sábado, 2 de setembro de 2017

SENTO SÉ: DIRETOR DA APLB SINDICATO: “SE QUEREM ENCERRAR SUAS CARREIRAS POLITICAS, VOTEM NESSE PROJETO”

Na ultima quinta-feira (31), durante a Sessão Ordinária da Câmara de Vereadores os representantes da APLB SINDICATO / Nucleo de Sento Sé, Ailton Rodrigues e Guara usaram o espaço “Tribuna Livre” para defenderem os interesses dos professores considerando  à intensão demonstrada pelo Executivo no envio de  um projeto à Câmara retirando direito dos trabalhadores.
O primeiro a usar a palavra foi o senhor Ailton Rodrigues: Iniciou dizendo que o Poder Executivo ainda não procurou a direção da APLB para debater sobre a questão da folha de pagamento da Educação. Disse: “ Precisamos entender a folha de pagamento por diversos aspectos. Precisamos ter elementos para estudo financeiro”. O representante questionou as dificuldades que a gestão municipal tem em liberar cópia da folha analítica desde a gestão passada. Apresentou alguns dados:
Guara - Diretor APLB
Temos em média 700 professores. A folha de pagamento é de 2 milhões de reais. 60% corresponde ao valor de um milhão e duzentos mil reais, dividido  por 700 cada professor receberia algo em torno de nove a dez mil reais. Continuando: “ Não podemos (e essa casa) discutir direitos dos trabalhadores sem antes ter a real situação. HOJE, temos um número excessivo de pessoas que não estão em seus postos de trabalho. A legislação diz que somente poderá receber do dinheiro da educação quem estiver no verdadeiro exercício. É estar na sala de aula, coordenador pedagógico, diretor, etc. e não pessoas que estão na folha sem atividade. HOJE, temos uma série de excedentes ditos pela própria administração e estamos contratando trabalhadores para ir para o interior? Que regra é essa ? Se tem professores excedentes tem que voltarem aos seus postos de trabalho. Combater o apadrinhamento politico. Outra, cria-se turmas com oito, dez alunos, isso não existe. Segundo o MEC o mínimo é 20 alunos por turma. Se a gestão tem dificuldades que venha sentar conosco. Tem professores que não estão na sala de aula por apadrinhamento, alguns estão na sede do município.
Se fizermos o ajuste, o dinheiro do Fundeb dará para pagar a folha dos professores! Concluiu Ailton Rodrigues.
O Diretor do Nucleo da APLB, senhor Guara, fez um resumo dos recursos do FUNDEB. Até a presente data já caíram R$ 23.980.816,95. A previsão para o mês de Agosto é de R$ 2.027.258,52. Até Dezembro deverá ser creditado mais 8 milhões para pagar os professores.
Concluindo, deixou um recado aos Vereadores:  “ Se os Senhores quiserem encerrar suas carreiras politicas, é só votarem nesse projeto da Prefeitura contra os trabalhadores”. Embora ainda não ter chegado. Concluiu.

O Presidente da Casa Legislativa, Juliano Afonso, tranquilizou os representantes da APLB dizendo: “... que até aquele momento nenhum projeto teria sido enviado pelo Executivo. E que ficassem tranquilos, não iremos aprovar nada para prejudicar os professores ou ao povo”
Home Ads