem mais seis delatores e 13 novos réus
Juiz aceita denúncia contra dirigentes da Andrade Gutierrez

Nomes de cinco testemunhas são mantidos em sigilo pela Justiça no Paraná

A Lava-Jato formalizou seis novos acordos de delação premiada nos últimos dias, cinco deles mantidos em sigilo. O consultor Mário Goes, intermediário de pagamento de propinas da corrupção na Petrobras, foi o primeiro desse novo grupo a ser ouvido. Ele confessou que repassava dinheiro de empreiteiras para ex-diretores da estatal por meio de contas na Suíça. O PT seria beneficiário do esquema. Ontem, o juiz Sérgio Moro aceitou a denúncia do Ministério Público contra o presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, e mais 12 acusados pelos crimes de corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. (Pág. 3)

Juro sobe e eleva dívida do governo
O Banco Central aumentou a taxa básica de juros em 0,5 ponto percentual, para 14,25% ao ano, o maior nível desde 2006. Num momento de ajuste fiscal, a elevação terá impacto de R$ 7 bilhões no custo da dívida federal em 12 meses. (Pág. 21)
Aposentados - Dilma vai vetar hoje reajuste
A presidente Dilma vetará hoje a proposta, aprovada pelo Congresso, que amplia para aposentados a regra de reajuste do salário mínimo. (Pág. 11)
‘Pedaladas fiscais’ - No TCU, tentativa de amenizar tom
A ala governista do TCU, já à espera de derrota, defende que o tribunal aprove parecer mais brando sobre as “pedaladas" do governo Dilma. (Pág. 9)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete : Juro sobe 0,5 ponto, para 14,25%, maior taxa em 9 anos
BC diz que decisão é necessária para inflação atingir meta em 2016; um dos diretores deixou de votar

O Banco Central elevou a taxa básica de juros em 0,50 ponto porcentual. No sétimo aumento consecutivo, a Selic chegou a 14,25% ao ano, o maior nível desde agosto de 2006. A decisão foi unânime, mas não teve o voto do diretor Tony Volpon, que deixou de participar ontem. Na semana passada, ele disse que votaria de novo pelo aumento dos juros. O Comitê de Política Monetária (Copom) justificou a decisão dizendo que "a manutenção desse patamar da taxa básica de juros, por período suficientemente prolongado, é necessária para a convergência da inflação para a meta no final de 2016". Até a semana passada, parte dos analistas do mercado financeiro esperava alta de 0,25 ponto. Mas as apostas migraram para 0,50 depois da redução da meta de superávit pelo governo e de o diretor de Política Econômica do BC, Luiz Awazu, dizer que é preciso manter a cautela. (Economia / Pág. B1)

Deputados usam CPI contra delator de Cunha
Formada majoritariamente por aliados do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a cúpula da CPI da Petrobrás solicitou à empresa de espionagem Kroll que priorize investigação sobre Julio Camargo, que acusa o peemedebista de ter pedido propina de US$ 5 milhões. A intenção é desqualificar a delação premiada do lobista, mostrando evidências de que ele não contou toda a verdade e, portanto, descumpriu acordo firmado com a Justiça. Contrato de R$ 1,18 milhão firmado pela CPI com a Kroll prevê investigação de 15 pessoas. (Política / Pág. A4)
Presidente da Andrade vira réu
A Justiça abriu ação penal contra o presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, e mais 12 investigados na Operação Lava Jato. Ele e quatro executivos da empreiteira responderão por corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro. (Pág. A6)
Dilma veta nova regra de reajuste de aposentadorias
A presidente Dilma Rousseff vetou texto aprovado pelo Congresso que incorporou regra de reajuste do salário mínimo, com índices acima da inflação, a benefícios e aposentadorias concedidos pelo INSS. A alegação é de que a mudança comprometeria as contas previdenciárias. (Economia/Pág. B4)
Pesquisa revela desconfiança nos políticos
Medido pelo Ibope, o Índice de Confiança Social de 2015 mostra que o Congresso e Presidência da República empataram em 22 pontos, numa escala de 0 a 100, relata José Roberto de Toledo. A confiança na Presidência caiu pela metade em um ano e nos parlamentares perdeu 13 pontos. Mas os recordistas em desconfiança são os partidos, que foram de 30 a 17 pontos. (Política/Pág. A6)

País fecha compra de 36 caças suecos
O Brasil acertou a aquisição de 36 caças Gripen NG suecos por cerca de US$ 5 bilhões. O financiamento teve juros reduzidos, o que deverá gerar economia de R$ 600 milhões. (Política/ Pág. A10)

Anvisa quer sal e açúcar em rótulo
Novo presidente da Anvisa, Jarbas Barbosa defende mudar embalagens para facilitar identificação de alimentos com alto teor de sal, açúcar e gordura. (Metrópole/Pág. A16)

Oliveiros S. Ferreira
Os limites do direito

Se na crítica às sentenças condenatórias e ao governo houver um mínimo de real espírito público, será possível vencer a crise sem afrontar as instituições. (Espaço Aberto/ Pág. A2)

Veríssimo
Retrocesso

A ideia da maioridade penal pré-natal é, no mínimo, coerente com o retrocesso generalizado em curso no País, onde até a UDN voltou, disfarçada. (Caderno2/Pág. C10)

Celso Ming
Mais arrocho

Se juros básicos subirem e outros subsídios praticados no crédito, como os que compõem prestações habitacionais, ficarem nos mesmos níveis, a política monetária perderá ainda mais eficácia contra a inflação. (Pág. B2)

Notas&Informações
É hora de agir, lembra a S&P

Nenhum investidor ficará sentado à espera de solução para os desarranjos da economia brasileira. (Pág. A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete : Juro vai a 14,25% para frear crédito e segurar inflação
Taxa básica da economia é aumentada pela sétima vez consecutiva pelo Banco Central e atinge o maior nível em nove anos (Notícias|29 e 33)
Presidente da Andrade Gutierrez e mais 12 viram réus
Sergio Moro diz que há provas de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa (Notícias |14)
Lobista Mário Góes detalha esquema com empreiteiras
Delator, o 19° a assinar acordo com a Justiça, pode ter movimentado R$ 6,4 milhões apenas com duas empresas (Notícias|14)

RS não cobra e multas ambientais prescrevem
Crimes como queimadas e desmatamento não foram julgados pela Secretaria do Ambiente porque a junta que deveria analisar os recursos não funcionou por três anos (Notícias|10 e 11)

Servidores ameaçam paralisar se salários forem parcelados
Crise financeira deve levar Executivo a anunciar amanhã atraso da folha de pagamento (Notícias| 12 e 16)

------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete : BC eleva juros a 14,25 % e diz ter encerrado o ciclo de altas
Autoridade monetária deve manter taxa básica anual nesse patamar para levar inflação ao centro da meta

O Comitê de Política Monetária do Banco Central elevou a taxa básica de juros (Selic) em 0,5 ponto percentual, para 14,25% ao ano, o maior valor desde 2006. Foi o sétimo aumento consecutivo desde a reeleição da presidente Dilma Rousseff. Com a alta, o BC busca inibir o consumo para desacelerar a economia e evitar que os preços subam. A instituição indicou a suspensão do ciclo de altas, mas que será preciso manter a taxa nesse patamar por “período suficientemente prolongado.” O objetivo é trazer a inflação para o centro da meta (4,5%). A prévia do índice oficial (IPCA) atingiu, nos 12 meses terminados em julho, 9,25% — maior patamar desde dezembro de 2003. Para especialistas, o consumidor deve evitar fazer dívidas. A decisão do Copom foi anunciada em um momento em que a atividade econômica aprofunda a recessão e o dólar e o reajuste de tarifas pressionam a inflação. De acordo com analistas, o PIB (Produto Interno Bruto) recuará 1,76% em 2015. Os juros chegam ao mesmo nível de outubro de 2006, mas naquele momento estavam em queda — o BC, com um cenário de inflação contida, dava continuidade ao processo de redução da Selic. O IPCA naquele ano foi de 3,14 %. (Mercado a13)

Presidente vetará reajuste maior de aposentadorias
Para conter despesas, a presidente Dilma vetará o texto aprovado pelo Congresso que estende a política de valorização do salário mínimo, a qual inclui ganhos acima da inflação, a todos os beneficiários do INSS. Os aposentados que recebem acima de um mínimo continuarão a ter o valor reajustado pelo INPC. (Mercado a19)
Médicos do SUS são investigados em 9 Estados por supostas fraudes
Em ao menos nove Estados e no Distrito Federal, órgãos como Tribunais de Contas, Ministérios Públicos e a Polícia Federal apuram casos de médicos que batem ponto e vão embora, atendem em clínicas particulares quando deveriam estar em hospitais públicos ou registram mais horas trabalhadas. Em muitos dos casos, as fraudes têm o consentimento da direção dos hospitais. (Cotidiano B1)
PT pagou R$ 6 mi a gráfica chefiada por um motorista
A campanha à reeleição de Dilma Rousseff pagou R$ 6,15 milhões à Seg Gráfica e Editora, que não tem funcionários registrados e cujo presidente é um motorista que em 2013 ganhava R$ 1.490 à época. A Justiça Eleitoral suspeita que a empresa não tem estrutura para prestar os serviços contratados. O Planalto nega irregularidades. (Poder a7)
Justiça torna réus dois executivos da Andrade Gutierrez
O juiz Sergio Moro aceitou denúncia contra13 pessoas, entre elas Otávio Marques de Azevedo, presidente da Andrade Gutierrez, sob acusação de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Segundo a Procuradoria, a empreiteira pagou R$ 243 milhões por vantagens indevidas na Petrobras. A empresa nega. (Poder a5)
Caos na saúde pode levar Venezuela a crise humanitária
O colapso da saúde pública na Venezuela, com escassez de remédio e alta mortalidade materna, está levando o país a uma crise humanitária e pode atingir países vizinhos, diz o centro de estudos International Crisis Group. O governo venezuelano não comentou. (Mundo a12)
Monica B. de Bolle
Dilma matou a borboleta; restou ao Brasil a lagarta

Há quatro anos e sete meses, o Brasil escolheu o caminho que desaguou na pior crise econômica em 20 anos. A presidente Dilma inoculou a economia com o vírus da letargia. Matou a borboleta azul. Sobrou a lagarta vermelha, que se transforma, na melhor das hipóteses, numa mariposa cinza. (Mercado a20)

Editoriais
Leia “Candidaturas exóticas”, sobre crise de representatividade do sistema político, e “Complexa China”, a respeito de queda nas Bolsas do país. (Opinião A2)

Fonte: Radiobrás
Home Ads