quarta-feira, 13 de abril de 2016

OPINIÃO: “O TEMPO NÃO PARA!... NO ENTANTO ELE NUNCA ENVELHECE”!

  
A filosofia musical revolucionária, que dá nome a este texto, me faz refletir sobre a nossa vida social e a política geral. O atual momento nos leva a reflexões, com ou sem respostas: se os nossos ancestrais tivessem tido uma vida ativa na política, teriam dado uma ótima, rica e grande contribuição, pelo grau de seriedade e honestidade que tinham – acredito que isso é fato para reconhecimento generalizado.
                Os representantes do Sistema Político tradicional, desde o princípio da organização social, fez um adestramento humano para que as pessoas não sentissem necessidade nem importância de participar das decisões relacionadas à vida das pessoas – fazendo-os entenderem que quem tem poder econômico manda e os outros obedecem!... Ainda criaram um chavão popular, maldoso, dentro da logica do referido adestramento, e que diz o seguinte: “manda quem pode, obedece quem tem juízo”!
                Inevitavelmente, a sociedade terá, pós-crise, inevitavelmente, muitas oportunidades de ganhos, pois, especialistas diversos já afirmaram que: “toda crise é oportunidade para se crescer”. A crise atual é clara e distinguível: seja na economia; na política; e seja na moral – afetando, mesmo sem generalizar, as instituições, representações políticas, autoridades e por que não a sociedade.
                O País vive um novo momento de disputa de poder (entre projetos políticos) das ideologias antagônicas (de esquerda e de direita)!... Nesse contexto o chamado “vale tudo” é inevitável - na história do mundo, determinados comportamentos sem lógica, e/ou polêmicos, sempre estiveram presentes. No Brasil, não foi diferente, e, nem será!
                Não tendo a aprovação do impeachment essa disputa com traços tratados de “espúrios”, há de continuar, por diversas naturalidades da luta política ideológica entre seres vivos de interesses diferenciados. Quem representa o projeto político chamado “de esquerda”, buscará a sua continuidade no comando do Governo Federal...          Caso tenha à aprovação do impeachment, segundo especialistas “não haverá resposta mediata para a crise”: a economia continuará por “mais algum tempo”      em baixa; não se transforma a moral socia l de uma Nação, “de uma hora para outra”, muito menos alterar um Sistema Político “apodrecido – problemático – corrupto”, de forma rápida nem fácil!... O senhor Michel Temer do PMDB, seria o único, ou maior beneficiado: entraria, ou entrará para como presidente da República e ficaria, ou ficará com os respectivos benefícios após o fim do mandato – os que passariam, ou passarão a serem promovidos com cargos públicos também ganhariam, ou ganharão.
                De modo que, a divisão ideológica no País é grande e cristalina, o crescimento da ideologia da esquerda garante essa divisão e esse equilíbrio político, inclusive nas respectivas disputas, inclusive a eleitoral, o aprofundamento do processo democrático, a alegação de tentativa de rompimento do chamado “estado democrático de direito”, mostra uma conjuntura propícia a “brigas”, mas que precisa, mais do que nunca, do espírito e compromisso com a Paz. O que ninguém vai poder fazer é evitar a continuidade da vida do País!
 Laurenço Aguiar – Cidadão Comum, Militante Social.
Home Ads