domingo, 3 de dezembro de 2017

“Liderança de Neto em pesquisa explica o desespero de Rui Costa”, provoca Azi

POR SOUZA FILHO
01/12/2017 07:46
“O resultado da pesquisa Record Bahia/Instituto Paraná explica o desespero do governador Rui Costa que não para de agredir o prefeito ACM Neto e deflagrou a sua campanha antecipada para governador de 2018, gastando dinheiro público em showmícios. Ele sabe que se ACM Neto confirmar a sua candidatura, a derrota é certa. Por isso o medo do governador e do PT de enfrentá-lo”, disse o deputado federal Paulo Azi (DEM), analisando o resultado da pesquisa divulgada hoje. O levantamento aponta que ACM Neto lidera com 15 pontos de frente em relação a Rui Costa e vence no segundo turno também com 15 pontos de diferença.
“Enquanto ACM Neto está preocupado em administrar Salvador – papel que desempenha com enorme competência – não faz campanha, ainda não anunciou a sua candidatura e mesmo assim aparece com larga vantagem à frente do governador, que está gastando muito em viagens e inaugurações algumas até que não existem”, disse Azi.
Pesquisa Record Bahia/Instituto Paraná
O levantamento divulgado nesta quinta-feira (30) indica que o prefeito ACM Neto (DEM) está com 49% contra 33,7% do governador Rui Costa (PT). Da Luz (PRTB) e Fábio Nogueira (PSOL) aparecem com 2% e 1,5%, respectivamente. Dos entrevistados, 7,8% disseram que não escolheriam nenhum dos candidatos e 5,9% não souberam ou não opinaram.
No segundo cenário, um segundo turno entre Neto e Rui, o democrata ainda permanece à frente, com 50,6% contra 35,8%. Os entrevistados que não escolheriam nenhum dos candidatos são 8,2%. Já os que não souberam ou não opinaram somam 5,5%. Questionados sobre a preferência entre Rui Costa e o ex-governador Jaques Wagner, o atual chefe do Executivo leva a melhor: 49,4% o preferem como candidato e 26,3% escolheram Wagner. Entre os entrevistados, 19,5% não optariam por nenhum dos dois petistas e 4,8% não souberam ou não opinaram.
A pesquisa ainda avaliou o potencial eleitoral do governador: 46,6% responderam que poderiam reelegê-lo, enquanto 20,6% declararam que com certeza votariam nele. Um número maior de eleitores (29,8%) disseram que não votariam nele de jeito nenhum. Apenas 1,7%, não o conhece suficientemente para opinar e 1,4% não souberam ou não opinaram.
No caso de Neto, um número menor (34,7%) de eleitores declararam que poderiam votar nele, mas mais pessoas afirmaram que com certeza o escolheriam (32,3%). A rejeição é similar, com uma diferença de apenas 1 ponto percentual (30,8%). O índice dos que dizem não conhecê-lo suficientemente bem para opinar é de 1,4% e 0,8% não souberam ou não opinaram.
Foram entrevistados 1.576 eleitores em 72 municípios baianos entre os dias 16 e 21 de novembro de 2017. A margem de erro é de 2,5% e o grau de confiança, 95%.
Via: Informe Baiano
Home Ads