domingo, 27 de março de 2016

SENTO SÉ: TRADIÇÕES CULTURAIS, FOLCLÓRICAS, SINCRETISMOS RELIGIOSOS EM DECANDENCIA

A tradição dos Congos em Sento Sé vem sendo cultuado e perpertualizado pela família do saudoso Séo Cantonilio e familiares do senhor Zé Verdim que lutam para   florescer   um dos mais autênticos folclóricos do município.

IMAGENS DOS CONGOS HOJE (27/03) DOMINGO DE PASCOA



FOTOS: Osiel Amaral

SEXTA -FEIRA SANTA : IGREJA CATÓLICA CELEBRA AS SETE DORES DE MARIA

Na noite de Sexta-feira da Paixão, uma caminhada de fé foi realizada pelos fiéis católicos de Sento Sé como parte das comemorações da Semana Santa.  Centenas de  pessoas, fiéis e integrantes do grupo Jovem e teatro da Paróquia de São José, participaram e acompanharam a  Procissão, com a reflexão das ‘Sete Dores de Nossa Senhora”

 Na memória dos católicos a recordação das dores de Maria. “Maria firme na companhia de seu filho amado. Esta firmeza de Maria a aproxima do seu filho sofredor ate a cruz. A mãe de Jesus esta lá marcada pela dor e sofrimento, mas permanece disposta no seguimento para o extremo da cruz”.
Foto Arquivo do Sento Sé Agora - Osiel Amaral

TRADIÇÃO DA SUBIDA DA MONTANHA (SERRA) NA SEXTA-FEIRA SANTA (ACABANDO)
A sexta-feira Santa em Sento Sé era marcada por diversas demonstrações de religiosidade, fé, misticismo, sacrifícios com a subida da montanha dos centenas de pessoas, uns como ritual de fé, promessa, diversão. Este ano poucas pessoas se arriscaram a subir a montanha.

Fotos Arquivo de Osiel Amaral 

OS PENITENTES - PRATICAMENTE ACABARAM
 Os Penitentes faziam suas rezas, lamentações e rituais nos Cemitérios da cidade. Os cordões de “Alimentadoras de almas” formado pelas mulheres e os “Disciplinadores” (homens que se autoflagelam). Segundo os organizadores, vândalos e desocupados, não respeitavam o direito de todos, jogavam pedras, paus, latas de cervejas nos membros dos cordões, que pagavam suas penitencias. Por questões de segurança, não saem em cortejo pelas ruas e avenidas da cidade. Atualmente, um reduzido numero ainda mantém suas penitencias.
Fotos arquivo de Osiel Amaral 

Sábado de Aleluia -  Queima de Judas

Sábado de Aleluia, dia que antecede a celebração da Páscoa, é também dia de muitas tradições, a queima de Judas, representação da morte, por enforcamento, de Judas Iscariotes, traidor de Jesus Cristo.
Esta tradição continua viva em algumas comunidade do município de Sento Sé. Moradores do bairro Tombador, são responsáveis em manter o costume desde o antigo povoado.

Em Sento Sé, a prefeitura municipal todos os anos dava apoio com a aquisição dos Bonecos, disponibiliza carro de som para animação do evento e leitura do testamento e até recursos para ajudar nos gastos da tradição. Ha alguns anos o poder publico deixou de contribuir diretamente com o evento, uma vez que alguns organizadores malhavam as autoridades e personalidades do município, às vezes por questões político-partidárias. 


NASCE NOVA TRADIÇÃO NO CÍCERO BORGES 


Moradores do bairro Cícero Borges estão inovando criando o seu próprio boneco (Juda) e na Sexta-feira Santa, mascarados de caretas de fabricação própria saem pelas ruas da cidade pedindo donativos para a festa. 

RIACHO DOS PAES - TRADIÇÃO DOS " CADERUDOS" CONTINUA VIVA

Foto: Laurenço Aguiar (Facebook)

GRANDES ATRAÇÕES E ENCENAÇÕES NA PRINCIPAL PRAÇA DA CIDADE ATRAíA MULTIDÕES


Fotos de Osiel Amaral - Arquivo

"SENTO SÉ, UMA CULTURA QUE MORRE"











Home Ads