quarta-feira, 18 de julho de 2018

Fraude no pagamento de imposto de medicamento gera prejuízo de R$ 13,7 milhões na Bahia

por Débora Oliveira no dia 17 de julho de 2018 às 17:57
Foto: Reprodução
O Ministério Público Estadual (MPE), relatou que um esquema de organização criminosa especializada em corrupção de agentes públicos, lavagem de bens e falsificação de documento na área de medicamentos gerou um prejuízo de R$ 13.751.373,21 na Bahia. 
Nesta terça-feira (17), cinco mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos pela Polícia Civil na cidade de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador, em combate à quadrilha envolvida nas fraudes.
Segundo o MPE, dois mandados de prisão contra a empresárias Maria Edenilce Monteiro dos Santos e a filha dela, Sílvia Santos Borges, foram expedidos, mas elas não foram encontradas e são consideradas foragidas.
Do montante devido ao Fisco, R$ 13.686.479,75 estão inscritos na dívida ativa ou ajuizados e R$ 64.893,46 ainda não foram inscritos.
De acordo com o MP-BA, o esquema funcionava por meio de “sócios-laranja”, que integravam os quadros de empresas do ramo de comércio atacadista de medicamentos. As organizações deixavam de efetuar o pagamento dos impostos devidos ao Fisco pela circulação de mercadorias e serviços. 
A operação, nomeada Placebo, foi iniciada pelo MP de Alagoas, em parceria com o órgão baiano e sergipano. No total, o prejuízo aos cofres públicos dos três estados é estimado em R$ 197 milhões. O MP-BA informou, ainda, que empresas praticavam concorrência desleal e acumularam patrimônio de forma irregular, que define os crimes contra a ordem tributária.
Documentos e objetos, como celulares e computadores, além de mercadorias, foram apreendidos nos estados envolvidos, e servirão para a instrução do procedimento criminal em curso e para a fiscalização das empresas utilizadas no esquema criminoso.
Fonte: radardabahia
Home Ads