Pesadelo no Hospital Regional de Juazeiro

Da Redação
O Ministério Público estadual oficiou a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) para prestar informações sobre suposto atraso dos repasses do Fundo Estadual de Saúde ao Hospital Regional de Juazeiro. Segundo o ofício, a Associação de Proteção à Maternidade e Infância de Castro Alves (Apmica), que administra o estabelecimento, apontou a falta do repasse mensal como justificativa para o atraso dos salários dos médicos que trabalham na unidade hospitalar.
Por sua vez, a direção do hospital está sendo acusada de perseguição aos funcionários que se manifestaram contra os descasos existentes dentro da unidade. Uma médica chegou afirma na imprensa que foi demitida, outros profissionais colocaram seus cargos à disposição devido ao graves problemas existentes.
Os vereadores de oposição de Juazeiro ingressaram com representação no Ministério público Federal, em Petrolina, para apurar denuncias de escândalos que estão sendo estampadas na imprensa. Pelo visto, pode haver uma operação ‘mão limpas’ com busca e apreensão de computadores, documentos, e quem saiba aplicação de algemas nos gatunos do dinheiro público. Os meninos de preto com aquele cacetetão de joão roza podem ser acionados a qualquer momento.
Na capital baiana, a Polícia Federal já começou investigar as estripulias do governador mais sério do país, Rui Costa (PT) sobre a compra dos respiradores. Uma equipe do MPF e MPBA estão também investigando o contrato do estado com a direção do Hospital Espanhol. Enquanto isso, no Palácio de Ondina já tem gente que não dorme há 3 dias com medo da chegada da caravana dos homens com a reportagem da Globo.
FONTE: açaopopular

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.