quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

DENUNCIA: Criança tem cabeça decepada após morrer no parto em Conceição do Jacuípe

Uma criança teve a cabeça decepada após morrer durante o parto, na cidade de Conceição do Jacuípe, na Região Metropolitana de Feira de Santana, a 100km de Salvador. De acordo com o site Jacuípe Notícias, a mãe, Renata dos Santos deu entrada no Hospital Municipal Antônio Carlos Magalhães no dia 11 de dezembro alertando que o parto poderia ser complicado já que, de acordo com depoimento da tia do bebê, a criança estava com quase cinco quilos. Ainda assim, segundo a publicação, o parto que deveria ser cesárea acabou sendo normal por não haver sala de parto cesariana.
Ainda conforme o Jacuípe Notícias, iniciado o processo de parto normal, foi percebida uma complicação que levou a criança a ficar entalada, apenas com a cabeça para fora, gerando uma grande complicação, sendo a mãe levada às presas para o Hospital Cleriston Andrade, em Freira de Santana. Em Feira de Santana, foi constatado o óbito da criança e o médicos informaram que foi necessário a decapitação da criança para preservar a vida da mãe, onde posteriormente seria realizado um procedimento, para a retirada do restante do corpo da criança.
Os familiares da criança morta registraram uma queixa contra o hospital de Conceição de Jacuípe. O BNews tentou contato com a família, mas obteve êxito. O diretor do hospital Antônio Carlos Magalhães, Wagner Ribeiro, também foi procurado mas não atendeu as ligações ou retornou. Também foram procurados a secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), que responde pelo hospital Clériston Andrade, mas até o fechamento da matéria nenhum retorno foi obtido. Já a prefeitura e secretaria de Sáude de Conceição do Jacuípe também foram procuradas, mas não houve sucesso no contato.
A reportagem do BNews procurou o presidente do Sindicato dos Médicos da Bahia (Sindmed), Francisco Magalhães, que afirma ainda não saber do caso, mas ressalta: "A situação das maternidades em nosso Estado é muito ruim. Não têm estrutura e, muitas vezes, nem médico. A obstetrícia e psiquiatria são os piores quadros. A situação é realmente de desespero".
Em junho deste ano, uma outra denúncia foi registrada contra o hospital municipal Antônio Carlos Magalhães, em Conceição do Jacuípe. A mãe de um recém-nascido que morreu durante o parto acusa de negligência o hospital, onde o procedimento foi realizado. Segundo Lurdiane Pereira, 27 anos, o parto foi realizado no último domingo (4). Ele conta que o médico chegou a subir em cima de sua barriga durante o parto e que fez o pré-natal, estava tudo perfeitamente bem. “Acho que houve negligência”, disse a mãe ao Berimbau Notícias.
Fonte: bocãonews
Home Ads