sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

RESUMO DOS PRINCIPAIS JORNAIS DO PAIS

15 de janeiro de 2016
O Globo

Manchete : Dilma dá aval, e partidos receberão R$ 819 milhões
Valor é 163% maior do que o proposto pelo próprio governo

Pressionada, presidente sancionou sem vetos o Orçamento aprovado pelo Congresso, com cortes em quase todas as áreas; partidos alegam que proibição de doações privadas inviabilizaria eleições

Atingidos em grande parte pelas investigações da Lava-Jato, os partidos políticos receberão este ano R$ 819 milhões por meio do Fundo Partidário, preservado dos cortes do ajuste fiscal que atingiram quase todas as áreas do Orçamento da União, sancionado ontem sem vetos pela presidente Dilma. O Planalto foi pressionado por aliados, com o argumento de que a proibição de doações de empresas privadas, aprovada pelo STF em meio ao escândalo investigado na Lava-Jato, inviabilizaria a eleição municipal deste ano. O valor é 163% maior do que os R$ 311,3 milhões que tinham sido propostos pelo governo ao Congresso. Além disso, os 594 parlamentares terão direito a R$ 9 bilhões em emendas individuais ao Orçamento da União. (Pág. 5)

Advogados repudiam Lava-Jato
Carta assinada por 105 advogados, entre eles defensores de réus da Lava-Jato, repudia o que chama de abusos e compara a operação a uma inquisição. (Pág. 3)
Janot pede cassação de petista
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a cassação do mandato do deputado Vander Loubet (PT-MS), denunciado pela Lava-Jato. (Pág. 3)
Tratores da lama de Mariana são furtados
Falsos voluntários que se disseram interessados em ajudar na tragédia de Mariana furtaram quatro máquinas, avaliadas em R$ 2 milhões, que retiravam a lama do distrito de Bento Rodrigues, em Minas. Outros criminosos tentaram sacar com cheques falsos entre R$ 15 mil e R$ 30 mil da conta de doações às vítimas do desastre. (Pág. 5)
Caminho de volta para a Argentina
As reformas prometidas pelo governo Macri recolocaram a Argentina no radar da indústria brasileira, que planeja aquisições e mais exportações. Só a JBS reabrirá 4 fábricas no país vizinho, informa JOÃO SORIMA NETO. (Pág. 17)

Míriam Leitão - Choque de confiança facilitará o ajuste na Argentina. (Pág. 18)

Rio tem a menor taxa de assassinatos
Cidade registrou 18,6 homicídios dolosos por cem mil habitantes, o mais baixo índice da série

A taxa de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) em 2015 no Rio foi a mais baixa de toda a série histórica, iniciada em 1991, revela VERA ARAÚJO. Foram 18,6 assassinatos por cem mil habitantes. No estado, o índice ficou em 25,4, só superior ao de 2012. A taxa de homicídios dolosos é o principal indicador de violência e, na capital, teve seu ápice (73,9) em 1994. Especialistas atribuem a queda à redução das guerras entre traficantes, consequência do processo de pacificação das comunidades. O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, disse que “não há jogo ganho”. (Pág. 9)

Ibama interdita Zoológico do Rio
Sem condições de manter seus três mil animais, o Zoo do Rio foi interditado ontem, pelo Ibama, que constatou que os bichos vivem em espaços inadequados. (Pág. 16)
Vandalismo em SP - Novo protesto tem depredações
Protesto contra o aumento das passagens de ônibus em São Paulo teve depredações e seis detidos. O governador Alckmin acusou o movimento de “vandalismo seletivo”. (Pág. 8)
Editorial
‘Aparelhamento e fisiologismo sustentam a corrupção' (Pág. 14)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete : Janot busca apoio para evitar corte no orçamento
Procurador recorre ao Supremo para tentar formar aliança e impedir que falta de verba afete operações

Em meio a investigações criminais e a expectativa de julgamentos importantes para este ano, representantes do Judiciário e do Ministério Público Federal tentam evitar cortes orçamentários que comprometam o andamento dos trabalhos. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se reuniu ontem por uma hora e meia com o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, para discutir a situação econômica da instituição. O corte no orçamento do Ministério Público chegou a R$ 110 milhões da proposta inicial. No Judiciário a verba foi cortada em R$ 70 milhões no total. A preocupação é com futuros contingenciamentos a serem anunciados. Tanto no Judiciário quanto no Ministério Público teme-se que os cortes afetem gastos com passagens aéreas e diárias, considerados essenciais para a garantia do trabalho de profissionais deslocados de outros Estados para integrar forças-tarefa de investigações – como no caso da Operação Lava Jato. (Política / Pág. A4)

R$ 819 milhões para partidos

A presidente Dilma sancionou, sem vetos, o Orçamento de 2016. Com isso, o Fundo Partidário receberá R$ 819 milhões, mesmo valor aprovado pelo Congresso e 163% maior que a proposta inicial enviada pelo governo. (Pág. A4)

Ato contra tarifa em SP termina em confusão
Clima foi de tensão e bilheteria de estação foi depredada

Após faltar à reunião com representantes de Estado, Prefeitura e Ministério Público e recuar ao divulgar o trajeto de suas manifestações, o Movimento Passe Livre realizou ontem o terceiro ato contra o reajuste da tarifa de ônibus, trem e metrô. Houve depredação da bilheteria da Estação Consolação do Metrô e confusão na Estação Butantã. Oito pessoas foram detidas na Avenida Paulista. Sob chuva, a polícia escoltou os manifestantes nas duas passeatas em São Paulo. Ontem, o MPL divulgou manual com sete passos para travar vias da cidade. (Metrópole / Págs. A13 e A14)

Alckmin vê ‘vandalismo seletivo’

Para o governador Geraldo Alckmin (PSDB), há “vandalismo seletivo” nos protestos. “Não teve manifestação quando a inflação passou de 10%.” (Pág. A14)

BB deve liberar mais R$ 10 bi para crédito agrícola
O Banco do Brasil vai destinar mais R$ 10 bilhões para o financiamento agrícola, a juros mais baixos, sem ajuda do Tesouro Nacional. Isso será possível porque a instituição foi dispensada de guardar no Banco Central parte da poupança rural que não foi emprestada em 2015, como era a regra. A medida está inserida nos planos do ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, de ampliar o crédito sem novos subsídios. (Economia/B1)
Vazamento de gás atinge litoral
Vazamento de gás seguido de incêndio atingiu ontem um terminal de cargas no Guarujá e espalhou uma nuvem de produtos químicos sobre o litoral sul
de São Paulo.A fumaça tomou o distrito de Vicente de Carvalho, chegou a Santos e paralisou o porto. Pelo menos 600 casas tiveram de ser desocupadas
e 39 pessoas receberam atendimento médico com sinais de intoxicação. (Metrópole/ A11 e A12) 

ANS dá novo prazo à Unimed Paulistana (Metrópole/A15)

Preço do aluguel cai pela 1ª vez desde 2008 (Economia/B5)

Notas&Informações
Manifestações e vandalismo - Desde 2013 tem havido confusão entre direito de se manifestar e desrespeito à ordem pública (A3)

A imagem do Brasil em Davos - Qualquer conversa franca sobre a experiência recente e as perspectivas do Brasil será difícil e penosa (A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete : Alckmin corta R$ 6,9 bilhões do orçamento de SP em 2016
Tucano decidiu congelar 3,3% da verba ao prever queda maior na arrecadação

Diante da crise econômica, o governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB), decidiu congelar R$ 6,9 bilhões do orçamento de 2016 —o equivalente a 3,3% do total previsto (R$ 207,4 bilhões). Do valor cortado, R$ 3,9 bilhões são referentes a despesas de custeio e outros R$ 900 milhões, juros da dívida. O governo tucano não detalhou a retenção dos R$ 2,1 bilhões restantes, mas é provável que a conta inclua congelamento de investimentos em obras e novos programas. Áreas como saúde e educação devem sofrer os menores cortes, uma vez que parte das despesas nessas pastas é obrigatória por lei. A principal justificativa para o corte é a avaliação de que a crise afetará novamente o caixa do Estado. A estimativa do governo de arrecadação de ICMS (70% da receita estadual) caiu R$4,3bilhões em relação às projeções de agosto passado. As medidas de bloqueio em São Paulo, tomadas desde o ano passado, são parte de um cenário nacional de penúria que atinge todo o setor público do país. A situação é mais dramática em Estados como Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, em que salários estão sendo atrasados e serviços essenciais, como saúde, prejudicados. (Poder a4)

Impasse com Brasil deixará Israel sem embaixador no país
O premiê de Israel, Binyamin Netanyahu, afirmou que manterá a indicação de Dani Dayan para a embaixada em Brasília. Como o Itamaraty se opõe ao nome, o impasse deixará o posto vazio. Dayan é ativo defensor dos assentamentos israelenses em áreas disputadas com os palestinos. Para o Brasil, a ocupação é ilegal. (Mundo a11)
MST abre mão da cor vermelhaao ir a evento do PSDB
Movimento sem terra abdicou do vermelho no evento em que o governador tucano Geraldo Alckmin ( SP) sancionou lei que permite transmitir terras a herdeiros de assentamentos. O ato solene, diz o MST, justificou a ausência de seus símbolos. (Poder a5)
Foto-legenda : Frentes
PMs acompanham protesto contra reajuste do transporte no centro de SP, um dos dois atos realizados ontem pelo Passe Livre na cidade; não houve confrontos (Cotidiano B3)
Vazamento de gás em Guarujá leva pessoas a deixarem casas
Um vazamento de gás seguido de focos de incêndio na empresa Local frio, em Guarujá (litoral sul paulista), deixou uma extensa nuvem de fumaça na região. Segundo especialista, a fumaça é tóxica, mas a dispersão ao ar livre reduz os riscos. Pessoas relataram dores de cabeça e náuseas. A prefeitura pediu a moradores da área que deixassem suas casas. (Cotidiano B1)
Reinaldo Azevedo
Não sobrou a Lula nem o calcanhar fora das águas da inimputabilidade (Poder A7)


Editoriais
Leia “Ladeira abaixo”, a respeito de dificuldades da Petrobras, e “Radicalização moderna”, acerca de discurso de Barack Obama sobre o Estado da União. (Opinião A2)

Fonte: radiobras
Home Ads