quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

RESUMO DOS JORNAIS

03 de fevereiro de 2016

O Globo

Manchete: Dilma pede ajuda ao Congresso contra recessão
Presidente é vaiada por oposicionistas ao defender volta da CPMF

Na abertura do ano legislativo, petista fez um apelo pela aprovação de medidas para o reequilíbrio financeiro, comprometeu-se com reformas, mas deixou de lado temas como a Educação

Com o Brasil enfrentando a pior recessão das últimas décadas, a presidente Dilma foi ontem ao Congresso, na abertura do ano legislativo, fazer um apelo por apoio a medidas que ajudem o país a retomar o crescimento. Dilma foi vaiada por oposicionistas ao pedir a aprovação da CPMF, que definiu como a “melhor solução disponível” para elevar a receita. Ela prometeu adotar limite para gastos públicos e se empenhar na aprovação de reformas, como a da Previdência. O discurso deixou para trás prioridades do primeiro ano de governo, como o lema “Pátria Educadora”. (Págs. 3 e 4)

Míriam Leitão

Gesto de Dilma foi bom, mas faltou dar a dimensão da crise. (Pág. 22)

Teto para gastos de estados e municípios
A proposta de reforma fiscal que o governo Dilma pretende enviar para o Congresso ainda este semestre deverá incluir também a fixação de um novo teto para as despesas de estados e municípios. Hoje, já há limites para gastos com pessoal e endividamento, mas a equipe econômica quer fazer um ajuste maior nas contas, sobretudo nas despesas com previdência. Em troca, a União vai se comprometer a mudar imediatamente o indexador da dívida dos estados e ainda a acelerar a liberação de empréstimos, informa Martha Beck. (Pág. 25)
Contra crise, Rio quer cortar subsídios
Pacote do governo Pezão prevê corte de subsídios ao transporte público. Concessionárias deverão aumentar tarifa. A previsão de déficit do estado este ano é de R$ 20 bilhões. (Pág. 9)
Indústria tem queda recorde em 2015
A produção industrial caiu 8,3% no ano passado, e analistas preveem nova retração em 2016. (Pág. 21)
Manobra adia processo contra Cunha
Nova manobra, desta vez de Waldir Maranhão (PP-MA), vice-presidente da Câmara e aliado do presidente da Casa, Eduardo Cunha, levou o processo por quebra de decoro contra o peemedebista de volta à estaca zero. (Pág. 5)
Moro suspende ação contra a Odebrecht
O juiz Sérgio Moro suspendeu temporariamente processo contra a Odebrecht após a Suíça considerar ilegal envio de dados ao Brasil. (Pág. 6)
Lula deixa de lado antigo refúgio
Menor e mais simples que o de Atibaia, que teria sido reformado pela Odebrecht, um antigo sítio do ex-presidente não é mais frequentado por ele. (Pág. 6)
Tucano deve ser investigado
O MP pediu ao STJ inquérito sobre a suposta ligação do governador tucano do Paraná, Beto Richa, com fraudes. (Pág. 6)
Microcefalia não para de crescer
O número de casos de microcefalia confirmados no Brasil aumentou 49,6% em apenas uma semana. (Pág. 8)
Ancelmo Gois
Barra passou Bangu em casos de dengue, segundo FGV. (Pág. 14)
Ana Lucia Azevedo 
Evidências que ligam zika e microcefalia são fortes. (Pág. 8)
Editorial 
‘Mais responsabilidade do Brasil na emergência mundial’ (Pág. 18)
Obituário 
Luiz Felipe Lampreia, 74

Chanceler nos governos FH, Luiz Felipe Lampreia morreu no Rio. (Pág. 7)

------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Dilma defende nova CPMF e é vaiada no Congresso
A presidente Dilma Rousseff foi vaiada por oposição e base aliada ontem, ao pedir apoio de deputados e senadores para aprovação da CPMP e da reforma da Previdência, na abertura do Ano Legislativo. Ela não participava da cerimônia desde 2011. Parlamentares também reagiram quando Dilma falou de arrecadação, obra de transposição do Rio São Francisco e mudanças que mexeram em direitos trabalhistas e previdenciários. A interrupção de Mara Gabrilli (PSDB-SP), no entanto, foi o que mais incomodou a presidente. "O Brasil não consegue cuidar do seu povo", gritou ela, quando Dilma falava sobre adaptação do sistema de saúde para atender crianças com microcefalia. A presidente disse que esperava que a deputada contribuísse com "boas ideias".Na entrada do Congresso, Dilma cumprimentou a todos com beijinhos, exceto o presidente da Câmara, Eduardo Cunha,que recebeu aperto de mão. Em seu discurso, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), defendeu independência do Banco Central. (Política, pág. A4)

Decisão suíça faz Moro suspender reta final de ação da Odebrecht
O juiz Sérgio Moro suspendeu ontem os prazos de alegações finais das defesas em ação penal que envolve a Odebrecht. A decisão ocorreu após a Justiça suíça considerar irregular o envio ao Brasil de documentos usados pela Operação Lava Jato para sustentar apurações de supostos crimes praticados pela empreiteira e seus funcionários. Advogados pediram a Moro que exclua dos autos papéis sobre contas pelas quais ex-dirigentes da Petrobrás teriam recebido propina. (Política, pág.A6)

Aliado aceita recurso e ação contra Cunha volta à fase inicial
O vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), aceitou ontem recurso favorável ao presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no processo disciplinar em trâmite no Conselho de Ética. Na prática, essa decisão anulou votação do parecer prévio do relator Marcos Rogério (PDT-RO) e obrigou o colegiado a voltar a analisar a ação por quebra de decoro parlamentar de Cunha do ponto da discussão sobre a admissibilidade do processo. (Política, pág. A5)

OMS vai criar 30 centros de estudo de zika
O plano da OMS para conter o zika vírus e o avanço da microcefalia inclui a criação de 30 centros de monitoramento para tentar identificar a doença e a padronização dos diagnósticos. A entidade criou unidade especial com 50 especialistas. Ontem, o lnstituto Butantã e o laboratório Sanofi Pasteur anunciaram que vão desenvolver vacina contra o zika. (Metrópole, pág. A12)

Petista sugere manobra para aprovar imposto
O líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), sugeriu incluir a recriação da CPMF na Proposta de Emenda à Constituição que prorroga a Desvinculação de Receitas da União e já esta tramitando. Sobre a Previdência, o ministro da Fazenda, Miguel Rossetto, disse não haver pressa para mudar regras da aposentadoria. (Pág. A4 e Economia, pág. B6)

Cresce pressão do governo para BC reduzir juros
Desde que o Copom manteve a Selic em 14,2.5%, a expectativa no governo passou a ser a de que o Banco Central comece a apontar para a queda de juros ainda neste ano. A pressão aumentou após dados de grandes economias, como a americana e a japonesa, indicarem deterioração do quadro internacional, com reflexo na inflação brasileira. (Economia, pág.B1)

Luiz Felipe Lampreia
? 1941 + 2016

Ministro das Relações Exteriores de 1995 a 2001, no governo Fernando Henrique Cardoso, morreu ontem aos 74 anos no Rio. (Política, pág. A8)


Samarco excedeu limite de represa, diz PF
(Metrópole, pág. A14)

Dora Kramer
Lá se vão os anéis

Luiz Inácio Lula da Silva e José Dirceu começaram a admitir atos até então negados, numa nítida tentativa de redução de danos. (Metrópole, pág. A6)


Eliane Cantanhêde
Dilma: e eu com isso?

Crise arrasta milhares de empregos. Mas isso Dilma não disse no Congresso. Ela feia e age como se tivesse zero responsabilidade por essa tragédia nacional. (Pág. A8)

Notas & Informações
PT se agarra ao mito
Só o caradurismo de militantes é capaz de sustentar que Lula é a "alma mais honesta" do Brasil.


A indústria com anemia
Não há recuperação fácil depois de anos de redução do investimento produtivo.


(Pág. A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Folha de S. Paulo

Manchete: Dilma pede apoio ao Congresso e é vaiada ao defender a CPMF
Presidente considera a volta do tributo uma saída rápida para melhorar as contas do governo

Parte do plenário da Câmara, ocupado por deputados e senadores, vaiou a presidente Dilma, que esteve no Congresso para pedir apoio a ações contra a crise. Em discurso de 40 minutos na reabertura das atividades do Legislativo, a petista foi interrompida várias vezes, em especial ao defender a recriação da CPMF como saída rápida para melhorar as contas do governo. A presidente afirmou que a retomada do tributo seria uma medida “temporária” e “em favor do Brasil”. Alguns parlamentares, durante a fala de Dilma, ergueram placas que tinham os dizeres “Xô CPMF”. Houve oito momentos em que Dilma recebeu vaias. Ela pediu então aos parlamentares que formassem um juízo sobre o assunto, levando “em conta dados e não opiniões”.Em outros 13 momentos, foi aplaudida. A presidente defendeu também a reformada Previdência, a importância do combate ao vírus zika e a alteração da legislação de acordos de leniência. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), disse que a Casa analisará as propostas enviadas pelo Executivo,mas lembrou das dificuldades políticas de 2015 e afirmou que 2016 será “mais difícil”. (Poder A4)

Tribunal suíço vê erro em conduta contra Odebrecht
Tribunal da Suíça considerou irregular a transferência para o Brasil de provas contra empresas atribuídas à Odebrecht, mas rejeitou decretar a devolução de documentos que ligariam a empreiteira a pagamentos de propina no petrolão. Para a corte, houve erro de procedimento de procuradores antes do envio de dados. Após a decisão, o juiz Sergio Moro suspendeu a ação penal contra executivos da empreiteira, porém negou pedido da defesa para invalidar provas. (Poder A6)
Aliado de Cunha manobra, e ação contra deputado regride de novo
O processo de cassação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), voltou praticamente à estaca zero após manobra de um aliado dele, o vice-presidente da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA). Ambos são investigados pela Lava Jato. O deputado maranhense, que decidiu anular uma sessão do Conselho de Ética, já havia protelado essa tramitação ao destituir o primeiro relator do processo. (Poder A5)
Procuradoria-Geral pede para investigar Beto Richa, do PSDB
A Procuradoria-Geral da República pediu ao STJ a abertura de inquérito contra o governador Beto Richa (PSDB-PR), citado em investigação sobre corrupção na Receita Estadual. A suspeita é que o esquema tenha abastecido campanhas eleitorais. O tucano nega as acusações e diz que as contas da campanha foram aprovadas pela Justiça Eleitoral. (Poder A8)
Elio Gaspari
Processo sem prova não atenta só contra metido em ladroeira (Poder A8)
Hillary Clinton e Ted Cruz vencem 1ª prévia nos EUA
A ex-secretária de Estado Hillary Clinton teve vitória apertada na primeira prévia da eleição presidencial dos EUA, no Estado de Iowa. A democrata venceu Bernei Sanderspor 49,9% a 49,6%. Entre os republicanos, o senador Ted Cruz (28%) ganhou do favorito Donald Trump (24%). (Mundo A9 e A10)
Produção industrial recua 8,3%, a maior queda desde 2003
A produção da indústria brasileira caiu 8,3% no ano passado, o pior resultado da série histórica da pesquisa do IBGE, que teve início em 2003. É o segundo ano consecutivo de queda. Em 2014,foi de 3%. Houve redução em 25 de 26 setores estudados—a demais impacto, a de veículos automotores, 25,9%.(Mercado A11)
Ex-chanceler do governo FHC, Luiz Felipe Lampreia morre aos 74 anos (Mundo A10)

Vinícius Torres Freire
Crédito de grandes bancos deve crescer menos que inflação

A carteira de crédito de Itaú e Bradesco deve crescer menos que a inflação neste ano. A baixa do número de pessoas empregadas e a do salário médio deve aumentar. Como o consumo vai se salvar? Na pele, a sensação de crise vai ser mais ardida. (Mercado A13)

Editoriais 
Leia “Parado na direção certa”, acerca de reforma da Previdência, e “Justiça, desta vez”, a respeito de condenação de policiais pela morte de Amarildo. (Opinião A2)
Home Ads