BRASIL: Um mês após chegada do Exército na Amazônia, queimada diminui e desmatamento cresce

por Daniel Serrano no dia 28 de September de 2019 às 17:10
Foto: Divulgação / SSP-BA
O balanço de um mês da ação das Forças Armadas na Amazônia para combater queimadas na floresta apontou que a diminuiu o número de incêndios. Por outro lado aumentou a quantidade de desmatamentos.
De acordo com o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), houve uma queda superior a 25% nas queimadas, diminuiu mais de 63% o número de apreensões de toras de madeira e motosserras.
Quando a quantidade de focos de incêndios disparou na Amazônia, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) publicou um decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) na região, com envio de militares para combater queimadas e outros crimes ambientais.
Segundo o jornal Estado de S. Paulo, em nota, o Ministério da Defesa defendeu a “efetividade” da operação na floresta e ainda afirmou que a presença dos militares na região inibe crimes, o que reduz as autuações. “Até o momento, os militares e integrantes de agências participantes já combateram mais de 1,6 mil focos de incêndio, detiveram 68 pessoas e lavraram 201 termos de infração, o que resultou na aplicação de R$ 46 milhões em multas. Além disso, os militares destruíram 17 acampamentos ilegais, apreenderam 74 veículos e mais de 20 mil litros de combustível, escavadeiras, motosserras e motobombas”.
Entretanto, de 24 de agosto a 24 de setembro, o número de bens apreendidos foi menos da metade do apreendido no mesmo período de 2018, quando não ocorreu nenhuma operação policial.
FONTE: radardabahia

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.