segunda-feira, 9 de maio de 2016

OPINIÃO: Governo chega ao fim de linha

por Samuel Celestino
Governo chega ao fim de linha
Foto: Roberto Stuckert Filho/ PR
Chega ao fim da linha o afastamento da presidente Dilma Rousseff do seu mandato, cuja votação está prevista para esta quarta-feira (11), se o Senado da República decidir pelo seu afastamento do posto, o que certamente acorrerá. O novo governo, com a queda do comando petista e a ascensão de Michel Temer, leva o PMDB pela primeira vez ao poder, a partir de uma base de sustentação ampliada por diversos partidos que formarão o novo ministério, ainda não totalmente formado. Será um ministério fatiado para dar lugar aos integrantes das legendas que sustentarão o novo governo. Com isso, Temer deverá ter apoio do Congresso, o que faltou à gestão de Dilma, deixando-a insustentável. Não somente. Os apoios deverão partir de diversos segmentos, como o empresarial, que já havia se distanciado da gestão e agora retorna, até porque não há outra solução. Em síntese, o novo comando precisará debelar os problemas da economia e arrefecer o setor político, para construir mudanças estruturais que serão decisivas para mudar a crise instalada. Não há alternativas. Ou será assim ou o País se desmantela, atingindo todos os setores e classes sociais. Portanto, convém esperar, porque não tem como chegar a uma situação pior.

BN
Home Ads