sábado, 28 de julho de 2018

Com cúpula sob investigação, PTB oficializa apoia a Alckmin

por ANGELA BOLDRINI | Folhapress
Com cúpula sob investigação, PTB oficializa apoia a Alckmin
Foto: Fernando Brandt / G1
Com sua cúpula sob investigação, o PTB oficializou neste sábado (28) o apoio ao pré-candidato à presidência Geraldo Alckmin (PSDB). 

O partido, que tem Roberto Jefferson como presidente, fez sua convenção nacional no Hotel Nacional, em Brasília, com a presença do tucano. 

Ao agradecer o apoio do partido, o primeiro a declarar voto no tucano, Alckmin elogiou Jefferson e criticou o que chamou de "olhar mesquinho" sobre alianças. 

"O Roberto, desde a primeira vez que eu liguei pra ele para agradecer sua declaração nos jornais de que eu era o melhor candidato, há meses, até hoje não pediu nada, absolutamente nada. Nosso compromisso é com o Brasil", afirmou.  

Questionado por jornalistas se o fato de o presidente nacional do partido ser um dos principais envolvidos no escândalo do mensalão não seria um constrangimento, o tucano afirmou que Jefferson é um "homem de coragem" e que teve papel importante ao colocar o "dedo na ferida do PT". 

"É com Geraldo Alckmin que retomaremos o orgulho de sermos brasileiros", afirmou Jefferson em sua fala. Hoje, o ex-deputado está na mira da Polícia Federal por supostas fraudes no Ministério do Trabalho. 

Além dele, são alvos da operação Registro Espúrio sua filha, a deputada Cristiane Brasil (RJ), e o líder da sigla na Câmara, Jovair Arantes (GO). 

O apoio ao tucano já havia sido decidido pela executiva nacional no dia 18 de julho, e foi apenas confirmado com votação simbólica. 

Na porta, uma foto enorme de Jefferson recebia os convidados. No fundo do salão, um grupo de percussão da juventude do partido entoava entre os discursos: "pela mudança eu digo sim, meu presidente é Geraldo Alckmin" e "o PTB tá com moral, com o Roberto presidente nacional". 

Antes do início da convenção, o pré-candidato tomou café da manhã com Jefferson e sua filha no hotel onde foi realizado o evento.

Cristiane Brasil, que está proibida de manter contato com outros investigados na operação, foi autorizada pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Dias Toffoli a comparecer à convenção partidária.


BN
Home Ads