segunda-feira, 10 de agosto de 2015

SINOPSE DOS PRINCIPAIS JORNAIS E REVISTAS

10 de agosto de 2015
O Globo

Governo estuda flexibilizar regras de privatizações
Crise e Lava-Jato levam área econômica a defender ajustes para garantir concorrência

União já recebeu 414 propostas de manifestação de interesse por projetos. Deste total, 316 foram aprovadas, mas não asseguram participação de investidores em leilões

Diante da crise econômica e dos impactos da Operação Lava-Jato no setor de infraestrutura, o governo federal estuda reduzir exigências a investidores em privatizações de rodovias e aeroportos na segunda etapa do Programa de Investimento em Logística (PIL 2). Já foram enviadas 414 propostas de manifestação de interesse pelas obras. Deste total, 316 foram aprovadas. Na prática, porém, os pedidos não asseguram a participação dos potenciais investidores nos leilões. Para a área econômica, é preciso fazer ajustes que garantam um nível mínimo de concorrência. Uma das mudanças em análise é diminuir de 10% para 5% o percentual do trecho da estrada a ser duplicado antes que a empresa possa começar a cobrar pedágio. Página 17

Dilma reúne ministros e base pede ‘revolução’
Sob intensa pressão da base aliada, a presidente Dilma reuniu 13 ministros para discutir a crise com a Câmara. Aliados defendem uma "revolução" no governo, com a diminuição do número de ministérios. O líder do PMDB, Leonardo Picciani, pede decisões imediatas da presidente, caso contrário será "caminho natural" do partido deixar a base. Página 3
Câmara recorre ao STF em favor de Cunha
A Câmara pediu ao Supremo Tribunal Federal a anulação das provas que integram o inquérito aberto contra o presidente da Casa, Eduardo Cunha, no âmbito da Lava-Jato. Segundo o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, a ação foi proposta pela AGU a pedido da Presidência da Câmara. Cunha disse desconhecer a ação. Página 4
Câmara recorre ao STF em favor de Cunha
A Câmara pediu ao Supremo Tribunal Federal a anulação das provas que integram o inquérito aberto contra o presidente da Casa, Eduardo Cunha, no âmbito da Lava-Jato. Segundo o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, a ação foi proposta pela AGU a pedido da Presidência da Câmara. Cunha disse desconhecer a ação. página 4
Estado do Rio só recolhe 7,5% do lixo jogado na Baía de Guanabara
PÁGINA 6
Antônio Gois: Números do Enem mostram sucesso relativo de escolas no topo do ranking
Página 22
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Dilma busca líderes em esforço para refazer base
Após reunião com coordenação política, presidente decide manter encontros individuais com dirigentes partidários

A presidente Dilma Rousseff deve iniciar nesta semana uma ofensiva para reagrupar a base aliada no Congresso, cujo esfacelamento tem exposto seu governo ao risco de derrotas na votação das “pautas-bomba”, que ameaçam o ajuste fiscal apresentado pelo Planalto. No novo esforço, numa semana em que o governo busca reagir a manifestações contra ele previstas para domingo, Dilma prevê conversar com presidentes e líderes de cada um dos partidos que até o começo da crise lhe davam sustentação no Legislativo. Na semana passada, políticos do PTB e do PDT disseram que não mais seguiriam as orientações do governo, alegando falta de diálogo. A decisão do Planalto se deu horas depois de o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por meio de sua conta no Twitter, eximir-se da responsabilidade pela crise política. “A verdade nua e crua é que não existe base do governo.” POLÍTICA / PÁG. A4

Outros 9 avaliam fazer delação
O avanço da Lava Jato e a avaliação de que dificilmente será anulada pela Justiça têm levado investigados que até então rejeitavam fazer delação premiada a avaliar a hipótese. A lista inclui executivos da OAS, Mendes Júnior e Galvão Engenharia, o que pode elevar em mais nove a lista de delatores. Dos 112 presos na operação, desde que foi deflagrada em março de 2014, 23 fizeram delação premiada. Pág. A6
Na Argentina, prévia indica favoritismo de kirchnerista
O candidato kirchnerista Daniel Scioli venceu a eleição primária argentina de participação obrigatória, informa Rodrigo Cavalheiro. Segundo resultados de boca de urna, entretanto, os votos que o atual governador da Província de Buenos Aires conquistou ontem não seriam suficientes para levar o governismo a uma vitória já no primeiro turno, em outubro. Opositores denunciaram fraude. Internacional/ Pág. A10
MPF apura uso ilegal de estrutura do SUS
Segundo denúncia, responsáveis pelo setor de reprodução humana da Unifesp teriam usado estrutura do SUS no Hospital São Paulo para fazer 1.200 cirurgias particulares. Metrópole/Pág. A14
Grupo Ultra quer ativos da Petrobrás
Quarto maior grupo privado do País, o Ultra planeja expandir sua atuação na área de gás de cozinha e distribuição de combustíveis. Grupo quer dois ativos da Petrobrás: Liquigás e BR Distribuidora. Em entrevista, o presidente do Conselho de Administração, Paulo Cunha, disse acreditar que a recessão vai se aprofundar. Economia / Págs. B1 e B3
José Roberto de Toledo: Pós-Cunha, pós-Dilma
Caso a delação contra Eduardo Cunha se transforme em denúncia ao Supremo, muda a relação de forças no Congresso. Política/Pág. A6
Notas & Informações: direitos atropelados
A MP 685 sujeita o contribuinte a decisões subjetivas de quem analisar sua declaração. Pág. A3
Em crise, Estados usam malabarismo contábil
Política/Pág. A8
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Lava-Jato investigará obra em Rio Grande
Dragagem de canais no porto marítimo, feita por Odebrecht e por uma empresa belga, teria custo superfaturado em R$ 47,4 milhões, conforme análise do TCU recebida por procuradores e policiais federais em Curitiba. Notícias: 6 e 7
------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Demitido espera até 3 meses para receber direitos
Alta do desemprego leva sindicatos a aumentarem equipes para atender demanda por homologações

Com aumento das demissões, trabalhadores têm esperado até três meses para fazer a homologação da rescisão contratual, necessária para sacar verba rescisória e obter documentos que dão acesso a benefícios como seguro-desemprego e FGTS.

No período anterior à crise, o tempo de espera era de 15 a 20 dias, em média, segundo sindicatos que prestam o serviço a demitidos.

Na região metropolitana de SP, a taxa de desemprego em junho foi de 7,2% — um ano antes, havia sido de 5,1%. No país, avançou de 4,8% para 6,9% no período.

A procura para dar baixa na carteira cresceu até quase 700% em julho na comparação com o mesmo mês de 2014. Para atender os demitidos, entidades contratam mais funcionários e organizam mutirões aos sábados.

São exemplos os sindicatos dos metalúrgicos e da construção de São Paulo, dois dos maiores do país. O primeiro fez até julho 18.487 rescisões, 260% mais que no mesmo período de 2014.

As superintendências do Ministério do Trabalho também realizam as homologações, mas servidores de algumas unidades estão em greve. Procurada, a pasta não respondeu. Mercado A13

Dilma recebe de UNE a MST para tentar sair do isolamento
Em ofensiva contra os protestos do dia 16, a presidente Dilma Rousseff se reunirá nesta semana com movimentos de esquerda para tentar mostrar que não está isolada.

Na avaliação da cúpula do Executivo federal, é preciso apresentar contraponto aos atos convocados pela oposição. Dilma receberá representantes de todas as organizações, de UNE a MST. Poder A4

Gregório Duvivier: Os ratos que o PT não expulsou vão despejar presidente
Amigo que odeia o PT: eu odeio tanto quanto você. O PT é indefensável — cavou esse abismo com seus pés. Engana-se quem vai às ruas e acha que está tirando Dilma do poder. Quem está movendo a ação de despejo são os ratos que o PT não teve coragem de expulsar. Ilustrada C5
Brasileiros na lista da inadimplência já são 56,4 milhões
O Brasil tem 56,4 milhões de inadimplentes — um terço da força de trabalho, com dívida recorde de R$ 243 bilhões. Em um ano, 2,3 milhões entraram na lista da Serasa. Desemprego e alta no custo de vida prejudicaram as finanças, dizem consumidores. Mercado A17
Obras da ciclovia da Consolação têm início em agosto
A Prefeitura de São Paulo começa em agosto a implantar ciclovia na rua da Consolação (região central), nos dois sentidos. No domingo (9), na abertura da pista sob o Minhocão, houve protesto de grupo a favor da demolição do elevado. Cotidiano B5
Obras da ciclovia da Consolação têm início em agosto
A Prefeitura de São Paulo começa em agosto a implantar ciclovia na rua da Consolação (região central), nos dois sentidos. No domingo (9), na abertura da pista sob o Minhocão, houve protesto de grupo a favor da demolição do elevado. Cotidiano B5
Editoriais
Opinião A2

Leia “Janot se fortalece”, sobre recondução do procurador-geral da República, e “Robôs assassinos”, acerca de uso militar de máquinas inteligentes.


Fonte: radiobras
Home Ads