sexta-feira, 16 de março de 2018

BAHIA: Neto ultrapassa duas barreiras que o separam da disputa pelo governo do estado

Imagem de internet

Às vésperas do veredito sobre a candidatura ao governo, o prefeito ACM Neto (DEM) ultrapassou duas das quatro barreiras que o separam da disputa. Em encontro reservado entre Neto e bancada da oposição na Assembleia Legislativa, anteontem, foram apresentados os resultados de uma pesquisa para consumo interno, cujos números atendem parte dos critérios estabelecidos como cruciais para a entrada do democrata no páreo. “O levantamento quantitativo sobre intenções de voto apontou vantagem do prefeito sobre o governador Rui Costa (PT), mas é a sondagem qualitativa que deixa Neto mais confortável para concorrer”, disse um deputados presentes à reunião. Primeiro, indica que a  maioria do eleitorado de Salvador apoiaria e entenderia sua renúncia caso ele se candidate. 
Prova dos nove 
A sondagem, segundo outro parlamentar da oposição, revelou alta rejeição a um segundo mandato de Rui Costa. No entanto, Neto espera a conclusão de duas pesquisas mais amplas para saber se a tendência se mantém.


No meio do caminho 
A conversa com o grupo de deputados aliados ao DEM discutiu ainda os dois outros entraves entre ACM Neto e batalha pelo Palácio de Ondina. A principal delas é a estrutura partidária, que definirá o tamanho do tempo de TV do democrata. A adesão do PP é considerada difícil. Já as negociações com o PR avançam a passos largos. Contudo, o nó mais apertado continua sobre o PMDB, dono da maior fatia na propaganda política. A segunda barreira tem relação com o financiamento de campanha, crucial para uma eleição em que Neto terá o peso da máquina do governo como maior adversário.
Mudança de cor
As declarações em que Rui Costa defendeu o eventual apoio do PT a um presidenciável de outro partido, cujo conteúdo irritou a cúpula petista, sinalizaram o alinhamento do governador à ala da legenda contrária à permanência do ex-presidente Lula como plano único. Ao mesmo tempo, deram evidências de que Rui tende a manter distância regulamentar do PT na sucessão e pode abrir palanque no estado para o ex-ministro Ciro Gomes (PDT). A estratégia é vista como saída para escapar do desgaste da sigla e de candidatos sem capilaridade eleitoral.
Fio de novelo
Vai criar dor de cabeça jurídica para o governo do estado a autorização de um repasse de R$ 1,45 milhão para cobrir despesas com o Festival Combina MPB, destinado pela bahiatura a uma empresa da família do cantor Gilberto Gil. A liberação, noticiada pela Satélite no último sábado, entrou na mira da oposição, que questiona a ausência de licitação ou contrato prévio para o pagamento posterior à realização do evento.
Choque de lógica
O Diário Oficial do Estado de anteontem traz um mistério: no mesmo dia, Alexandre Catão foi exonerado do cargo de diretor da Secretaria de Desenvolvimento Econômico,  nomeado para outra direção da pasta e também para ser assessor especial na Secretaria de Infraestrutura.
"Tudo leva a crer que o secretário da Fazenda se enganou na conta",Hildécio Meireles, deputado estadual do PMDB, ao dizer que as transferências da União para o governo cresceram, e não o contrário.
Pílula
Valsa da revolta 

A senadora Lídice da Mata (PSB) está decidida a tentar a reeleição em uma chapa alternativa, caso seja escanteada da coligação majoritária da base governista. Aos aliados , deixou claro que vai para o tudo ou nada e que cansou de entregar lealdade e receber abandono como troco.
Fonte: correio24horas
Home Ads