quarta-feira, 17 de outubro de 2018

ALERTA PARA O AEDES AEGYPTI! Bahia tem 81 cidades com risco de epidemia de dengue

por Isabela Rocha no dia 17 de outubro de 2018 às 09:55
Foto: Reprodução
De acordo o mais recente Levantamento Rápido de Índice para Aedes aegypti (LIRAa), de julho a setembro de 2018, divulgado nesta terça-feira (16) pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), a Bahia está com 81 das 417 cidades com risco de epidemia de dengue. Os números são preocupantes um vez que estamos às vésperas do Verão, estação do ano onde os casos da doença aumentam mais ainda.
Segundo reportagem do jornal Correio, o risco de epidemia acontece porque os 81 municípios possuem índice de infestação predial acima de 4%. De acordo com a classificação do Ministério da Saúde, índices acima de 3,9% são sinal de alerta para problema. Entre 0% a 1%, o índice é considerado tolerável e de 1,1% a 3,8%, há alerta para surto.
Na liderança do ranking aparece a cidade de Jaguarari, no Centro-Norte da Bahia, com índice de 16%. Em seguida, aparecem Jeremoabo (15%), no Nordeste; Senhor do Bonfim (13,1%), no Centro-Norte; Valente (12,5%), no Nordeste; Itabuna (12,3%), no Sul; Sítio do Quinto (11,9%), no Nordeste; São Domingos (11,1%), no Nordeste; Caldeirão Grande (10,8%), no Centro-Norte; e Caetanos (10,3%), no Centro-Sul do estado.
Em comum entre esses municípios há o fato de passarem por longos períodos sem acesso regular à água potável, seja pela estiagem, pela seca ou por problemas no próprio sistema de abastecimento para a localidade.
Para sanitarista da Vigilância Epidemiológica da Sesab, Akemi Erdens, as cidades com risco de epidemia de dengue devem concentrar suas ações em áreas onde os níveis de infestação estão mais altos  - como é o caso da cidade de Itabuna. “É preciso intensificar logo as ações por causa da chegada do Verão. E final de ano sempre tem chuvas, sobretudo novembro, então há o risco muito grande de os ovos evoluírem para larva e depois o mosquito”, disse ao Correio.
SALVADOR TAMBÉM EM ALERTA
Com índice de infestação predial de 2,6% - em situação de alerta para surto, de acordo com a classificação do Ministério da Saúde -, a cidade de Salvador terá, de novembro até fevereiro, uma série de ações contra o mosquito Aedes aegypti.
As ações devem ser anunciadas no final do mês pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que está contabilizando ainda os dados do índice de infestação predial coletados entre agosto e setembro deste ano – o dado do último índice, informado acima, é de julho.
Na capital baiana, a região com maior infestação é a do distrito sanitário do Subúrbio Ferroviário, com 3,8%, próximo da classificação considerada como de risco de epidemia. Os distritos de São Caetano/Valéria (3,3%) e Boca do Rio (3,2%) também preocupam. Já o menor índice de infestação fica no distrito sanitário de Brotas (0,8%) - dentro do tolerável.
Fonte:radardabahia
Home Ads