quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Relação entre dívida bruta e PIB é insustentável no Brasil

Adicionar legenda
O secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida, disse nesta terça-feira, dia 10, que o Brasil, considerando seu nível de desenvolvimento, já tem a segunda maior relação entre a dívida bruta e o Produto Interno Bruto (PIB) dos países emergentes e que a trajetória deste indicador é insustentável.
"O Brasil ainda tem desequilíbrio fiscal muito grande", disse o secretário em sua apresentação, feita durante a conferência anual da agência de classificação Moodys em São Paulo. Desde início dos 90, o País nunca teve sequência tão longa de déficits primários, ressaltou ele.
"Em uma estrutura de despesas engessadas como esta, a única forma de se fazer ajuste fiscal muito rápido é via carga tributária", disse ele, destacando que a carga do Brasil já é muito alta, acima da média dos países da América Latina e não há espaço para se elevar tributos. "Não há como cortar 3 ou 4 pontos do PIB das despesas em um espaço de um, dois ou três anos. É preciso um esforço recorrente."
Em um gráfico, o secretário mostrou que a trajetória de crescimento da dívida bruta surpreendeu no Brasil nos últimos anos, saindo de 51% do PIB em 2013 para 74%. "É uma trajetória insustentável e de desequilíbrio, foi culpa de políticas econômicas equivocadas, erradas."
Fonte: radardabahia
Home Ads