quarta-feira, 15 de junho de 2016

Força-tarefa da Lava Jato diz ter 'elementos concretos' para denunciar Lula

Força-tarefa da Lava Jato diz ter 'elementos concretos' para denunciar Lula
Foto: Reprodução / NBR
A força-tarefa da Operação Lava Jato avalia que já possui "elementos concretos" para denunciar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em pelo menos três das seis frentes de investigação. A espera agora é pela remessa definitiva dos documentos comprobatórios chegarem em Curitiba, como determinou o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF). De acordo com O Globo, as denúncias são sobre o tríplex do Guarujá, a reforma no sítio de Atibaia e o aluguel de contêineres para transportar o acervo de Lula, pagos pela OAS. Foram enviados para Curitiba três petições, três inquéritos e dez ações cautelares, todos sob sigilo. As investigações contra Lula estão paralisadas desde 28 de março, quando Moro determinou o envio das ações ao STF, após aparecerem interceptações do petista conversando com a presidente afastada Dilma Rousseff (PT). Na gravação, Dilma avisa a Lula que lhe enviará um termo de posse para ser usado, se necessário. Os áudios não poderão ser incluídos na lista de provas, já que Teori os anulou. Além das três suspeitas, os investigadores apuram ainda se o Instituto Lula e a empresa LILS Palestras, de propriedade do ex-presidente, foram usados para recebimento de vantagem indevida de empreiteiras em troca de contratos na Petrobras. Outra frente apura atuação de Lula na obstrução da Justiça ao atuar na compra do silêncio do ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, segundo acusação do ex-senador Delcídio Amaral em delação premiada. O juiz Sergio Moro terá que decidir também sobre uma outra ação contra Lula, de autoria do Ministério Público de São Paulo, que pediu prisão preventiva de Lula por lavagem de dinheiro e falsidade ideológica por suspostamente ter ocultado a propriedade do tríplex de Guarujá. O caso foi remetido para Moro por decisão da Justiça de São Paulo, sob argumento de que se relaciona com as investigações em curso na Lava Jato. Todo o caso será remetido ao Ministério Público Federal do Paraná, que analisará se incorpora o caso nas investigações em curso, se oferece nova denúncia contra Lula ou se pede o arquivamento do caso. O ex-presidente nega as acusações da força-tarefa. A defesa ainda não decidiu quando entrará com o recurso no STF, mas espera-se que aconteça nesta semana, para evitar qualquer tipo de ação no MPF do Paraná.

Fonte: BN
Home Ads