Sindicato da Bahia repudia passo de Rui Costa para privatizar o saneamento básico

Da redação
Na segunda-feira, dia 1º, o governador da Bahia, Rui Costa, anunciou a celebração de uma Parceria Público-Privada  (PPP) para a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), com o intuito de investir em saneamento básico. A declaração causou a reação do Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente da Bahia (Sindae) que, em sua nota, definiu a situação como “equívoco que pode trazer enorme prejuízo para o estado e a sociedade”.
O sindicato denuncia que estudos técnicos feitos pela própria Embasa não recomendam a opção das PPPs, citando exemplos de parcerias que foram danosas ao Estado, com comprovado superfaturamento, causando prejuízos milionário aos cofres públicos. Rui Costa justifica a parceria com a iniciativa privada dizendo não ter recurso proveniente do governo federal para investir em saneamento básico, mas opta pelos contratos das PPPs que são extremamente generosos com os empresários deixando todas as garantias e endividamento para o ente público sem risco algum para a empresa privada.
Rui Costa compõe a ala direita do PT, composta também por outros governadores do Nordeste, que segue na intenção de dialogar com o governo bolsonarista, aliando-se à extrema-direita em determinadas pautas. Esse grupo tenta tomar as rédeas do partido, aplicando políticas neoliberais contra a própria base petista, como esse anúncio da PPP que é um primeiro passo para a privatização dos serviços básicos oferecidos à população, a despeito de todas as campanhas contra a privatização da água feitas pelos movimentos populares na Bahia.
Fonte: acaopopular

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.