Deputado: Consórcio do Nordeste virou ‘quadrilha’ para “empregar petistas desempregados”

Breno Cunha
Enquanto a oposição aos governadores do Nordeste, esmagadora maioria filiada a partidos da esquerda, silencia e esquece investigações sobre compras de respiradores, o deputado estadual Davi Maia (DEM), de Alagoas, ainda tenta desvendar os muitos mistérios que envolvem o Consórcio do Nordeste.

Nesta quarta-feira (05), mesmo sem maioria na Assembleia Legislativa estadual, ele quase conseguiu a convocação do secretário Executivo do Consórcio, Carlos Garbas, para prestar depoimento aos deputados.

“Somos 27 aqui e tivemos um quórum relativamente baixo, foi 10 a 6 para o requerimento de convocação do secretário do Executivo”, disse o deputado, em entrevista exclusiva concedida ao Política ao Vivo.

Davi Maia pontuou que o Consórcio do Nordeste, “como ferramenta de gestão pública é importante e até fundamental, porque temos pautas que são comuns entre os 9 estados do Nordeste”, mas “a gestão pública do Consórcio foi completamente desvirtuada pelos governadores, eles estão querendo recriar o Foro de São Paulo”.

Para o parlamentar, os governadores da região deveriam se reunir mais vezes para pensar em pautas comuns a todos os Estados, e “não somente para fazerem carta de repúdio ao governo Bolsonaro e suas políticas públicas”.

“Alagoas pagou 860 mil reais para ser sócio desse clube. Custa muito caro. A Bahia pagou quase 2 milhões de reais. Na minha opinião, o consorcio só serve para empregar petistas desempregados do ABC paulista. Carlos Garbas, por exemplo, era mais famoso por levar a Dilma para passear de moto em Brasília do que qualquer coisa que tenha construído pelo Brasil. Outro [funcionário do Consórcio] foi da Ancine, que também perdeu eleição. O governador da Bahia resolveu dar emprego a todo mundo”, falou.

O governador Rui Costa (PT) é o presidente do Consórcio do Nordeste desde a sua criação, no ano passado.

“Muitos nordestinos morreram pela falta de respiradores. E mais do que isso: está comprovado que existe uma quadrilha roubando os estados nordestinos, com o envolvimento do secretário da Casa Civil do governo da Bahia. Deixou de ser um consórcio e passou a ser uma quadrilha para roubar os pobres estados do nordeste”, falou o deputado. Ele se referiu à demissão de Bruno Dauster, ex-secretário da Casa Civil da Bahia, após ser citado em depoimento da Operação Ragnarok, que apura a compra malsucedida de respiradores.

“Em três tribunais de contas do Nordeste já existe algum tipo de investigação sobre as compras do Consórcio do Nordeste. Mas os governadores não falam. […] Eu não sei por que o medo de prestar contas”, completou o parlamentar.

FONTE:politicaaovivo

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.