Lojistas de Juazeiro (BA) enviam carta aberta ao Governador do Estado solicitando reabertura do comércio

Representantes de micro, pequenas e médias empresas de Juazeiro, Bahia, enviam carta aberta ao Governador do Estado e solicitam reabertura do comércio. Confira:
Prezado Sr. Governador da Bahia!
Rui Costa dos Santos,
Exmoº. Senhor Rui Costa dos Santos, Governador do Estado da Bahia, em nome dos representantes dos comércios da Cidade de Juazeiro, localizado como é do vosso conhecimento no norte do estado, vem cumprimentar Vossa Excelência, e em nome dos comerciantes dessa Cidade solicitamos vosso integral apoio e especial atenção para o norte do estado.
Somos comerciantes de micro, pequenas, médias e grandes empresas, cidadãos conscientes da realidade vivida em nosso País, mas compreendemos que o papel do Estado e dos Municípios é prover as condições básicas para a retomada das atividades comerciais e minimizar os impactos da pandemia sobre a vida das pessoas.
É publico que todas as cidades do país e do mundo que tem iniciado protocolos de reabertura do comércio e a retomada do ciclo da vida dentro dos padrões de normalidade possíveis, como inclusive a nossa própria capital do Estado, vem tomando decisões pautadas nos índices de controle e de estabilidade do quadro hospitalar baseado na estabilidade dos números e na disponibilidade de leitos clínicos e de urgência.
É publico também que já se passaram mais de 120 dias, período mais que suficiente para o conhecimento, análise e a busca de soluções para o problema hoje evidenciado, se certas ações não foram adotadas, pode-se concluir que seja basicamente um processo de ineficiência e de má gestão para a busca dos resultados, não se admite mais falar-se em desconhecimento sobre as medidas de controle do quadro pandêmico e nem de falta de recursos para agir nesse momento.
Se tudo isso é tão público e sabido por todos, clamamos por vossa intervenção e atenção especial para a retomada de nossas atividades econômicas com o efetivo investimento no número de leitos aqui disponibilizados, sejam intermediários ou de urgências, sabemos que a SESAB tem incentivado a estruturação das unidades exclusivas para o pronto atendimento das pessoas com sintomas respiratórios nos termos do Plano de Contingencia Estadual aprovado pela resolução CIB nº 029, contudo a disponibilidade de leitos do Hospital Regional mais a contratação dos 20 leitos clínicos e mais 10 de urgência são números insignificantes diante de nossa expressiva população de 216.707 habitantes além do atendimento as cidades circunvizinhas que numa conurbaçao atinge claramente uma população de mais de 500 mil habitantes que padecem da efetiva participação do Estado com a disponibilização de leitos que atendam a população numa situação de eventual necessidade.
Sabemos da dificuldade existiu inicialmente na aquisição de equipamentos para o enfrentamento a Covid, principalmente respiradores, mas que após passados 5 (cinco) meses desde a confirmação do primeiro caso em 06/03/2020 esses argumentos não são mais impeditivos para a aquisição e repasse para os municípios para a montagem e equiparação das unidades hospitalares para que efetivamente possam planejar e colocar em prática os planos de retomada da economia, como se pode concluir que menos de 100 leitos de urgências para o atendimento de uma população tão expressiva quanto a nossa é insignificante para não dizer vergonhoso e desrespeitoso para com essa população, o certo é que leitos hospitalares nunca serão desnecessários e que investimento em nosso precário sistema de saúde pública jamais será excessivo, quanto a isso não há nenhuma argumentação contrária que se justifique.
Nós comerciantes, pais de famílias, cidadãos conscientes e principalmente eleitores do vasto Estado da Bahia pedimos especial e urgente atenção para nossa Cidade para que ocorram de imediato mais investimentos no nosso sistema de saúde para que nos dê folego para que possamos urgentemente iniciar um plano de retomada da abertura do comércio, pois não temos mais sob nenhuma forma recursos para sustentar essa situação, é publico que os programas de aporte de capital para as micro e pequenas empresas é deficitário além de difícil acesso, para não se dizer ilusório, programas que existem somente no papel que não chega a ponta da linha de produção e comercialização do amplo varejo, empresas de prestadoras de serviços,  bares e restaurantes e demais comércios supostamente não essenciais, sabemos que foram "inaugurados os poucos 20 leitos" na cidade, mas pedimos mais, e de forma urgente, se contas básicas forem feitas é possível enxergar a insuficiência da disponibilidade.
Por isso já nos dirigimos ao gestor local com as mesmas solicitações, agora estamos compartilhando as responsabilidades com o Governo do Estado para que efetivamente promova condições de suporte médico hospitalar para que possamos reabrir nosso comércio e retomar nossas atividades dentro dos mais altos princípios de segurança, higienização e de proteção individual e coletiva.
O interior do Estado da Bahia está em agudo processo de falência generalizada, aumento expressivo no número de desempregados e um incontrolável caos econômico que em poucos dias terá forte impacto sobre o PIB estadual, digamos que nesse momento mesmo que os investimentos em saúde pública pareçam altos, tenha certeza que serão insignificantes diante da recessão econômica que sucederá após este longo confinamento sem ações efetivas e expressivas de controle, remediação e de atenção ao povo em geral.
Certo da atenção de Vossa Excelência, agradecemos antecipadamente e aguardamos uma manifestação positiva no sentido de apoio ao nosso urgentíssimo e necessário processo de retomada da vida dentro dos novos padrões disponíveis de normalidade.
Cordialmente,
O Comércio de Juazeiro
ASCOM - COOPCOM
Cooperativa Comercial de Juazeiro-BA
Email: coopcomjuazeiro@hotmail.com
Foto Ilustrativa
FONTE: redegn

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.