sexta-feira, 6 de outubro de 2017

BRASIL: AGÊNCIA ENTREVISTA: “PT está fadado a se marginalizar”, diz cientista político

"O PT está fadado a se marginalizar no espectro político brasileiro, e a ser um partido talvez um pouco maior que o PSOL.”
Por: João Paulo Machado
A carta de desfiliação ao Partido dos Trabalhadores divulgada nesta semana pelo ex-ministro Antônio Palocci atingiu em cheio o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O petista que é réu em sete processos na justiça, agora é denunciado por um correligionário de décadas. No documento, Palocci acusa Lula de ter recebido propina e afirma que o ex-presidente “dissociou-se do menino retirante para navegar no terreno pantanoso do sucesso sem crítica, do tudo pode, do poder sem limites”.
E para comentar o impacto político que essa carta pode causar ao ex-presidente e a seu partido, o Agência Entrevista recebe o cientista e professor da Universidade de Brasília, Paulo Kramer.

Professor, em 2010, no último mês de seu mandato, Lula atingiu um índice histórico de 87% de aprovação. Hoje, sete anos depois, ele sofre com processos, foi condenado na Lava Jato, e tem uma reijeição popular que antes era inimaginável. Para muitos, sua prisão é questão de tempo. O senhor também avalia dessa forma? A carta de Palocci pode acelerar esse processo?

“Ela (Lava Jato) está usando com o Lula, a estratégia de deixá-lo apodrecer do lado de fora antes de recolhê-lo para dentro da prisão. Escalada de desmoralização pública, torna-se cada vez menos provável o surgimento de uma comoção popular em defesa dele, quando chegar o momento de ele ser preso. Eu acho que esse momento se aproxima. Nesse sentido, a confissão do Palocci é muito importante.”

Professor, diante de todo esse processo, como fica o capital político do PT? O partido pode ser dilacerado?

“O PT, na minha opinião, e para mim a pista mais eloquente nesse sentido, foi o 60% de prefeituras que ele perdeu no pleito municipal do ano passado. Nenhum partido no poder antes perdeu tantas prefeituras ao mesmo tempo. "O PT está fadado a se marginalizar no espectro político brasileiro, e a ser um partido talvez um pouco maior que o PSOL.”
E como fica o ex-presidente nessa história? Caso, ele tenha condições de participar das eleições de 2018, teria alguma chance?

"Sempre houve uma diferença entre PT e Lula. Lula sendo sempre maior do que o partido. Ele que foi durante muito tempo, e ainda é, o único nome competitivo do partido em um cenário de eleição presidencial. Mas mesmo assim, o Lula sofre de uma imensa rejeição. O voto nele é muito concentrado em regiões pobres do país, como o Nordeste. E na hipótese, cada vez mais remota, eu atribuo 20% de percentual de probabilidade de ele poder concorrer, e estar em condições legais de concorrer, ele sofreria um fogo de barragem de praticamente todos os demais candidatos. É alvo muito fácil, eu não tenho dúvida disso."

Professor, qual a lição que o PT e a esquerda brasileira podem tirar dessa situação. Lembrando que até pouco tempo esse partido estava no poder e governou o país por mais de 13 anos.

“A esquerda brasileira, eu espero que ela tire, mas duvido que ela seja capaz disso, porque ela é muito fanática e intelectualmente limitada, na minha opinião. A única lição útil que a esquerda brasileira poderia tirar disso aí é a seguinte: que fora da social democracia não há salvação. O que isso quer dizer? Que a única posição aceitável para a esquerda em um país pluralista, democrático e desenvolvido é a posição socialdemocrata. Não é a esquerda querendo chegar ao poder para ser dona de tudo e estatizar tudo, é a esquerda procurando ter um papel relevante na defesa dos interessantes das chamadas mais fragilizadas da população. Mas em umcontexto de economia de mercado, transparência de regras e pluralismo político. Eles não aprenderam nada disso. Na cabeça do PT, o modelo que vale é o da Coréia do Norte, é o de Cuba, da Venezuela, que são desastres econômicos, morais e políticos.”

A gente agradece a presença do professor Paulo Kramer e o Agência Entrevista fica por aqui.

Até a próxima, Tchau!

FONTE: AGENCIADORADIO
Home Ads