terça-feira, 11 de agosto de 2015

DESTAQUES HOJE DO POLITICA LIVRE

 Renan diz que impedimento de Dilma seria “botar fogo no Brasil”

Foto: Divulgação
Presidente do Senado e do Congresso Nacional, Renan Calheiros (PMDB-AL)
O presidente do Senado e do Congresso Nacional, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse hoje que “as pessoas perguntam sobre impedimento, sobre apreciação de contas dos governos anteriores e desse governo, e eu digo que isso não é prioritário. Porque, na medida que o Congresso tornar isso prioritário, nós estaremos pondo fogo no Brasil. E não é isso que a sociedade quer de nós” . Renan fez a declaração após reunião em sua residência oficial, na qual recebeu diversos ministros do governo federal. A reunião serviu para que Renan definisse com os ministros da área econômica e outros uma agenda para a retomada do crescimento econômico e outras reformas que sejam necessárias para o país após a crise. Na opinião dele, essa agenda deve ser ampla a ponto de reunir as forças políticas em torno dela. “Eu acho que agenda tem que tratar de tudo, da reforma do estado, da coalizão, da sustentação congressual. Eu acho que esse modelo político, essa coalizão, ela já se esgotou no tempo. É preciso dar fundamento ao ajuste, à agenda da retomada do crescimento, sinalizar claramente com relação ao futuro do Brasil e construir uma convergência com relação a esse futuro”, disse o presidente do Senado. Leia mais na Agência Brasil.
Mariana Jungmann, Agência Brasil
11 de agosto de 2015, 06:40

BRASIL Dilma faz apelo a senadores para que não aprovem pautas-bomba

Foto: Divulgação
Presidenta Dilma Rousseff
A presidenta Dilma Rousseff pediu o apoio dos senadores da base aliada para que não permitam a aprovação de matérias que causem despesas ao governo. Durante encontro na noite dessa segunda-feira (10), que durou cerca de três horas, ela falou de sua preocupação com projetos que criam gastos permanentes sem a previsão necessária das receitas. Dilma jantou no Palácio da Alvorada com cerca de 40 senadores e 20 ministros do seu governo. Após conversas com grupos separados, a presidenta fez uma fala em que solicitou ajuda dos parlamentares para que não permitam a aprovação no Senado das chamadas pautas-bomba. De acordo com o senador Jorge Viana (PT-AC), a presidenta não tratou de assuntos específicos como o projeto de lei que reduz a desoneração das empresas, que deve ser votado no plenário do Senado esta semana. Segundo ele, Dilma disse respeitar a independência entre os Poderes, mas que precisava fazer esse apelo diante da situação atual pela qual passa o Brasil e também outros países. “Eu acho que, independentemente do momento de dificuldade que o país está passando, da dificuldade política que estamos vivenciando, a presidenta deixou claro que está fazendo este encontro no começo de uma nova legislatura, do ponto de vista do segundo semestre. Ela fez um apelo para ter a colaboração do Senado, para que possa ajudar o país neste momento, para que a gente possa ter uma agenda e projetos que possam auxiliar o país e não criar dificuldades”, afirmou o senador. Leia mais na Agência Brasil.
Estadãopoliticalivre
Home Ads