sexta-feira, 5 de maio de 2017

Duque: Lula mandou Vaccari arrecadar propina antes mesmo de ser tesoureiro do PT

O ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque afirmou nesta sexta-feira, 5, em juízo, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou que João Vaccari atuasse cobrando propinas às empresas que prestavam serviços à estatal antes mesmo de ele se tornar tesoureiro do PT. Segundo ele, o presidente Lula era chamado por “chefe”, “grande chefe”.Em depoimento ao juiz Sérgio Moro, Duque disse que Vaccari começou a arrecadar propinas ainda em 2007. “Ele não era tesoureiro mas começou a atuar na arrecadação”, afirmou. Moro então quis saber o motivo. “Porque o então presidente Lula determinou isso”, respondeu.Duque, que foi diretor de Serviços da Petrobras entre 2003 e 2012, disse que conheceu Vaccari naquele ano de 2007, por meio do então ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Naquele ano, segundo ele, foi chamado a Brasília e, na ocasião, Bernardo teria dito: “Você vai conhecer uma pessoa indicada pelo… e aí fazia este movimento (neste momento Duque passa os dedos pelo queixo, como se cofiasse uma barba). Não citava o nome”, disse. “O presidente Lula era chamado por “chefe”, “grande chefe ou este movimento com a mão”. O ex-diretor da Petrobras prossegue relatando o que Bernardo teria dito a ele: “Você vai receber uma pessoa que está sendo indicada e ele vai conversar com você. E ele vai ser agora quem vai atuar junto às empresas que trabalham com a Petrobras. Foi quando eu conheci o Vaccari em 2007″, disse.Vaccari e Duque são réus da Lava Jato. O ex-tesoureiro foi preso em abril de 2015. O ex-diretor da estatal em fevereiro de 2015. Ambos já estão condenados por corrupção e lavagem de dinheiro.Duque afirmou ainda que a diretoria de Serviços da Petrobras era loteada ao PT, assim como a diretoria de Abastecimento era usada para arrecadação do PP. Ele descreveu o esquema da seguinte forma: quando uma empresa vencia uma licitação para um contrato acima de R$ 100 milhões era procurada pelo tesoureiro do PT para pagar propina de cerca de 1% sobre o valor dos contratos.
Estadão Conteúdo/politicalivre
Home Ads