segunda-feira, 24 de agosto de 2015

RESUMO DOS PRINCIPAIS JORNAIS HOJE


24 de agosto de 2015

O Globo

Estatais são sócias em 234 empresas
TCU já encontrou irregularidades em negócios da CEF e dos Correios

Tribunal vai investigar se parte dessas sociedades foi estruturada para permitira realização de contratos sem licitação

Levantamento do Tribunal de Contas da União revela que as estatais têm participação societária em 234 empresas privadas, informa Vinícius Sassine. O TCU investiga se parte dessas empresas foi montada para depois ser contratada sem licitação, o que é ilegal. O Banco do Brasil e suas subsidiárias são sócios de 19 empresas. Duas sociedades estruturadas pela Caixa Econômica e pelos Correios foram encerradas pelo TCU após serem constatadas irregularidades. (Pág. 3)



Prefeituras antecipam receitas para fechar contas

Exclusivo. Cidades fluminenses dependentes de royalties viram suas receitas encolherem 40%, com a queda de 56% do preço do barril de petróleo. Agora, muitas delas planejam ir ao mercado financeiro usando receita futura de royalties como garantia para sair do vermelho. (Pág. 17)


Temer avisa hoje Dilma que sairá da coordenação
O vice-presidente Michel Temer dirá hoje à presidente Dilma Rousseff que vai deixar a coordenação política do governo. Mas, segundo ministros, receberá um pedido para que desista da ideia e permaneça na função. (Pág. 4)

Cresce o tráfico de lixo eletrônico
O tráfico de resíduos eletrônicos vem aumentando no mundo, e a rota de descarte inclui o Brasil, revelam André Miranda e Mariana Alvim. Valor de venda dos componentes e falta de fiscalização fazem com que o comércio ilegal cresça sem controle. (Pág. 21)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

BR mudou licitação para incluir cartel, diz auditoria
Relatório aponta que subsidiária da Petrobrás direcionou licitações no valor de RS 574 milhões vencidas pela UTC

Auditoria da BR Distribuidora em contratos investigados pela Lava Jato descobriu que a empresa direcionou quatro licitações vencidas pela UTC Engenharia, no valor de RS 574,1 milhões, em 2010. A apuração apontou que a BR também facilitou a vitória da companhia ao substituir uma lista inicial de empresas que seriam convidadas a participar das licitações por outra com empreiteiras do “clube da propina”, revela Andreza Matais. Até agora, se sabia apenas que a UTC havia pago RS 20 milhões em propina para ter acesso antecipado a estimativas de preços, o que lhe garantiu apresentar a melhor proposta nas disputas. A lista inicial tinha nove companhias que já haviam trabalhado para a BR e poderiam fazer as obras. A relação que foi à votação continha dez. Cinco dos nomes sugeridos inicialmente desapareceram. Foram incluídas empresas que estavam fora do cadastro da BR, como Odebrecht, Queiroz Galvão, OAS e Mendes Junior. A UTC Engenharia e a Andrade Gutierrez constavam da primeira relação e foram mantidas entre as convidadas. (Política Pág. A4)


Subsidiária afirma ter apurado 
A BR Distribuidora afirmou em nota que 0 presidente José Lima de Andrade Neto determinou a “averiguação interna” dos contratos e enviou relatório ao MP, à Procuradoria da República e aos escritórios que auditam a empresa. (Pág. A4)

Crise se agrava e Colômbia antecipa reunião com Venezuela
Previsto para durar 72 horas, o fechamento da fronteira entre Venezuela e Colômbia será mantido por tempo indeterminado, informa o enviado a Caracas Roberto Lameirinhas. O presidente Nicolás Maduro acusa o ex-líder colombiano Álvaro Uribe de comandar paramilitares na região. Com o aprofundamento da crise, a reunião de chanceleres do dia 14 foi antecipada para quarta-feira. (Internacional Pág. A8)

Terra sem lei
Os caminhos que levam à região venezuelana de Táchira também estão bloqueados. A região, que abriga 0 submundo do contrabando, é um dos “ninhos” de pistoleiros de aluguel e funciona como entreposto de escoamento de cocaína. (Pág. A8)

Empresas têm gestão interina
Para enfrentar a crise, mais companhias, em sua maioria familiares e no vermelho, estão entregando o comando a consultorias com equipes especializadas em arrumar a casa. Embora não seja praxe no Brasil, empresas já buscam auxilio antes de uma intervenção judicial ser a única saída, ampliando a taxa de êxito da gestão interina. (Economia Págs. B1 e B3)

Receita investiga e vê ilegalidade em 20 empresas
Coordenador de investigação da Receita, Gerson Schaan disse que a Operação Zelotes confirmou ilegalidades envolvendo 20 empresas que questionaram dívidas tributárias, mas alertou: o governo não deve contar com recursos porque “trata-se de corrupção, não de sonegação”. (Economia Pág. B4)

Bancada do PT define hoje se dá apoio a Cunha
A bancada petista, a segunda maior da Câmara, se reúne hoje para definir posição em relação ao pedido de afastamento do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), após ele ter sido denunciado na Lava Jato. Essa definição é considerada decisiva para Cunha. (Política Pág. A5)

PM atribui autoria de chacina a ‘bandidos’ (Metrópole Pág. A13)


José Álvaro Moisés 
Os partidos estão colapsando?

Partidos deixam de ser vistos como essenciais à democracia. É preciso assumir compromisso anticorrupção para recuperar valores republicanos. (Espaço Aberto Pág. A2)


Notas & Informações
A breve trégua da inflação

Índice recua em agosto, mas trégua será seguida por neva aceleração a partir de setembro. (Pág. A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Lucro das 30 maiores empresas cai 15,7%
Juntas, companhias de capital aberto com maior valor de mercado no país lucraram R$ 56,9 bilhões nos seis primeiros meses. No segundo semestre, dólar em alta deve favorecer segmentos exportadores. (Págs. 8 e 9)

Desafogaria o Central, mas não fica pronto
Há cinco anos, o complexo penitenciário de Canoas (foto) foi anunciado como alternativa para receber presos da pior cadeia do Estado. Para a abertura das 2,8 mil vagas, porém, faltam R$ 16,9 milhões dos R$ 122 milhões previstos. (Págs. 20 e 21)
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Aperto no crédito já ameaça a safra do ano que vem
Dinheiro escasso atrasa pré-plantio e pode interromper ganhos de produtividade do setor; BB diz não haver restrição de verbas

A escassez de crédito chegou ao agronegócio do país. A menos de um mês do plantio da nova safra, produtores do país se queixam de barreiras para obter empréstimos para custear a produção.

Dificuldades como demora na liberação do crédito, aumento das exigências dos bancos e alta nas taxas de juros atrasam a compra de insumos e aumentaram custos de produção e de logística.

Se o problema persistir, poderá interromper os sucessivos ganhos de produtividade do setor nos últimos anos.

“0 dinheiro vem vindo a conta-gotas”, segundo o presidente da Aprosoja Brasil (Associação dos Produtores de Soja), Almir Dalpasquale,

0 Banco do Brasil, responsável por 65% do crédito agrícola, só emprestou R$ 3,5 bilhões para o pré-custeio com juros subsidiados neste ano. Em 2014, foram R$ 8 bilhões.

0 alívio contra o aperto veio com o anúncio do Plano Safra 2015/16, em junho, prevendo RS 1877 bilhões em crédito, alta de 20% em relação a 2014/2015. Produtores, porém, reclamam de lentidão.

0 BB afirmou que o ritmo de liberação de empréstimos está acelerado e negou restrição de recursos para a safra.

Na última semana, uma audiência pública na Câmara discutiu o acesso ao crédito agrícola. 0 problema também foi encaminhado por parlamentares à ministra da Agricultura, Kátia Abreu.

A preocupação é sanar os gargalos desta próxima safra e viabilizar fontes alternativas para o financiamento do agronegócio, um dos poucos setores do país que ainda cresce e traz divisas. (Folhainvest A13)


PM reage e diz que autores de chacina em SP são “bandidos”
A PM reagiu às suspeitas de que policiais militares lideraram os 18 assassinatos em série do último dia 13 na Grande SP e se referiu aos criminosos, em nota, como “bandidos que integram temporariamente a instituição”. A Corregedoria investiga 18 policiais por envolvimento nos Crimes. (Cotidiano B7)

Entrevista da 2ª: Ernest Moniz
Há mais otimismo sobre acordo global do clima em Paris

Um dos negociadores do pacto nuclear com o Irã, o secretário de Energia dos EUA, Emest Moniz, diz que há mais otimismo sobre um acordo na Conferência do Clima em Paris do que há um ano, graças aos compromissos assumidos por Washington e Pequim. Ele espera que o Brasil anuncie logo as suas metas de cortes na emissão de gases. (Pág. A12)


Projeto de elevar tributação sobre heranças acelera doação familiar
A expectativa de aumento da tributação sobre heranças e doações provocou uma corrida entre famílias para antecipar pendências sucessórias. A arrecadação sobre esses ativos e valores atingiu RS 935,4 milhões no primeiro semestre em São Paulo. 0 valor é 54% maior do que no mesmo período de 2014.

Com alíquota máxima de 8%, o imposto brasileiro sobre heranças é um dos menores do mundo. (Folhainvest A16)


Petrolão contagiou nossos bancos, diz procuradoria suíça
A procuradoria da Suíça afirmou que o sistema financeiro daquele país foi “seriamente afetado” pelo escândalo da Petrobras.

Ao menos dez bancos movimentaram recursos do petrolão e abriram contas mesmo sabendo do risco de elas receberem propina. As instituições podem responder a processos penais. (Poder A5)


PTB domina Secretaria da Justiça de SP
Ao menos 18 pessoas filiadas ou ligadas ao PTB ingressaram na Secretaria da Justiça de São Paulo desde a posse do secretário Aloísio de Toledo César, em janeiro.

O partido assumiu a pasta após acordo entre o deputado Campos Machado, líder do PTB, e o governador Geraldo Alckmin (PSDB). César nega fins políticos. (Poder A7)


Valdo Cruz
Fui honesto demais ao pedir a união do país, admite Temer

Após declarar que o Brasil precisava de “alguém que tenha a capacidade de reunificar a todos”, o vice-presidente Michel Temer admitiu que errou por ter sido sincero demais. Petistas viram uma conspiração contra Dilma. Desde então, o clima no Planalto piorou e muito. (Opinião A2)


Editoriais 
Leia “Desemprego em alta”, a respeito de Indicadores do mercado de trabalho, e “Negligência em trânsito”, acerca de violência em ruas e estradas. (Opinião A2).

Fonte: radiobrás
Home Ads