quarta-feira, 30 de setembro de 2015

BRASIL: CHIORO: SAÚDE CAMINHA PARA UM COLAPSO

9/30/2015 04:24:00 AM

BRASIL: Governo acaba com programa Farmácia Popular em 2016

9/30/2015 03:53:00 AM

Corte no orçamento vai afetar política pública que garantia desconto de 90% de desconto em remédios de uso contínuo

O aperto nas contas vai atingir em cheio um dos programas prediletos da classe média na área de saúde, o Aqui Tem Farmácia Popular. A proposta orçamentária para 2016 encaminhada para o Congresso prevê repasse zero para a ação, que neste ano receberá R$ 578 milhões.
Criado em 2006, o programa permite a compra em farmácias credenciadas pelo governo de medicamentos para rinite, colesterol, mal de Parkinson, glaucoma, osteoporose, anticoncepcionais e fraldas geriátricas. Os descontos chegam a 90%. Com a redução a zero os recursos, na prática essa política deixa de existir.

O problema, no entanto, é que o número de unidades próprias dessas farmácias, que já é pequeno, deve minguar mais em 2016. A previsão é de que não ultrapasse 460 postos de venda, em todo o País.
Pela proposta encaminhada pelo governo ao Congresso, ficam mantidos o braço do programa chamado de Saúde Não Tem Preço (em que o paciente não precisa pagar na farmácia remédios para diabetes, hipertensão e asma) e as unidades próprias do Farmácia Popular.
“Foi uma medida necessária”, justifica a secretária executiva, Ana Paula Menezes. A primeira versão da proposta de orçamento encaminhada para o Congresso reservava para a Saúde um total de R$ 104 bilhões. “Não era a quantia dos sonhos, mas pelo menos a gente não estava morrendo afogado”, afirma a secretária.
Esse cenário, no entanto, mudou. A nova versão retira da área R$ 3,8 bilhões. A proposta enviada ao Congresso também enterra um acerto que havia sido feito dentro do próprio governo, para que o montante reservado a emendas parlamentares, cujo pagamento passou a ser obrigatório, fosse incorporado ao cálculo desse mínimo que o governo federal tem de desembolsar.
Os problemas para o cálculo do orçamento na saúde não se resumem a esse ajuste, feito na primeira quinzena de setembro. Pela Constituição, tanto municípios, Estados quanto União têm reservar uma fatia mínima de seu orçamento para gastos em ações e serviços de saúde.
Para o cálculo do piso federal, a regra usada até o orçamento de 2015 era: o equivalente ao que foi desembolsado no ano anterior, acrescida a variação do Produto Interno Bruto (PIB). Com a mudança, o governo federal tem de reservar para o setor o equivalente a 13,5% das receitas correntes líquidas.
“Acreditamos que esse é um mecanismo de cálculo apropriado. O problema foi o comportamento da economia neste período mais recente”, disse Ana Paula. Se fosse aplicada a regra anterior, o mínimo para saúde neste ano seria de R$ 103,7 bilhões. Com a nova regra, o piso passa para R$ 100,2 bilhões. “Para compensar as perdas, havia ficado acertado que os recursos das emendas parlamentares, cujo gasto é obrigatório, não entrariam na conta. Mas isso mudou.”
No formato encaminhado para o Congresso, ficam preservados os recursos para compra de medicamentos, vacinas. A opção da pasta, em vez de fazer cortes em várias ações e serviços de saúde, foi concentrar o enxugamento em dois pontos principais: farmácia popular e ações de média e alta complexidade.
Esta última rubrica concentra todos os recursos que são repassados para Estados e municípios pagarem hospitais conveniados com o Serviço Único de Saúde (SUS), hospitais universitários, filantrópicos, Santas Casas para pagamento de procedimentos de saúde, como cirurgias, internações. Os recursos de média e alta complexidade também são usados para financiar despesas com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), serviços de análise clínica, exames de imagem.
A escolha do setor atingido não foi sem motivo. A área de média e alta complexidade conta com uma rede poderosa de defensores tanto no Congresso quantos nos Estados e municípios. Ao mirar nesta área, o Ministério da Saúde tenta encontrar entre parlamentares, governadores e prefeitos uma rede de apoio que não encontrou dentro do próprio governo e, com isso, tentar reverter o tamanho do corte.
Fonte> Gazetadopovo

terça-feira, 29 de setembro de 2015

SENTO SÉ: TÉCNICO DE CERB REALIZA VISTORIA NO SISTEMA DE CAPTAÇÃO E TRATAMENTO DE ÁGUA DE SEDE DO MUNICIPIO

9/29/2015 05:05:00 AM
Na manhã do ultimo domingo (27) o Diretor do SAAE – Dávio Paes, recebeu a visita do senhor Paulo Carvalho, técnico da CERB – Companhia de Engenharia e de Saneamento da Bahia, escritório regional de Juazeiro, com o objetivo de vistoriar a atual situação dos sistemas de captação, tratamento e distribuição de água  que abastece a cidade de Sento Sé, colher informações relacionadas a quantidade de ligações atualmente atendidas, previsão de novas ligações, expansão das redes, entre outras. Segundo Paulo Carvalho, a ideia é atualizar um antigo projeto de modernização do sistema já existente na CERB  desde a primeira gestão do prefeito Ednaldo Barros.
Acompanhamos a visita ao sistema de captação no porto fluvial, as condições de baixa do lago de Sobradinho, o comprometimento em linhas gerais de todos os sistemas de captação às margens do lago e a estação de tratamento – ETA.
O atual sistema de tratamento é considerado obsoleto e não atende à demanda. A Chesf, quando da construção da nova cidade (1975), construiu um filtro com capacidade para atender 800 ligações. Em 1998, até então prefeito municipal, Ednaldo Barros, construiu com recursos próprios um novo filtro com capacidade aproximada de 3.600 ligações e atualmente o SAAE distribui água para 5.990 ligações oficiais e estima-se outras 2.000 entre clandestinas (gatos) e atendimento a novos bairros. Além do mais, a qualidade da água distribuída há mais de 16 anos tem sido comprometida por conta da estrutura, da localização geográfica da cidade e por consequência da captação localizada à margem direita do lago onde ventos da região concorrem para manter a água agitada, obrigando o SAAE ao uso constante de produtos que normalmente não são usados por outros sistemas na região.

Filtro construido pelo prefeito Ednaldo em 1998 Capacidade 3.600 ligações
À esquerda filtro para 800 ligações
Durante a visita e conversas informativas e técnicas, relembramos que a principal finalidade da Barragem de Sobradinho é a regulação da vazão do rio e que o volume armazenado não deveria ficar abaixo da cota 3,85. Todos os sistemas de captação de todos os municípios estão situadas na referida cota limite. A situação de esvaziamento aconteceu por causa da geração de energia após os apagões ocorridos no pais, exigindo vazão superior a afluência normal e a falta de chuvas para reposição ao longos dos últimos 15 anos.
Base da captação construida para cota 3,85 
FOTOS: Osiel Amaral

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

A COMPANHIA ESTUDO DE CENA (SP) CONVIDA O PÚBLICO BAIANO PARA CONHECER SEU ESPETÁCULO QUE VISITARÁ DIVERSAS CIDADES DO SERTÃO NORDESTINO

9/28/2015 05:16:00 PM




Nos próximos dias, o Estado da Bahia recebe a Companhia Estudo de Cena, de São Paulo, para uma temporada passando pelas cidades de Juazeiro, Canudos, Uauá e Euclides da Cunha, com um espetáculo de teatro feito em uma barraca de ferro e lona, que será montada em universidades, praças e feiras livres. 

Com o espetáculo Guerras Desconhecidas, o grupo convida o público baiano para uma viagem no tempo, relembrando a história de três guerras brasileiras que não aparecem na história oficial de nosso país. Lampião, Zapata, Pantera Negra e Santa Dica, grandes líderes latino-americanos, remetem o público a importantes conflitos brasileiros do século vinte, e dessa forma, o grupo revisita a verdadeira história brasileira e visita a região onde alguns conflitos muito importantes ocorreram.

UMA BARRACA DE LONA COM CENAS DE TEATRO NO SERTÃO
Uma estrutura de ferro e lona, um teatro mambembe, de trinta e seis metros quadrados, com cenas que remetem o público a história, por muitas vezes esquecida, do Brasil. Essa é a Barraca de Cena, espaço criado pela Companhia Estudo de Cena, que chega agora ao Estado da Bahia, para uma temporada de apresentações em universidades, praças e feiras livres, passando pelas cidades de Juazeiro, Canudos, Uauá e Euclides da Cunha, região onde alguns conflitos brasileiros muito importantes aconteceram. 

Criado em 2013, Guerras Desconhecidas, é um espetáculo de variedades, que tem como tema central conflitos sociais da história do Brasil, essas demonstrações coletivas de luta por uma vida digna e por respeito à diversidade cultural brasileira. A fonte de pesquisa dessas histórias foi o caderno “Guerras desconhecidas do Brasil” escrito pelo jornalista Leonencio Nossa e publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo em dezembro de 2010.

Contemplado pelo Prêmio Myriam Muniz – FUNARTE/2014, o grupo se prepara para uma temporada passando por universidades, praças e feiras nordestinas típicas, de diversas cidades da Bahia e da Paraíba, visitando lugares emblemáticos que foram referência para a composição desse projeto. 

“Nosso teatro narra histórias de revoltas populares que não são lembradas pela história oficial do país, mas que pertencem ao imaginário coletivo de parte do povo brasileiro e retratam a diversidade de nossa cultura. Nesse contexto, esse projeto é um convite à memória social, para que através dela possamos refletir sobre o nosso presente.” – explica Diogo Noventa, diretor e dramaturgo da Companhia.

O espetáculo Guerras Desconhecidas, apresenta ao público a história de três guerras brasileiras que não aparecem na história oficial de nosso país: a Guerra do Pau de Colher, a Guerra de São Bonifácio e a Guerra do Gatilheiro. O espetáculo é composto por diferentes recursos, com referência em jogos e brincadeiras populares, pantomimas e cenas muito poéticas.

O espetáculo é dividido em atos, que são apresentados por líderes latino-americanos, que povoam o imaginário social de nosso continente: Lampião, Zapata, Pantera Negra e Santa Dica. 

Como referência teórica e poética Guerras Desconhecidas, faz alusão a escritos dos palestinos Edward Said e Mahamud Darwich, do peruano Aníbal Quijano e do poeta da Martinica, Aimé Césaire. 

Guerras Desconhecidas estreou em 2014, e com o apoio da Secretaria de Abastecimento, realizou uma temporada de muito sucesso com vinte e cinco apresentações em feiras livres da cidade de São Paulo. Foi também apresentado no Largo de São Bento, Praça do Patriarca, IX Mostra de Teatro de Rua de São Miguel Paulista e na II Feira Antropofágica de Opinião, realizada no Memorial da América Latina. Em junho de 2015 realizou temporada no Clube Escola Tatuapé.

Após a experiência artística do grupo com a circulação nas feiras da cidade de São Paulo, o grupo chega aos estados da Bahia e Paraíba, para se apresentar entre outros lugares, nas feiras típicas do nordeste, locais onde se desenvolvem uma série de relações sociais, além de estarem em regiões que tenham em seu imaginário conflitos sociais, como é o caso dos municípios do Estado da Bahia, por onde passaram Lampião e Antônio Conselheiro.

O grupo convida toda a população para participar desse momento de troca e de valorização à memória, e à cultura brasileira. Vale lembrar que feira vem do latim feria que significa “dia festivo”, o que parece ser um ótimo lugar para encontrar essa Barraca de Cena.

Conheça o trabalho da Companhia Estudo de Cena, acessando a página do facebook: www.facebook.com/Companhia-Estudo-de-Cena

A COMPANHIA ESTUDO DE CENA

A relação entre cena/espaço e ficção/realidade, atrelados a temas críticos contemporâneos, tem sido o principal objeto de pesquisa da Companhia Estudo de Cena na construção de seus trabalhos. O teatro que o grupo se propõe a realizar vem ao encontro de uma arte contra-hegemônica que tem seu conteúdo definido por temas que contribuem com o debate sobre as condições atuais da vida, sem reforçar a paralisia inoperante ou a lucidez negativista de parte do pensamento crítico e sim assumindo a responsabilidade do artista por tencionar o futuro. 

Atualmente a Estudo de Cena se concentra no estudo sobre violência e democracia. Fazem parte dessa pesquisa a peça de rua “A farsa da justiça”, “Guerras Desconhecidas” e o experimento “Tentativas sobre Fatzer”.

A Companhia Estudo de Cena, foi contemplada por alguns prêmios e editais ao longo de sua jornada. Em 2008, recebeu o Prêmio Cultura Viva, cedido pela Secretaria de Programas Especiais do MINC, para projetos culturais de relevância nacional. 

Em 2009, contemplado pelo Prêmio Interações Estéticas – FUNARTE/MINC – o grupo desenvolveu o filme “Estudo de Cena: a República”, e em 2010, com o mesmo prêmio, desenvolveu o espetáculo de rua “Fulero Circo”, que foi apresentado em São Paulo, Distrito Federal, Bahia e Rio Grande do Sul.

No ano de 2011, contemplados pelo Programa VAI - Secretaria de Cultura da cidade de São Paulo realizou mostra de seu repertório. 

Em 2013, a companhia foi contemplada com o Edital de Fomento ao Teatro - Secretaria de Cultura da cidade de São Paulo. Através desse edital circulou com o espetáculo “A Farsa da Justiça”, e também criou o seu espetáculo “Guerras Desconhecidas”, que realizou uma temporada com vinte e cinco apresentações em feiras livres da cidade de São Paulo. Neste mesmo ano, a Companhia Estudo de Cena, recebeu o Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro, na categoria “Grupo Revelação do Estado de São Paulo”.

No ano seguinte, o grupo recebeu o Prêmio Myriam Muniz – FUNARTE/MINC – que agora leva o espetáculo Guerras Desconhecidas para feiras típicas nordestinas de cidades da Paraíba e Bahia. 

Para saber mais sobre a programação e histórico do grupo, acesse o facebook: Companhia Estudo de Cena

PARA ROTEIRO – SINOPSE - GUERRAS DESCONHECIDAS

GUERRAS DESCONHECIDAS apresenta ao público três guerras brasileiras que não aparecem na história oficial do país. O espetáculo é composto de um prólogo (cena de realismo fantástico) e três atos: Guerra do Pau-de-Colher (comédia), Guerra de São Bonifácio (drama épico) e Guerra do Gatilheiro Quintino (ato lírico). A narrativa é conduzida por Lampião, Zapata, Pantera Negra e Santa Dica, personagens do imaginário social do nosso continente.

Para a criação a Estudo de Cena teve como base o caderno “Guerras Desconhecidas do Brasil” escrito pelo jornalista Leonencio Nossa e a construção de um teatro mambembe, a Barraca de Cena, montada em feiras, praças e ruas.

Duração: 90 minutos

Não é necessário retirar ingressos. 

Locais, datas e horários do estado da Bahia:

Juazeiro - dia 30/09 - 19hs

Local: UNEB - Prédio do Departamento de Ciência Humanas.

Av. Edgar Chastinet, s/n

Canudos - dia 02/10 - 10hs

Feira de Canudos

Uauá - dia 05/10 - 10hs

Feira de Uauá

Euclides da Cunha - dia 07/10 - 19hs

Praça Duque de Caxias

FICHA TÉCNICA 

Concepção e produção: Companhia Estudo de Cena.

Direção e dramaturgia: Diogo Noventa.

Elenco: Anderson Oliveira, Cau Peracio; Juliana Liegel; Marilza Batista; Nei Gomes e Roberto Kroupa.

Produção Executiva: Juliana Liegel.

Direção musical: Iraci Tomiato; Juh Vieira; Lucas Vasconcellos, Vinícius Hoffman e Roberto Kroupa.

Direção de Arte: Valter Mendes.

Assistente de Arte: Danielly Abreu.

Confecção do painel histórico: Marina Moll

Arte gráfica: Marcelo Berg

Assessoria de Imprensa: Luciana Gandelini

Registro foto/vídeo: Wilq Vicente, Fernando Solidade e Diogo Noventa

Motorista: Carlos Veloso

Fotos: Diogo Noventa e Wilq Vicente

Assessoria de imprensa: Luciana Gandelini 

Cel: (11) 99568-8773 - lucigandelini@gmail.com

Fonte: radiowebjuazeiro

SENTO SÉ: FREGUESIA DO FLAMENGO É ANTIGA ATÉ ENTRE TORCEDORES - VASCO 2 X 1 FLAMENGO

9/28/2015 11:52:00 AM
MATERIA VEICULADA PELO "SENTOSEAGORA.COM.BR" EM 31/12/2013

Torcedores de Flamengo e Vasco realizam jogo de Confraternização em Sento Sé


Torcedores do Vasco em Sento Sé
Torcedores do Flamengo em Sento Sé

Fotos e Texto: Osiel Amaral,
Terminou agora a pouco no Estádio Municipal Francisco de Assis Rocha, em Sento Sé, um jogo de confraternização envolvendo torcedores de dois tradicionais clubes do futebol brasileiro, Flamengo e Vasco.

Em campo, torcedores, jogadores em atividade e ex-jogadores do futebol amador local.

Flamengo:  Nego Zaia, Sidnei, Cupido, Galo, Noélio, Juvenilson (ex-prefeito), Odair, Tampinha, Iris, Dinho, Edilson, Marcelino, Neguinho, Bega e Fopinha.

Vasco: Babal, Nando, Marquinhos, Gerinha, Cícero Evangelista, Girlane, Zezão, Juca, Neto da Diméia, João Paulo, Cido, Roma, Jandir e Eronildo.

GOLS: O Vasco abriu o placar no primeiro tempo com Pelerzinho. Juca ampliou para 2 x 0. No segundo tempo Galo na cobrança de pênalti diminuiu para o Flamengo. FINAL: Vasco  2 x 1 Flamengo.

Confira outras imagens do jogo: 

Juca 





Cícero Evangelista
Até o Assistente (Marquinhos) é Vascaino

RIBEIRA DO POMBAL: Remanso empata e se classificar para terceira fase do Intermunicipal

9/28/2015 11:04:00 AM
Por Victor Fabrizio
12038195_1701841796711901_7895560028282426250_n
Remanso empatou no placar de 1 a 1 com Ribeira do Pombal, e conseguiu a classificação para terceira fase do Intermunicipal 2015. O jogo foi na manhã deste domingo, 27/09, em Ribeira do Pombal.
O jogo foi muito difícil para Remanso, pois Ribeira do Pombal na primeira etapa partiu para cima e conseguiu abrir o placar. Já na segunda etapa foi o contrário, Remanso com garra conseguiu o empatar. Ribeira ainda teve uma oportunidade com um pênalti, mais o herói da partida, goleiro da seleção de Remanso, defendeu o pênalti.
Agora, seguirão para a 3ª fase do campeonato as Seleções de Santo Amaro, Conceição do Coité, Uruçuca, Eunápolis, Valença, Itororó, Crisópolis, Ibicaraí, Ibirataia, Sapeaçú, Itamarajú, Coaraci, Ubaitaba, Cachoeira, Santo Antônio de Jesus, Buerarema, Euclides da Cunha, Porto Seguro, Cruz das Almas, Itagibá, Luís Eduardo Magalhães, Itaberaba, Remanso, Araçás, Feira de Santana, Catu, Itabela, Salinas da Margarida, Itapetinga, Brumado, Nazaré e Lauro de Freitas.
O próximo confronto na competição para Remanso é contra Itaberaba, no dia 04 de outubro, no Estadio Walter Dias Ribeiro em Remanso.
Da redação: redação@remansonoticias.com.br

BRASIL: Especialista em investimento diz que o País está sofrendo ataque especulativo

9/28/2015 10:51:00 AM
Americano radicado no Rio, James Gulbrandsen, diretor da NCH Capital, avalia que a precificação dos ativos brasileiros está deslocada da realidade e defende que BC faça choque de juros para enviar mensagem a investidores que apostam contra o país.
O presidente do BC mencionou a possibilidade de usar reservas internacionais para conter a alta do dólar. Essa seria uma saída?
Se eu fosse o Tombini, aumentaria a taxa de juros em três pontos percentuais, para 17,25%, de uma só tacada. Seria um movimento temporário que enviaria uma mensagem aos fundos de hedge globais que estão promovendo um ataque especulativo contra o Brasil. Esses caras são tubarões que farejam sangue na água e estão se aproveitando demais do BC e da paralisia do governo para criar o caos. O aumento repentino dos juros iria atrair um enorme volume de capital, elevando o preço dos ativos brasileiros e o real, provocando grandes perdas a esses fundos que apostam contra o Brasil. Seria uma balde de água fria sobre eles.

Então o real está mesmo sob ataque especulativo?
Totalmente! Sem a menor sombra de dúvida se trata de um ataque especulativo. O Brasil está, hoje, sob ataque dos grandes fundos de hedge globais. Hoje vi um número alarmante que prova isso. É sobre o comportamento do iShares MSCI Brazil Capped, um fundo do tipo ETF(Exchance Traded Funds, negociado em Bolsa) que acompanha ações brasileiras e é negociado em Nova York. O fundo é o maior a acompanhar os papéis brasileiros. Esse fundo tem cerca de 84 milhões de ações emitidas, e 59 milhões, ou 70%, estão short (jargão de mercado para vendas a descoberto). É um nível que eu jamais vi.

O que isso significa?
Isso significa que os fundos de hedge venderam ações que não possuem, papéis que alugaram com o objetivo de vendê-los, apostando na queda de sua cotação. Quando o valor do papel cai, esses fundos os compram a preço de mercado e devolvem para quem alugou. Assim, eles ganham com a diferença. Por um acaso, estou, hoje, em Nova York e a toda hora passa no canal de economia da TV, a CNBC, alguém falando que o melhor short que tem no mundo hoje são a moeda e os ativos brasileiros. A precificação dos ativos brasileiros está totalmente deslocada da realidade. Já estamos em um patamar ridículo que não faz o menor sentido.

Esses fundos são culpados pela situação atual, então?
É claro que não é simplesmente isso, a crise do país tem fundamentos. O negócio dos fundos é esse mesmo, ganhar dinheiro. Por isso o BC deveria enviar uma mensagem a eles.

Mas subir juros não seria ruim em uma economia já em recessão?
É claro que a melhor solução seria um ajuste fiscal ter sido feito lá atrás. Mas, na falta dele, a política monetária tem que compensar essa ausência para, depois, o país voltar a crescer.

Fonte: Tribuna da Bahia

BRASIL: Lago de Sobradinho fica perto do colapso

9/28/2015 07:24:00 AM

Imagem de Internet
O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) busca novas medidas para conter a queda do reservatório da usina hidrelétrica de Sobradinho (BA), no rio São Francisco, que fechou semana passada abaixo de 9% da capacidade máxima. A meta é evitar o esvaziamento completo do volume útil antes do retorno das chuvas. O fenômeno climático El Niño pode complicar ainda mais a situação. Há exatamente um ano, o estoque de água em Sobradinho estava em 30,63%.
Para evitar o colapso do reservatório, o ONS pediu à Agência Nacional de Águas (ANA) autorização para aumentar a quantidade de água liberada pela usina de Três Marias (MG), que fica rio acima. A vazão de saída tem ficado em torno de 400 mil metros cúbicos por segundo. O objetivo é elevar o volume para 500 mil ou 600 mil m³/s. Se for permitido, chega mais água em Sobradinho e o armazenamento deve ficar entre 1% e 3% no fim do período seco, segundo o diretor-geral do ONS, Hermes Chipp. Sem medida adicional, o estoque cai para perto de zero.
Terceiro maior lago artificial do planeta, o reservatório de Sobradinho nunca enfrentou seca tão dramática desde a inauguração, em 1979. São 4,2 mil quilômetros quadrados de área alagada. A ANA já havia permitido redução da vazão liberada por Sobradinho, o que diminuiu o ritmo de queda. Chipp esclarece que a usina tem condições técnicas de operar no "volume morto", mas deixa claro que essa seria uma situação extrema, tornando ainda mais prolongada a recuperação do reservatório.
 
As chuvas no Nordeste continuam abaixo do normal. Até o fim da semana passada, a vazão registrada na região estava em 42% da média histórica. O percentual se repetirá em outubro, conforme estimativas do ONS.
 
Fonte: Valor online

BRASIL: Parecer de Janot sobre Lula alerta governo

9/28/2015 03:59:00 AM
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Procurador-geral da República, Rodrigo Janot
A possibilidade de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prestar depoimento à Polícia Federal como testemunha do esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato deixou o governo em alerta. O temor é que uma eventual convocação do petista, mesmo sem ser investigado, amplie a crise do governo Dilma Rousseff. No Planalto, a avaliação é de que qualquer ação que associe a imagem do ex-presidente ao escândalo é algo que abre um precedente “muito ruim”. O PT tenta desqualificar e minimizar o fato. Anteontem, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou parecer ao Supremo Tribunal Federal no qual recomenda ao relator, ministro Teori Zavascki, que aceite o pedido da PF para ouvir Lula, como testemunha. “O ex-presidente vai testemunhar sobre o quê? Há uma clara conotação política nessa iniciativa”, afirmou o líder do PT do Senado, Humberto Costa (PE). Para o senador, não há nenhum fato que envolva o ex-presidente no escândalo da Petrobras. Ele qualifica como uma “coisa isolada” a iniciativa do delegado da PF Josélio Sousa, que além da autorização para ouvir Lula, pede também os testemunhos dos ex-ministros Gilberto Carvalho e Ideli Salvatti. Para o deputado tucano Antonio Imbassahy (BA), 1.º vice-presidente da CPI da Petrobras, a decisão de Janot é acertada. “Lula é um cidadão comum que tem de observar a legislação como todos. Todo o esquema do ‘petrolão’ foi iniciado no governo dele, por isso tem obrigação de prestar os esclarecimentos. Como presidente, ele tinha responsabilidade sobre as ações de seus subordinados.” Segundo a edição da revista Veja desta semana, o ex-deputado Pedro Corrêa, preso desde abril por envolvimento no esquema de desvios na Petrobras, estaria negociando com o Ministério Público um acordo de delação premiada. A publicação afirma ainda que Corrêa teria dito aos procuradores da Lava Jato que Lula e a presidente Dilma Rousseff sabiam da existência do esquema de corrupção que funcionava na estatal.
Estadão/politicalivre

BRASIL: Governo corta R$ 25 bi em gasto social

9/28/2015 03:58:00 AM
Foto: Agência Brasil

Presidente Dilma Rousseff
A presidente Dilma Rousseff cortou R$ 25,5 bilhões dos gastos com programas sociais previstos em 2016, em relação ao orçamento deste ano, segundo levantamento feito pelo Estado com números oficiais do Ministério do Planejamento. A tesourada atingiu até mesmo a construção de creches, unidades básicas de saúde e cisternas. A maior redução de aportes foi justamente em “vitrines” da gestão petista, como investimentos sociais do PAC, Minha Casa Minha Vida e Pronatec. Durante a campanha e no início do segundo mandato, Dilma repetiu à exaustão que “em hipótese alguma” cortaria recursos dos programas sociais criados pela gestão petista. Mas foi obrigada a abrir mão da promessa para tentar recuperar a confiança dos investidores na economia brasileira. Se somados os cortes adicionais em projetos do PAC que ainda não estão definidos, mas que também atingirão a área social, o enxugamento em 2016 pode chegar a R$ 29,34 bilhões. O corte dos programas expõe a contradição que vive a presidente e seus ministros nesse cenário de crise econômica e política. Por um lado, precisa provar que o governo está “cortando na carne” para garantir o esforço fiscal, como cobram parlamentares economistas e empresários. No entanto, com a popularidade na mínima histórica e em meio a protestos e greves promovidos pelos movimentos sociais, evita falar sobre o sacrifício em programas sociais, bandeira de sua campanha à reeleição presidencial.
Estadão/politicalivre

MANCHETE DOS JORNAIS

9/28/2015 03:56:00 AM
- A Tarde: Fisco dará desconto em ICMS e IPVA atrasados
- Correio*: Professor morto em assalto no Barbalho
- Tribuna da Bahia: Primeira habilitação pode custar mais de R$ 2 mil
- Estadão: Brasil quer cortar em 37% emissão de gás estufa até 2025
-Folha de S. Paulo: Recessão empurra classe média para trabalho autônomo
- O Globo: Cunha: ‘impossível’ volta da CPMF antes de julho de 2016
Fonte: politicalivre

MUNDO: Eclipse total faz superlua desaparecer do céu do Brasil

9/28/2015 03:54:00 AM
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Coincidência que só ocorre uma vez a cada 30 anos, a superlua e o eclipse lunar total foram vistos no céu de alguns países
Observar a lua mais de perto e, na mesma noite, vê-la sumir momentaneamente. Este é o fenônemo que os brasileiros puderam presenciar ontem (27) à noite, durante a eclipse lunar total não apenas da lua, mas de uma superlua. O satélite natural do planeta em que habitamos estará mais próximo de nós durante toda a noite, fazendo com que tenha um tamanho maior. Durante boa parte desse período, foi possível perceber a sombra da Terra impedindo a iluminação da lua. Coincidência que só ocorre uma vez a cada 30 anos, a superlua e o eclipse lunar total foram vistos no céu de alguns países nesta noite. O eclipse pôde ser apreciado no Brasil porque a lua entrou na sombra da Terra quando já era noite no país. Já a superlua ocorre porque a órbita da lua, isto é, o caminho que a lua faz ao redor da Terra, não é circular. Com isso, o satélite se aproxima mais da Terra uma vez por ano, ocasionando o fenômeno. Pouco antes do eclipse, o casal Samuel Santos e Amália Venâncio namoravam próximo a um shopping do centro de Brasília. Samuel, 26 anos, eletrotécnico, foi quem deu a ideia do namoro ao ar livre. “Observei que ontem a lua estava bem grande mesmo. Até comentei com um colega”, informou Samuel, confessando desconhecer a ocorrência dos fenômenos. Para Amália, o clima quente na noite da capital federal incentivou as pessoas a sair de casa para observar o espetáculo. “É um encanto mesmo. É sempre um devaneio”, acrescentou. Leia mais na Agência Brasil.
Paulo Victor Chagas, Agência Brasil/Politicalivre

domingo, 27 de setembro de 2015

BRASIL: FHC afirma que Dilma "perdeu credibilidade"

9/27/2015 03:16:00 AM
FHC "O pai do Plano Real"
O governo da presidente Dilma Rousseff "perdeu credibilidade" e a desvalorização do real frente ao dólar se deve a uma "crise de confiança" e à "especulação", afirmou neste sábado em Montevidéu o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.
Em recessão técnica e com o real atingindo nesta semana a pior cotação em relação ao dólar desde seu nascimento em 1994, o Brasil vai passar "dois ou três anos de dificuldade econômica", segundo disse FHC durante sua participação em um fórum organizado pela revista uruguaia "Búsqueda".
No entanto, o ex-presidente acrescentou que não se deve deixar "enganar" pelo "baixo nível" do real atualmente, uma vez que, "se o rumo político for acertado", a situação da moeda se reverterá "com certa rapidez".

Fonte: Bahianapolitica

BAHIA: Bancários fazem assembleia para definir a greve

9/27/2015 03:00:00 AM
Foto: João Ubaldo
Categoria deve votar pela greve a partir do dia 6 de outubro
Os bancários da Bahia se reúnem em assembleia na próxima quinta-feira (01/10), às 18h, no Ginásio de Esportes, ladeira dos Aflitos, para definir os rumos da campanha salarial. A categoria deve votar pela greve a partir do dia 6 de outubro. A paralisação por tempo indeterminado acontece depois de seis rodadas de negociação com a Federação Nacional dos Bancos e nenhum avanço. A Fenaban recusou todas as propostas da pauta de reivindicações, como a ampliação das contratações, melhorias nas agências e investimento em segurança para coibir os ataques às unidades. Na última negociação, realizada nesta sexta-feira (25), o setor mais rico da economia nacional, que no primeiro semestre de 2015 obteve lucro líquido de mais de R$ 36 bilhões, ofereceu reajuste salarial de 5,5%. O índice não cobre nem a inflação do período, de 9,88% e, portanto, representa perda de 4%. A proposta foi rejeitada pelo Comando Nacional dos Bancários, que orientou a categoria pela aprovação do indicativo de greve. A assembleia acontece em outros estados do país e a greve é nacional.
Home Ads