terça-feira, 30 de janeiro de 2018

BRASIL: A confusão do PT é maior que a dos concorrentes


Carlos Brickmann
Imaginemos que Lula, com uma ordem, coloque o partido na linha que considerar correta e convença quem pensa em sair do PT a ficar e lutar.
Outros problemas prejudicarão o desempenho eleitoral petista. Se Lula não for preso, poderá percorrer o país, mesmo sem ser candidato, para tentar popularizar o nome do poste que indicará para disputar a eleição em seu lugar (hoje, fala-se de Jaques Wagner, governador da Bahia, e em Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, derrotado já no primeiro turno quando tentou a reeleição).
Mas, se for preso, quem terá prestígio para falar em seu nome?
Pior: quem convencerá os partidos nanicos da esquerda, que sempre foram braços auxiliares do PT, a aceitar papel subalterno mais uma vez?
A confusão do PT é maior que a dos concorrentes.
Mas nenhum partido tem até hoje estratégia definida e estrutura planejada para as eleições.
Fonte: ação Popular
Home Ads