quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

ULTIMAS NOTICIAS E MANCHETES DOS JORNAIS

Em novembro, IPC-S sobe em 3 das 7 capitais pesquisadas pela FGV

O Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S), calculado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu em três das sete capitais pesquisadas em novembro, divulgou a instituição nesta quarta-feira, 2. No geral, o IPC-S avançou de 0,96% para 1,00% entre a quarta e a terceira quadrissemanas de novembro. Por região, o IPC-S apresentou acréscimo na taxa de variação de preços em São Paulo (0,92% para 0,97%), Recife (0,67% para 0 69%) e Rio de Janeiro (1,05% para 1,47%). No sentido contrário, a variação do indicador recuou entre a terceira e a quarta quadrissemanas de novembro em Salvador (0 57% para 0,47%), Brasília (1,02% para 0,89%), Belo Horizonte (1 12% para 1,01%) e Porto Alegre (1,08% para 1,03%).
Estadão Conteúdo
de dezembro de 2015, 07:24

BRASIL Na prisão, Delcídio tem claustrofobia e passa mal

Foto: André Dusek/Estadão
Senador Delcídio do Amaral (PT-MS)
O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) passou mal na prisão no fim de semana, onde passou, pela primeira vez, longas 24 horas sozinho.De acordo com a coluna de Monica Bêrgamo, do jornal Folha de S. Paulo, o petista teve sensação de claustrofobia entre o sábado (28) e o domingo (29), quando não são permitidas visitas de familiares nem de advogados na Superintendência da Polícia Federal em Brasília. As condições e o tratamento dispensado aos presos na PF em Brasília são considerados bons, inclusive por familiares do senador. A cela, por exemplo, não tem grades. E ele tem acesso a uma saleta com cozinha e banheiro por onde circulam policiais. No fim de semana, no entanto, com menor número de funcionários, a rotina geral muda e os presos têm que ser muitas vezes trancados, o que ocorreu com o senador. Ainda de acordo com a publicação, Delcídio já prevê que perderá o mandato de senador e diz saber que de nada lhe serve, nos dias atuais, o prestígio e o acesso a todas as esferas de poder que ele tinha até o dia em que foi preso. “Sou só eu agora”, tem dito a familiares. Maika, mulher do senador, muitas vezes chora compulsivamente, segundo amigos do casal.
de dezembro de 2015, 07:12

ECONOMIA Em queda, comércio baiano já fechou 50 mil postos em 2015

Foto: Evandro Veiga/Correio
O comércio registrou sua quarta queda seguida e foi o segundo pior setor de atividade econômica, com redução de 2,4%, atrás da indústria de transformação (-3,1%). De acordo com o presidente do Sindicato dos Lojistas da Bahia (Sindilojas-BA), Paulo Mota, o varejo teve um resultado abaixo do esperado na maioria das datas comemorativas deste ano, e o PIB retrata a situação. “As pessoas estão demonstrando preocupação com o futuro e isso se reflete no varejo”, diz.Segundo levantamento do sindicato, de janeiro a novembro, mais de quatro mil lojas foram desativadas e 50 mil postos de trabalho foram fechados na Bahia, 18 mil em Salvador. “A projeção é queda de 8% em relação às vendas de dezembro de 2014”.Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Salvador (CDL), Frutos Dias Neto, “se o comercio não vai bem, é um dos sinais de que o Brasil vai mal”. Segundo ele, o peso do setor no PIB é de 60% e, em geração de emprego, o setor também é bastante significativo. Mas a atividade sofre com a inflação e o desemprego.
Correio*
de dezembro de 2015, 07:10

BRASIL Delegados da Lava Jato serão homenageados por entidade de classe em Brasília

Dezesseis delegados de Polícia Federal serão homenageados nesta quarta-feira, 2, em Brasília, por sua atuação na Operação Lava Jato. A homenagem será feita antes da posse do novo presidente da Associação Nacional dos Delegados da PF, Carlos Eduardo Sobral. As equipes de Curitiba e de Brasília irão receber uma placa. “Esse é o momento de destacar o trabalho das autoridades policiais que, no dia-a-dia, presidindo inquéritos e coordenando operações policiais, trazem esperança de um futuro melhor para a sociedade brasileira”, afirma Sobral. O novo presidente sucede Marcos Leôncio Ribeiro, que ocupou o cargo máximo da entidade durante 3 anos e oito meses. Leôncio Ribeiro deve voltar às atividades de Polícia em Brasília. “Com a homenagem à Operação Lava Jato, a Associação dos Delegados de Polícia Federal reconhece a fundamental importância de cada operação policial, de cada inquérito e de cada Delegado que, atuando na atividade fim, contribui para a Polícia Federal ser orgulho nacional”, afirma Leôncio Ribeiro. Os delegados que a entidade homenageará esta noite são os responsáveis pela maior e mais contundente investigação já realizada no País contra a corrupção. A Lava Jato desmontou sólido esquema de propinas encravado na Petrobrás entre 2004 e 2014. A investigação já entrou para a história do País. Dezenas de deputados, senadores, governadores e ex-parlamentares são alvo de uma devassa sem precedentes. Importantes ex-dirigentes da estatal petrolífera foram presos e condenados. Os delegados são de várias regiões do País. Uma parte está concentrada em Curitiba, base da missão Lava Jato. Outra, em Brasília, integra o Grupo de Trabalho com atuação perante o Supremo Tribunal Federal. Outros delegados estão de volta à Superintendência de origem, como São Paulo.
Estadão
de dezembro de 2015, 07:05

BRASIL Cunha atuou para beneficiar bancos liquidados

Foto: Andressa Anholete / Pagos
Eduardo Cunha
No período em que o banqueiro André Esteves, ex-presidente do BTG Pactual, negociava a compra da massa falida do Banco Nacional, extinto em 1995, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), trabalhou de forma persistente, entre 2012 e 2014, para viabilizar uma operação financeira que favoreceria os bancos liquidados e socorridos pelo governo. Se as propostas do deputado tivessem sido sancionadas pela presidente Dilma Rousseff, provocariam um rombo perto de R$ 40 bilhões aos cofres públicos, segundo fontes do Banco Central. Na prática, o teor das emendas do deputado faria com que o Nacional – que já foi um dos maiores bancos do País, com 1,2 milhão de clientes, controlado pela família Magalhães Pinto – passasse da situação de devedor confesso à de credor da União. Passados 20 anos do Programa de Estímulos à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (Proer), o Nacional ainda deve, em 2015, R$ 17,6 bilhões ao governo. O BTG Pactual tinha interesse em comprar o Nacional porque via chances de ganhar dinheiro de duas formas. Esteves considerava ser possível, com o aval do Congresso, transformar pouco mais da metade dos R$ 31 bilhões de crédito em “títulos podres” do banco em dinheiro. Assim, conseguiria pagar o que o Nacional devia à União e ficar com o restante. Além disso, o banco liquidado tinha mais de R$ 10 bilhões em créditos fiscais. Esteves tinha “expertise” em bancos liquidados. Antes, tinha comprado o Bamerindus, que também foi socorrido pelo Proer, por R$ 418 milhões. Em troca, levou R$ 2 bilhões em créditos tributários.
Estadão
de dezembro de 2015, 07:00

BRASIL BR Distribuidora foi ‘retribuição’ a Cerveró, diz delator

Foto: Dida Sampaio / Estadão
José Carlos Bumlai prestou depoimento ontem na CPI do BNDES, na Câmara dos Deputados, em Brasília
O lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano, disse, em acordo de delação premiada com a força-tarefa da Operação Lava Jato, ter ouvido do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que o ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró foi indicado para a diretoria financeira da BR Distribuidora por ter ajudado o Grupo Schahin a obter contrato de operação do navio-sonda Vitória 10.000. Auditoria da estatal constatou irregularidade nesse negócio. Baiano diz que procurou Bumlai – preso na semana passada pela Polícia Federal –, entre fim de 2007 e início de 2008, com pedido de ajuda para manter Cerveró na Diretoria Internacional da Petrobrás, cargo que ele ocupava desde 2003. A articulação fracassou, mas, na mesma época, ele disse ter recebido um telefonema do pecuarista no qual Bumlai afirmou estar no Palácio da Alvorada, onde teria conversado com o então presidente Lula sobre o assunto. Na conversa, Bumlai lhe informou da indicação de Cerveró para a BR Distribuidora. “José Carlos Bumlai telefonou para o depoente e disse-lhe que estava em Brasília, ressaltando que tinha conversado com Lula e que não tinha mais como manter Nestor Cerveró na Diretoria Internacional”, relatam os investigadores da Lava Jato a partir do depoimento de Baiano. “Na mesma ocasião, Bumlai informou que, em razão da ajuda de Cerveró na contratação do Grupo Schahin para operação do navio-sonda Vitória 10.000, ele havia sido indicado para o cargo de diretor financeiro da BR Distribuidora” – cargo que ele ocupou de 2008 a 2014. Cerveró negociou a contratação da Schahin para operar o navio-sonda Vitória 10.000, quando era diretor de Internacional da Petrobrás, por US$ 1,5 bilhão. Auditoria interna da estatal, concluída em maio, confirmou que houve direcionamento indevido na contratação da empresa. O negócio seria uma compensação por empréstimo de R$ 12 milhões do Banco Schahin a Bumlai que teria como destino final o PT. Segundo Baiano, ele e Bumlai acertaram pagamento de US$ 5 milhões em propina a Cerveró e a dois ex-gerentes da estatal, pagos pela Schahin.
Estadão
de dezembro de 2015, 06:55

BRASIL Acusação se baseia em ‘delações torturadas’, afirma defesa de Cunha

Foto: Dida Sampaio / Estadão
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ)
O advogado Marcelo Nobre, responsável pela defesa do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse na sessão desta terça-feira, 1, do Conselho de Ética que a acusação contida na representação contra o peemedebista não traz nenhuma prova e que não pode haver “politização da Justiça”. “A representação se sustenta em duas delações ‘torturadas’, que não fazem provas”, afirmou o advogado. Nobre argumentou que Cunha não mentiu à CPI da Petrobrás quando afirmou não ter contas no exterior. Segundo o defensor, a legislação brasileira não obriga seus cidadãos a declarar valores de trustes (espécie de fundo de investimento) no Imposto de Renda. Em sua avaliação, o conteúdo da representação não oferece “o mínimo de provas” contra Cunha. “Estão querendo que meu cliente faça algo que a lei não obriga”, disse. ‘Natimorto’. O advogado declarou ainda que o processo contra o presidente da Câmara é já “natimorto e seu fim é o arquivamento”. “Abrir um processo para sangrar o presidente da Câmara, a defesa não tem como concordar”, afirmou Nobre. Fausto Pinato (PRB-SP), relator do parecer pelo seguimento do processo, reagiu. “Peço aos nobres parlamentares que coloquem a mão em vossas consciências não para prejulgar, apenas para a gente ter o direito de apurar a verdade. Duzentos milhões de brasileiros lá fora esperam isso de nós”, afirmou. “Aprendi a não fazer prejulgamento por pressão de amigos, imprensa. Não podemos fazer prejulgamento”, acrescentou.
Estadão
de dezembro de 2015, 06:50

BRASIL Doleiro é acusado por fraude em precatório

Foto: Divulgação
Doleiro Alberto Youssef
O doleiro Alberto Youssef e o ex-secretário da Casa Civil maranhense João Guilherme Abreu foram denunciados à Justiça pelo Ministério Público do Estado por envolvimento em fraude no pagamento de um precatório. Segundo a denúncia, Youssef ofertou R$ 3 milhões em propina a servidores públicos estaduais para que a construtora UTC/Constran “furasse” a fila de pagamento dos precatórios do Tribunal de Justiça do Maranhão e recebesse um título de dívida pública no valor de R$113,3 milhões. A denúncia foi oferecida pela 5.ª Promotoria Criminal do Maranhão e, por correr em segredo de Justiça, o Ministério Público informou que a promotora responsável não vai se manifestar sobre o caso envolvendo a UTC. Além do doleiro e do ex-secretário maranhense, também foram denunciados Rafael Ângulo Lopez e Adarico Negromonte Filho, apontados como “funcionários” de Youssef, e o corretor Marco Antonio Ziegert. Adarico é irmão do ex-ministro das Cidades Mário Negromonte. A ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), que chegou a ser apontada como suspeita no caso, ficou de fora da denúncia. Assinada pela promotora Lise de Maria Brandão de Sá Costa, a denúncia afirma que o acerto para pagamento da propina foi feito entre Youssef, Ziegert e Abreu, mas que coube a Ângulo e Adarico entregar os valores. Ângulo teria feito duas entregas diretamente ao ex-secretário – acusado de corrupção passiva – no Palácio dos Leões, sede do governo estadual. Ângulo admitiu ainda que levava maços de dinheiro presos ao corpo e em meiões de futebol e que, em uma das entregas, ele e Adarico chegaram a transportar, cada um, R$ 300 mil em notas de R$ 100.
Estadão
de dezembro de 2015, 06:45

BRASIL Aumento de casos de microcefalia é uma grande “calamidade” , diz ministro

Foto: Divulgação
Ministro da Saúde, Marcelo Castro
O ministro da Saúde, Marcelo Castro, disse ontem (1º) que a situação vivida pelo país com relação ao aumento de casos de microcefalia é a “maior calamidade” que o país viveu nos últimos tempos. “Um drama de dimensões extraordinárias o que está acontecendo. O poder público e a sociedade têm que dar a resposta na mesma altura do drama”, disse o ministro em entrevista a jornalistas logo depois de declarar aberta a 15ª Conferência Nacional de Saúde (CNS). Castro esteve nesta segunda-feira em Pernambuco, estado com maior número de diagnósticos de microcefalia, para debater o Plano Estadual de Enfrentamento das Doenças Transmitidas pelo Aedes aegypti, mosquito causador da dengue, da febre chikungunya e do vírus Zika, que quando infecta gestantes pode provocar microcefalia no feto. No Brasil, são 1.248 casos suspeitos, identificados em 311 municípios de 14 unidades da federação. Entre o total de casos, foram notificados sete óbitos. Os dados são do Boletim Epidemiológico de Microcefalia, atualizado nesta segunda-feira (31) pelo Ministério da Saúde. A 15ª CNS vai reunir até sexta-feira (4) representantes de todos os estados para a formulação de diretrizes para o Plano Nacional de Saúde.
Aline Leal, Agência Brasil
de dezembro de 2015, 06:40

BRASIL Adiada para esta quarta-feira votação de projeto que muda meta fiscal

O Congresso Nacional adiou para esta quarta-feira (2), a partir das 12h, a votação do projeto de lei do Executivo que altera a meta fiscal para este ano. O adiamento ocorreu devido à falta de quórum em votação de proposta da oposição que pretendia inverter a pauta de votações da sessão para deixar para hoje a votação do PLN 5/15, que altera a meta fiscal. Antes, líderes da oposição tentaram com os líderes governistas transferir a votação das alterações da meta fiscal. Como não houve acordo, a oposição propôs votação de requerimento de inversão de pauta. O quórum foi caindo, quando então o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), decidiu encerrar a sessão e convocar outra para as 12h desta quarta-feira. Quando a sessão foi encerrada, 226 deputados tinham registrado presença no plenário e eram necessários, no mínimo 257. O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), reconheceu que não havia outra saída a não ser encerrar os trabalhos e adiar a votação. Segundo ele, a oposição está adotando uma postura “irresponsável”, pois o que está em jogo é o país e não o governo. “O país corre o risco de paralisar se não for votado o projeto de alteração da meta nesta semana”, disse o petista. O líder da minoria na Câmara, deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), afirmou que a oposição vai continuar obstruindo a votação do projeto que altera a meta fiscal na sessão de hoje. Segundo ele, o governo é reincidente ao não cumprir a meta fiscal, “foi assim no ano passado”. Araújo disse que a oposição vai obstruir a votação, mas sabendo que em algum momento o governo vai aprovar a matéria, porque tem votos para isso. A aprovação do projeto de alteração da meta fiscal permite ao governo fechar 2015 com déficit primário de até R$ 119, 9 bilhões.
Iolando Lourenço, Agência Brasil
de dezembro de 2015, 06:35

BRASIL Congresso derruba veto presidencial sobre aposentadoria aos 75

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil
Decisão será comunicada ao governo e o projeto será promulgado
O Congresso Nacional derrubou há pouco, em votação nominal, o veto presidencial ao projeto de lei complementar que regulamenta a aposentadoria compulsória aos 75 anos de idade, com proventos proporcionais para todos os servidores públicos da União. Apresentado pelo senador José Serra (PSDB-SP), o projeto regulamenta a chamada PEC da bengala, aprovada pelo Congresso, que permitiu a aposentadoria para ministros de tribunais superiores e do Tribunal de Contas da União aos 75 anos. Como o projeto teve origem no Senado, a votação do veto começou pelos senadores. Foram 64 votos pela derrubada e 2 pela sua manutenção. Na votação na Câmara, foram 350 votos contra 15. O veto da presidenta Dilma Rousseff foi para todo o projeto. Com a derrubada do veto total, a decisão será comunicada ao governo e o projeto será promulgado. A derrubada do veto foi possível graças a acordo firmado entre a oposição e a base governista. Desde segunda-feira (30), os governistas vinham afirmando que os lideres da base aliada iriam liberar suas bancadas na votação. Antes de apreciar o veto que eleva de 70 para 75 anos a idade a aposentadoria compulsória no serviço público da União, deputados e senadores mantiveram os vetos presidenciais aos projetos de lei que tratam sobre benefício tributário para o turismo rural e do benefício a policiais no Minha Casa, Minha Vida. A ideia dos lideres governistas é votar ainda na noite de hoje o projeto de lei (PLN) 5/15 que altera a meta fiscal de 2015. A oposição insiste em adiar a votação do projeto para amanhã e diz que se a votação for hoje irá obstruir os trabalhos.
Iolando Lourenço, Agência Brasil
de dezembro de 2015, 06:30

BRASIL Manchetes do Dia

- A Tarde: Supremo autoriza investigação contra Renan na Lava Jato
- Correio*: O inferno das balas perdidas
- Tribuna da Bahia: Para concluir linha 2 do metrô governo garante R$ 2 bilhões
- Estadão: PIB cai 1,7 no trimestre e recuperação fica para 2017
- Folha de S. Paulo: Economia afunda em crise histórica
- O Globo: Votação da meta fiscal com déficit de até R$ 119 bi fica para hoje
FONTE: politicalivre
Home Ads