segunda-feira, 11 de junho de 2018

Uauá: Casa de ferreiro quem com ferro fere, com ferro ferido será (contraditado – Zé Luiz e Max Ribeiro)

Inicio este meu escrito sobre os nosso festejos juninos , tentando compilar o tamanho da contradição existente na versão da crise e suas consequências para a economia de Uauá, a partir do pressuposto da incoerência de uma campanha politica e ser governo. ENTRE O CANDIDATO E O PREFEITO …. Um dia ouvi um candidato a Prefeito me dizer que a força de nosso são João seria o nosso maior patrimônio. Não por grandes bandas ou atrações , apenas profissionalizando sua estrutura e fazendo valer a nossa tradição.
Lembro que em algumas conversas , o então candidato falava de divulgar com antecedência, planejar a estrutura e em poucos anos fazer as nossas festas juninas serem a maior Fortaleza de nossa Uauá , um esteio de atração e capacitação econômica. Lembro-me de conversas francas acerca de parceria público privada e de idealizar um novo São João , resgatando a tradição , mas concorrendo com um norte , dando vazão ao que acreditamos , revitalizando as alvoradas , atraindo turistas diferenciados, aqueles que gostassem de um são João mais simples, vinculado ao pé de serra , a festa de raiz. Situando que simplicidade não significa descompromisso ou abandono. Boa O candidato virou prefeito, e me espanta a forma amadora que trata o maioria vetor econômico de nossa Uauá . Não é por falta de grandes atrações ou de um são João caro.
Longe disso , poderíamos ter um São Joãozinho apenas com atrações locais se assim fosse planejado . O que me assusta é a forma amadora , juvenil , de tratar a única festa de relevo da nossa cidade . Me deixa perplexo que além de acabar com os festejos do interior, a administração municipal lida com desdém a apresentação da nossa festa, chamar de propaganda um cartaz de Net colorido mas sem conteúdo, sem programação alguma, se torna piada ante aqueles que crêem nos festejos , que chamam amigos , convidam parceiros. A festa não se sustenta apenas com o nome São João de Uauá, hoje precisamos programar estruturas , fortalecer os comerciantes e trabalhar os que se preparam para esse evento. O nível de decepção não é pela falta de atrações , mas sim pela falta de promoção.
Deixa – se de vender um produto lucrativo por causa da crise , quando deveríamos conceber o inverso , fazer da crise a nossa aliada para trazer de volta os munícipes que estão longe e os turistas que gostariam de estar numa cidade mais barata , com um povo hospitaleiro e receptivo como o Uauaense . O nosso espírito público precisa estar além de nossas concepções pessoais ou religiosas , um gestor não pode estar preso a paradigmas do passado ou aumentando problemas , não somos gerenciadores de crises. Ao gestor cabe trazer soluções inovadoras e renovadoras , que possam cada vez mais fazer a cidade crescer e se desenvolver . Não dá pra tratar um festejo junino apenas como uma festinha qualquer , o São João de Uauá é grande porque tem força econômica , porque trás alento as pessoas , mas primordialmente porque transforma a vida da cidade . Infelizmente o candidato venceu a prefeitura, mas se esqueceu do simples planejamento de tomar posse.
(Marco Aurélio / Presidente Democratas Uauá/ Conterrâneo Saudoso)
Fonte: acaopopular
Home Ads