segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Moro nega aliviar fiança de R$ 1 mi a ex-tesoureiro do PT

Foto: Divulgação

Ex-tesoureiro do PT Paulo Ferreira
O juiz federal Sérgio Moro negou nesta segunda-feira, 19, à defesa do ex-tesoureiro do PT Paulo Ferreira aliviar a fiança de R$ 1 milhão. Na semana passada, Moro revogou a prisão do petista, mas impôs a ele o recolhimento daquele valor. Alvo da Operação Abismo, 31.º desdobramento da Lava Jato que investiga propinas em obras do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da Petrobrás (Cenpes), Ferreira foi preso no dia 23 de junho. Na última sexta-feira, 16, a defesa enviou um pedido de reconsideração a Moro, alegando ‘que não tem condições de pagamento, por (ele, Ferreira) estar sem renda e com o patrimônio imobilizado’. Moro destacou na decisão desta segunda que a ‘fiança é imprescindível’. “A defesa não realiza qualquer demonstração de suas afirmações, deixando de discriminar o patrimônio do acusado ou de demonstrar que ele, como afirma, estaria imobilizado por ordem de outro Juízo”, anotou o magistrado. Após a decisão de Moro, a defesa fez um novo pedido de reconsideração nesta tarde. Os advogados Elias Mattar Assad e Vicente Bomfim afirmaram que o ex-tesoureiro está desempregado, com dívidas junto ao Banco do Brasil e à Caixa Econômica Federal e bens bloqueados pela Operação Custo Brasil – outra investigação. “Impor o pagamento de fiança no montante arbitrado é o mesmo que indeferir o pedido, vez materialmente impossível seu pagamento. Ainda que o requerente tivesse o referido valor, este estaria bloqueado por decisão da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo”, anotaram os defensores. Paulo Ferreira foi interrogado na quarta-feira, 14, por Moro e confessou que o PT – e os outros partidos políticos – trabalha com recursos não contabilizados. O ex-tesoureiro da legenda disse que ‘negar informalidades nos processos eleitorais brasileiros de todos os partidos é negar o óbvio’.
Estadão/politicalivre
Home Ads