domingo, 23 de agosto de 2015

BRASIL: NOTICIAS DO DOMINGO

23 de agosto de 2015, 08:00

BRASIL Investigação do TSE sobre Dilma devolve crise para Planalto, diz Lúcio

Foto: Marcela Mattos/Veja
Lúcio Vieira Lima (PMDB)
Aliado do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB) afirmou neste sábado (22) que a decisão do ministro Gilmar Mendes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de pedir ontem investigação de suposta prática de “atos ilícitos” na campanha que reelegeu a presidente Dilma Rousseff em 2014 devolve a crise para o Palácio do Planalto. Na quinta-feira (19), Eduardo Cunha foi denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por suspeita de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras. Nos bastidores, governistas comemoraram a acusação contra Cunha, o que poderia arrefecer a abertura de um eventual processo de impeachment contra Dilma no Congresso. Para Lúcio Vieira Lima, a investigação requerida pelo ministro do TSE à Procuradoria-Geral da República, à Polícia Federal e à Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral para apurar se houve irregularidades em doações eleitorais na campanha da presidente reeleita é mais um sinal de que o foco da crise política é o governo. “O Congresso também percebeu que a única tábua de salvação do Planalto, da presidenta, é desviar o foco”, afirmou o aliado de Cunha, defensor do rompimento imediato com o governo. “O Planalto hoje não tem argumentos, posições para sair da crise”, completou. Vieira Lima saiu em defesa do vice-presidente e presidente do PMDB, Michel Temer, que foi citado em delação premiada do lobista Júlio Camargo. Para o deputado, a citação a Temer é um “tititi” que não atrapalha o vice-presidente de forma alguma. Embora conste de documentos que instruem a denúncia contra Cunha no STF, Vieira Lima disse que esse tipo de menção consolida a tese de que o PT e o Planalto trabalham sempre para desviar o foco. “Como sempre, tem que se apurar tudo, mas se pegar tudo o que disseram, aí tem que fechar o Brasil”, emendou.
Estadão
23 de agosto de 2015, 07:41

BRASIL Dilma e Barbosa discutem Lei Orçamentária de 2016

Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil
A presidente Dilma Rousseff se reuniu ontem, no Palácio da Alvorada, sua residência oficial, com o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa. O principal tema do encontro foi a Lei Orçamentária de 2016. O projeto precisa ser enviado ao Congresso até o fim deste mês. O encontro se dá apesar de as agendas das duas autoridades não informarem nenhum compromisso oficial neste sábado. Conforme informou o Broadcast no início da semana, a proposta de orçamento de 2016 deve vir acompanhada de um aprofundamento do corte das despesas com programas considerados caros para ministros da presidente Dilma. Do lado das receitas, serão apresentadas novas projeções com expectativas de aumento de arrecadação com a venda de ativos e aumento de impostos. Caso contrário, a conta para elevar o superávit primário das contas do setor público na direção da meta de 0,7% do PIB não fecha.Na semana passada, o relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016, deputado Ricardo Teobaldo (PTB-PE), apresentou parecer do texto, colocando a meta para o ano que vem em linha com o que o governo havia anunciado quando alterou parâmetros econômicos para o País. A meta foi reduzida em 65%, sendo estabelecida em 0,7% do PIB. A LDO serve de base para orientar a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA).
Estadão
23 de agosto de 2015, 07:27

BRASIL PMDB debaterá rompimento com governo em congresso

Foto: Arquivo/Agência Brasil
Ex-ministro Moreira Franco
Um dos principais aliados do vice-presidente e presidente do PMDB, Michel Temer, o ex-ministro Moreira Franco afirmou, neste sábado (22), que não descarta um eventual rompimento do partido com o governo no congresso nacional da agremiação, marcado para o dia 15 de novembro. “Evidentemente que todo congresso é um cenário de muita liberdade, tendo em vista que dentro do partido há pessoas que são favoráveis à coligação ou não. Esse tipo de conflito é muito saudável para ser discutido”, afirmou Franco, presidente da Fundação Ulysses Guimarães. O ex-ministro disse que o fim da aliança não está na pauta, mas destacou que os militantes vão querer discutir o assunto no encontro que marca os 50 anos do partido. Oficialmente, segundo ele, o partido se reunirá para discutir seu programa econômico, que tem sido tocado pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR), e a modernização do seu estatuto a fim de torná-lo mais “democrático. Questionado se a anunciada saída de Temer da articulação política e a denúncia contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), defensor de um rompimento imediato, poderia acelerar a saída do PMDB do governo, Franco esquivou-se de uma resposta conclusiva. “Essa crise, ela tem uma característica que difere das outras que é a velocidade dos fatos. Não sei se eles (os fatos) resistem até o Congresso. Quando vai resolver? Não sei”, opinou. “Se eu soubesse (o que iria ocorrer), estaria ganhando dinheiro”, brincou.
23 de agosto de 2015, 07:10

BAHIA Governo assume gestão de aeroporto usado na 2ª guerra mundial

Foto: Divulgação/ Mateus Pereira-GOVBA
Região com grande potencial turístico, o extremo-sul da Bahia ganhou um novo motivo para atrair visitantes. A administração do Aeroporto do município de Caravelas – antes de poder da Força Aérea Brasileira para fins militares – passou a ser de responsabilidade do Governo do Estado. A transmissão oficial da gestão foi realizada na manhã deste sábado (22), em cerimônia que contou com a presença do governador Rui Costa, de autoridades e membros da sociedade civil.Em tempos de paz, o aeródromo será utilizado para o transporte de passageiros, mais uma alternativa para quem deseja curtir as maravilhas do território conhecido como Costa das Baleias. “O turista vai ter mais facilidade para visitar o extremo-sul. O aeroporto representa o desenvolvimento, mais empregos e renda para a região. Com ele, a economia vai mudar, melhorar muito”, afirmou o governador Rui Costa.Para atender a população, o local passou por requalificação. Serviços de roçagem e limpeza de todo o sítio aeroportuário, instalação de nova cerca patrimonial e nova biruta, correções no Parque de Abastecimento de Aeronaves (PAA), sinalização vertical e restauração do Terminal de Passageiros (TPS) foram realizadas entre 2010 e 2014. As duas pistas também foram recuperadas.Criado há sete décadas pelo Governo brasileiro em acordo com os americanos, o Aeroporto de Caravelas foi um ponto estratégico na segunda guerra mundial. Devido a localização em faixa intermediária do litoral do país, a estrutura funcionou como base aérea militar das forças aliadas. “Este aeroporto era fundamental às forças armadas. Era vital na logística de muitas estratégias. Também era aqui onde eram pensadas manobras de guerra que dependiam de um ponto de abastecimento”, explicou o brigadeiro José Hugo Wolkmer, comandante do segundo comando aero regional, responsável pelo nordeste brasileiro.
23 de agosto de 2015, 06:55

BRASIL Manchetes do Dia

Correio*: Cunha balança, mas diz que fica
A Tarde: STF definirá inclusão de alunos com deficiência
Tribuna da Bahia: Para aumentar receita, estados cogitam elevar IPVA e ICMS
O Estado de S. Paulo: EUA colhe provas da Lava Jato em ação contra Petrobras
Folha de S. Paulo: Saída da presidente traria instabilidade, diz Setubal
22 de agosto de 2015, 20:56

BRASIL Ministro questiona investigação de campanha de Dilma

Foto: PT_São Paulo
Edinho Silva foi também o arrecadador da campanha de Dilma Rousseff
O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva, criticou neste sábado a decisão do ministro Gilmar Mendes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que pediu investigação da campanha da presidente Dilma Rousseff. De acordo com o ministro, a decisão tomada por Gilmar Mendes em relação à prestação de contas da campanha de Dilma será questionada no TSE. Por meio de nota, Silva atacou diretamente o PSDB, partido que entrou com ações que contestam a legitimidade do mandato da petista. “Mais uma vez, líderes oposicionistas procuram, a partir de processo judicial criar, de forma oportunista, um factoide político completamente descabido. Aliás, o PSDB chegou a solicitar até mesmo uma auditoria das urnas eletrônicas, que são sabidamente seguras”, disse. “Desde o final do segundo turno eleitoral, outros três processos estão em curso na Justiça Eleitoral, com o claro objetivo por parte do PSDB de questionar uma vitória eleitoral conquistada legitimamente na eleição presidencial de 2014″, disse. Em despacho encaminhado ontem à Procuradoria-Geral da República (PGR) e à Polícia Federal, Gilmar Mendes indicou “potencial relevância criminal” na campanha petista. O ministro pediu ainda que a Corregedoria-Geral da Justiça eleitoral apure se houve descumprimento das leis eleitorais. Edinho reiterou que todos os recursos financeiros utilizados na campanha da presidente foram arrecadados de forma legal e lícita. “As contas de campanha da Presidenta Dilma foram aprovadas por unanimidade pelo TSE, com parecer favorável, do Procurador Eleitoral do Ministério Público Federal, após rigorosa auditoria”, afirmou. “Felizmente, o Brasil é uma democracia sólida e aqueles que perdem as eleições devem respeitar o resultado das urnas”.
Estadão Conteúdo
22 de agosto de 2015, 19:33

BRASIL Aécio defende que PGR investigue campanha de Dilma

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG) defendeu neste sábado, 22, a decisão do ministro Gilmar Mendes, vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de pedir à Procuradoria Geral da República (PGR) investigação sobre “denúncias de graves ilegalidades no financiamento” da campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição. Para ele, a iniciativa “apenas faz cumprir a legislação”. “Seria extremamente grave se os fortes indícios de utilização de dinheiro proveniente de desvios da Petrobras na campanha de reeleição da atual presidente, corroborados por delação premiada não fossem devidamente apurados”, disse o tucano, em nota. Em despacho do dia anterior, Mendes determinou à PGR e à Polícia Federal a realização de investigações ao indicar que há “potencial relevância criminal” na campanha petista. E citou haver suspeita de que houve uso de dinheiro desviado na Petrobras no financiamento eleitoral da presidente reeleita. O tucano disse que o Brasil confia que tanto a PGR quanto o TSE vão cumprir o seu “papel constitucional, garantindo inclusive o amplo direito de defesa aos acusados, mas não se curvando a quaisquer tipos de pressão ou constrangimento”. “Felizmente, o Brasil é uma democracia sólida, onde as instituições funcionam e a legislação deve ser cumprida por todos, em especial pela presidente da República”, afirmou. O apoio de Aécio e do PSDB no Congresso às ações do TSE contra Dilma faz parte de uma das quatro frentes abertas pelos tucanos no tribunal para tentar realizar novas eleições. Uma eventual condenação pela Justiça Eleitoral atinge a presidente e seu vice Michel Temer, levando a um novo pleito.
Estadão Conteúdo
FONTE: politicalivre
Home Ads