ESPIA: governo e especialistas divergem de prioridade na vacinação contra a Covid-19

 por Neison Cerqueira no dia 10 de August de 2020 às 10:40

Foto: Dado Ruvic / Reuters

O Ministério da Saúde e especialistas discutem a imunização da população, mas há impasses. Além de não ter perspectivas de vacinar toda a população, a pasta quer priorizar determinados grupos numa eventual vacina contra a Covid-19, mas especialistas alertam: é preciso considerar que pessoas com mais risco devem estar no começo da fila.

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, afirmou que o governo usará a mesma ordem de vacinação da gripe causada pelo vírus Influenza. No entanto, os grupos de risco das duas doenças não são completamente idênticos. "É um absurdo as possíveis vacinas contra Sars-Cov-2 seguirem a mesma lógica de vacinação da Influenza. É um erro. Doenças diferentes requerem estratégias diferentes. Na estratégia contra Influenza, as crianças estão entre os grupos prioritários, o que é diferente da Covid-19", avalia o doutor da Universidade Federal de Santa Catarina, Fernando Hellmann.

E completou: "Quando a vacina chegar, ela deve ser dada para que se restabeleça a igualdade de oportunidades em sobreviver à Covid-19 entre todos brasileiros. A gente sabe que ela mata mais a população idosa, doentes crônicos, indígenas, negros e pobres. E por isso eles devem ser a prioridade". 

O grupo prioridade de vacinação da Influenza foi feito em 2010 para o combate da pandemia que surgiu em 2009, quando atingiu o mundo numa escala muito menor do que a Covid-19. "Para definir os grupos prioritários, reunimos um comitê de especialistas. Hoje tem projeto de lei para decidir essa ordem. Isso é um absurdo. É a demonstração da falta de liderança do Ministério da Saúde na pandemia. Essa é uma decisão do Executivo, amparado por cientistas", afirma José Gomes Temporão, ministro da Saúde na ocasião. 

FONTE: radardabahia

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.