Operação Spoofing: PGR interino diz que mensagens obtidas não atestam a inocência de Lula

por Neison Cerqueira no dia 24 de September de 2019 às 11:10
Foto: José Cruz / Agência Brasil
Para o procurador-geral da República em exercício, Alcides Martins, em parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), as mensagens obtidas na Operação Spoofing, que lidou com suspeitos de terem hackeado o procurador da Lava-Jato, Deltan Dallagnol, são provas ilícitas e, mesmo se pudessem ser utilizadas, não atestam a inocência de Lula. 
No documento ele diz que “Ainda que se admitisse a utilização, nestes autos, da ‘prova ilícita’ de que ora se trata, isso não beneficiaria Luiz Inácio Lula Da Silva nos moldes pretendidos pelos impetrantes, e, tampouco, teria o efeito de lhe devolver a liberdade”, escreveu Martins.
A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu a inclusão das mensagens em recurso de seu pedido de liberdade, o que foi negado pelo ministro Edson Fachin.
FONTE: radardabahia

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.