sexta-feira, 1 de junho de 2018

SENTO SÉ/UMBURANAS: Complexo Eólico Campo Largo começa a gerar energia

O Complexo Eólico Campo Largo, que está sendo implantado nos municípios de Umburanas e Sento Sé, na Bahia, já está gerando energia. A primeira central eólica iniciou sua operação em testes no dia 13 de maio, quando foram sincronizados os primeiros aerogeradores do Complexo.

A energia destes primeiros aerogeradores já está sendo entregue na Subestação Ourolândia II e distribuída pelo Sistema Interligado Nacional – SIN. Segundo o gerente da obra, Murilo Boselli, neste primeiro momento, estão operando em teste os 11 aerogeradores do Central Eólica Campo Largo VII, com 29,7 MW de potência total instalada. Na sequência, com o bom andamento das atividades, devem ser sincronizados também os aerogeradores dos demais parques.

“Nesta etapa colocamos à prova todo o trabalho feito desde o início das atividades no Complexo, uma vez que, a aprovação nos testes e o bom funcionamento dos aerogeradores com a exportação de energia nos trazem resultados positivos e comprovam que as obras civis, eletromecânicas e de montagem, foram bem executadas”, destacou Boselli.

No canteiro de obras, as equipes seguem com os trabalhos de montagem e comissionamento dos aerogeradores, além da implantação dos 85 km das redes de média tensão (34,5 kV), que vão interligar os aerogeradores à Subestação Campo Largo. Até momento, 20% dos 121 aerogeradores previstos no projeto foram montados, fase que deve ser concluída em outubro de 2018.
Em sua primeira etapa, o Complexo Eólico Campo Largo contará com 11 centrais eólicas compostas por 121 aerogeradores. Com capacidade total instalada de 326,7 MW, ele poderá abastecer uma população de até 600 mil habitantes.


Linha de Transmissão energizada

A linha de Transmissão 230 kV, rede responsável por transportar a energia produzida no Complexo Eólico Campo Largo até a Subestação Ourolândia II, localizada no Município de Ourolândia, já está energizada.

Desta forma, a população precisa ficar atenta às dicas de segurança para evitar acidentes. É importante lembrar que a faixa de servidão deve ser respeitada e a atenção redobrada na época da colheita ou plantio. O manuseio de máquinas agrícolas próximo às redes exige cautela e é proibido fazer queimadas, soltar pipas ou balões, subir nas torres e utilizar bambus ou varas compridas nas proximidades dos cabos elétricos, que em hipótese alguma podem ser tocados.

“É de fundamental importância que estas regras sejam respeitadas pois, só assim, conseguiremos garantir o bem estar de toda comunidade”, destacou o gerente da obra, Murilo Boselli.

Ascom/engie
Home Ads